Sismac
  • 25 | 03 | 2020 - 17:43 Informe-se

    É dever da Prefeitura informar e fiscalizar casos de COVID-19

    É dever da Prefeitura informar e fiscalizar casos de COVID-19
    Servidores têm denunciado a falta de orientações e protocolos por parte da administração

    Embora a transmissão comunitária em Curitiba já tenha sido notificada pela administração há mais de uma semana, os trabalhadores da saúde ainda têm realizado denúncias sobre a não orientação de protocolos necessários por parte da Prefeitura.

    De acordo com o Ministério da Saúde, que através da Portaria nº 454 notificou todo o território nacional com transmissão comunitária, é extremamente importante que os casos suspeitos ou confirmados sejam notificados a nível nacional. Além disso, a pessoa infectada deve repassar para o profissional de saúde o nome de todos aqueles com quem teve contato. E também deve ser preenchido um formulário de isolamento, cumprindo os 14 dias de isolamento social, para aqueles que residam no mesmo local de alguém infectado, com ou sem sintomas.

    É papel da administração municipal informar, com a qualidade adequada, os trabalhadores da saúde sobre os procedimentos necessários ao combate do COVID-19 e realizar a fiscalização dos casos para que a vigilância epidemiológica possa controlar o crescimento da doença na cidade.

    O alerta sobre uma possível subnotificação de casos que acontece pela falta de testes disponíveis para diagnosticar o COVID-19 já foi feito pelos sindicatos em reunião com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Além disso, a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de medidas administrativas também tem sido uma reivindicação recorrente dos trabalhadores.

    E ao invés de ouvir a demanda dos servidores que estão na linha de frente, Greca e a Secretária de Saúde Marcia Huçulak tem tentado esconder a verdade da população. Está mais do que na hora da administração cumprir aquilo que é seu dever: realizar a capacitação dos profissionais da saúde para o combate ao COVID-19; disponibilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em larga escala; contratar mais profissionais da saúde e da assistência social; cumprir as determinações sobre a notificação e acompanhamento dos novos casos de Coronavírus e disponibilizar testes e kits de proteção individual para a população.

    Urgência na entrega de EPIs

    Os servidores da Fundação de Ação Social (FAS) e da Saúde continuam sem ter acesso a equipamentos necessários para atuar na prevenção e combate ao Coronavírus. A falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) como máscaras, álcool em gel e avental não estão chegando para médicos, enfermeiros, e demais profissionais da saúde e também para os servidores da FAS, responsável pelo atendimento à população mais vulnerável da sociedade.

    A entrega de EPIs já foi cobrada da administração municipal em reunião e por ofício sem nenhuma ação da gestão, pois ainda tem chegado aos sindicatos diversas denúncias de servidores que não estão recebendo os equipamentos e também de chefias que não estão entregando.

    O SISMUC oficiou a administração municipal em parceria com o Sindicato dos Médicos do Estado do Paraná, e a direção da FAS, exigindo que os EPIs sejam entregues com brevidade para os trabalhadores. É urgente a garantia de uma instrução normativa para regulamentar o uso e distribuição dos EPIs.

    Sindicatos continuam cobrando medidas da Prefeitura

    O SISMMAC e o SISMUC continuam cobrando da Prefeitura medidas necessárias para a proteção dos servidores do município. Se a sua unidade ainda não recebeu os equipamentos adequados ou se você ainda não recebeu orientações por parte das chefias, acesse o formulário e nos ajude a realizar a denúncia. Precisamos tornar público o descaso da Prefeitura e pedir providências para que a administração cumpra seu papel com os trabalhadores do município.

  • 25 | 03 | 2020 - 17:43 Informe-se

    É dever da Prefeitura informar e fiscalizar casos de COVID-19

    É dever da Prefeitura informar e fiscalizar casos de COVID-19
    Servidores têm denunciado a falta de orientações e protocolos por parte da administração

    Embora a transmissão comunitária em Curitiba já tenha sido notificada pela administração há mais de uma semana, os trabalhadores da saúde ainda têm realizado denúncias sobre a não orientação de protocolos necessários por parte da Prefeitura.

    De acordo com o Ministério da Saúde, que através da Portaria nº 454 notificou todo o território nacional com transmissão comunitária, é extremamente importante que os casos suspeitos ou confirmados sejam notificados a nível nacional. Além disso, a pessoa infectada deve repassar para o profissional de saúde o nome de todos aqueles com quem teve contato. E também deve ser preenchido um formulário de isolamento, cumprindo os 14 dias de isolamento social, para aqueles que residam no mesmo local de alguém infectado, com ou sem sintomas.

    É papel da administração municipal informar, com a qualidade adequada, os trabalhadores da saúde sobre os procedimentos necessários ao combate do COVID-19 e realizar a fiscalização dos casos para que a vigilância epidemiológica possa controlar o crescimento da doença na cidade.

    O alerta sobre uma possível subnotificação de casos que acontece pela falta de testes disponíveis para diagnosticar o COVID-19 já foi feito pelos sindicatos em reunião com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Além disso, a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de medidas administrativas também tem sido uma reivindicação recorrente dos trabalhadores.

    E ao invés de ouvir a demanda dos servidores que estão na linha de frente, Greca e a Secretária de Saúde Marcia Huçulak tem tentado esconder a verdade da população. Está mais do que na hora da administração cumprir aquilo que é seu dever: realizar a capacitação dos profissionais da saúde para o combate ao COVID-19; disponibilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) em larga escala; contratar mais profissionais da saúde e da assistência social; cumprir as determinações sobre a notificação e acompanhamento dos novos casos de Coronavírus e disponibilizar testes e kits de proteção individual para a população.

    Urgência na entrega de EPIs

    Os servidores da Fundação de Ação Social (FAS) e da Saúde continuam sem ter acesso a equipamentos necessários para atuar na prevenção e combate ao Coronavírus. A falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) como máscaras, álcool em gel e avental não estão chegando para médicos, enfermeiros, e demais profissionais da saúde e também para os servidores da FAS, responsável pelo atendimento à população mais vulnerável da sociedade.

    A entrega de EPIs já foi cobrada da administração municipal em reunião e por ofício sem nenhuma ação da gestão, pois ainda tem chegado aos sindicatos diversas denúncias de servidores que não estão recebendo os equipamentos e também de chefias que não estão entregando.

    O SISMUC oficiou a administração municipal em parceria com o Sindicato dos Médicos do Estado do Paraná, e a direção da FAS, exigindo que os EPIs sejam entregues com brevidade para os trabalhadores. É urgente a garantia de uma instrução normativa para regulamentar o uso e distribuição dos EPIs.

    Sindicatos continuam cobrando medidas da Prefeitura

    O SISMMAC e o SISMUC continuam cobrando da Prefeitura medidas necessárias para a proteção dos servidores do município. Se a sua unidade ainda não recebeu os equipamentos adequados ou se você ainda não recebeu orientações por parte das chefias, acesse o formulário e nos ajude a realizar a denúncia. Precisamos tornar público o descaso da Prefeitura e pedir providências para que a administração cumpra seu papel com os trabalhadores do município.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS