Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Representantes se reúnem dia 10 para organizar Campanha de Lutas
    03 | 04 | 2018 - 17:18 CR

    Representantes se reúnem dia 10 para organizar Campanha de Lutas

    Conselho de Representantes debaterá estratégias para cobrar início das negociações com a Prefeitura

    Na próxima terça-feira (10), o Conselho de Representantes do SISMMAC se reúne para avaliar e decidir os próximos passos da Campanha de Lutas deste ano. A reunião acontece em dois horários, às 8h15 e às 13h30, na sede do SISMMAC (Rua Nunes Machado, 1577 – Rebouças).

     O magistério entregou suas reivindicações à Prefeitura no dia 16 de março, mas até agora não foi marcada sequer uma reunião de negociação. Além de cobrar reajuste salarial e a revogação do pacotaço, o magistério também entregou uma lista com reivindicações emergenciais que dizem respeito aos problemas que ameaçam o funcionamento das unidades e exigem uma resposta rápida da administração.

    No topo da lista, está o problema generalizado da falta de professores e demais trabalhadores da educação. A situação é dramática, mas a Prefeitura parece não ver: ainda não nomeou os 500 profissionais de Docência I convocados no início do ano e ameaça deixar o concurso de Docência II caducar em abril sem ter chamado a lista de espera.

    O Conselho de Representantes vai debater estratégias para pressionar a Prefeitura a iniciar as negociações. Não deixe sua escola de fora dessa luta! Ajude a garantir a participação da sua unidade no CR. A força para enfrentar os ataques e cobrar avanços para a educação pública depende da nossa união!

    Conselho de Representantes também analisará o cenário nacional

    Como o cenário econômico e a turbulência política afetam os trabalhadores? As professoras e professores que representam suas escolas vão analisar a conjuntura brasileira e debater os impactos para a organização e resistência dos trabalhadores.

    A execução da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro, também coloca em discussão o tema da violência, sua relação com a desigualdade social. A violência também afeta as escolas em que trabalhamos, o bairro em que em vivemos. Por isso, é preciso pensar nas causas e refletir sobre as estratégias usadas pelo poder público para diminuir as estatísticas.

Imprimir
  • 03 | 04 | 2018 - 17:18 CR
    Representantes se reúnem dia 10 para organizar Campanha de Lutas

    Representantes se reúnem dia 10 para organizar Campanha de Lutas

    Conselho de Representantes debaterá estratégias para cobrar início das negociações com a Prefeitura

    Na próxima terça-feira (10), o Conselho de Representantes do SISMMAC se reúne para avaliar e decidir os próximos passos da Campanha de Lutas deste ano. A reunião acontece em dois horários, às 8h15 e às 13h30, na sede do SISMMAC (Rua Nunes Machado, 1577 – Rebouças).

     O magistério entregou suas reivindicações à Prefeitura no dia 16 de março, mas até agora não foi marcada sequer uma reunião de negociação. Além de cobrar reajuste salarial e a revogação do pacotaço, o magistério também entregou uma lista com reivindicações emergenciais que dizem respeito aos problemas que ameaçam o funcionamento das unidades e exigem uma resposta rápida da administração.

    No topo da lista, está o problema generalizado da falta de professores e demais trabalhadores da educação. A situação é dramática, mas a Prefeitura parece não ver: ainda não nomeou os 500 profissionais de Docência I convocados no início do ano e ameaça deixar o concurso de Docência II caducar em abril sem ter chamado a lista de espera.

    O Conselho de Representantes vai debater estratégias para pressionar a Prefeitura a iniciar as negociações. Não deixe sua escola de fora dessa luta! Ajude a garantir a participação da sua unidade no CR. A força para enfrentar os ataques e cobrar avanços para a educação pública depende da nossa união!

    Conselho de Representantes também analisará o cenário nacional

    Como o cenário econômico e a turbulência política afetam os trabalhadores? As professoras e professores que representam suas escolas vão analisar a conjuntura brasileira e debater os impactos para a organização e resistência dos trabalhadores.

    A execução da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro, também coloca em discussão o tema da violência, sua relação com a desigualdade social. A violência também afeta as escolas em que trabalhamos, o bairro em que em vivemos. Por isso, é preciso pensar nas causas e refletir sobre as estratégias usadas pelo poder público para diminuir as estatísticas.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS