Sismac
  • 02 | 08 | 2016 - 21:33 Mobilização

    Ampliar a mobilização contra os ataques do governo e da Prefeitura

    Ampliar a mobilização contra os ataques do governo e da Prefeitura
    Magistério decide dar continuidade à luta no chão da escola

    O conjunto do magistério municipal de Curitiba definiu em assembleia ampliar a mobilização no chão da escola, com o envolvimento da comunidade, para barrar os ataques propostos pelo governo federal, que atingem toda a classe trabalhadora, e também pela administração do município, que afetam os servidores públicos e a população da cidade.

    A assembleia avaliou que a pressão exercida pelas professoras e professores da rede durante o recesso e nas primeiras semanas de aula surtiu efeito. A administração municipal cedeu ao ver a movimentação do magistério e reabriu parte dos contratos de RIT que haviam sido encerrados. Entretanto, sabemos que a luta está longe do fim.

    Por isso, o magistério sai da assembleia em Estado de Mobilização, ainda há falta de professores, salas superlotadas, péssimas condições de trabalho, entre outros problemas enfrentados no chão da escola.

    Demais encaminhamentos
    As professoras e professores da rede decidiram compor a Frente Nacional Contra o Projeto do Escola Sem Partido. Além disso, o magistério aprovou uma moção de repúdio à matéria do colunista Claudio de Moura Castro, publicada na Revista Veja, com o título “Professor ganha mal?”.

    Previdência
    O magistério também aprovou a realização de um seminário sobre o desmonte da previdência. O evento será realizado no dia 27 de agosto, na sede do SISMMAC (Rua Nunes Machado, 1577 – Rebouças).

  • 02 | 08 | 2016 - 21:33 Mobilização

    Ampliar a mobilização contra os ataques do governo e da Prefeitura

    Ampliar a mobilização contra os ataques do governo e da Prefeitura
    Magistério decide dar continuidade à luta no chão da escola

    O conjunto do magistério municipal de Curitiba definiu em assembleia ampliar a mobilização no chão da escola, com o envolvimento da comunidade, para barrar os ataques propostos pelo governo federal, que atingem toda a classe trabalhadora, e também pela administração do município, que afetam os servidores públicos e a população da cidade.

    A assembleia avaliou que a pressão exercida pelas professoras e professores da rede durante o recesso e nas primeiras semanas de aula surtiu efeito. A administração municipal cedeu ao ver a movimentação do magistério e reabriu parte dos contratos de RIT que haviam sido encerrados. Entretanto, sabemos que a luta está longe do fim.

    Por isso, o magistério sai da assembleia em Estado de Mobilização, ainda há falta de professores, salas superlotadas, péssimas condições de trabalho, entre outros problemas enfrentados no chão da escola.

    Demais encaminhamentos
    As professoras e professores da rede decidiram compor a Frente Nacional Contra o Projeto do Escola Sem Partido. Além disso, o magistério aprovou uma moção de repúdio à matéria do colunista Claudio de Moura Castro, publicada na Revista Veja, com o título “Professor ganha mal?”.

    Previdência
    O magistério também aprovou a realização de um seminário sobre o desmonte da previdência. O evento será realizado no dia 27 de agosto, na sede do SISMMAC (Rua Nunes Machado, 1577 – Rebouças).

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS