Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Escola sofre segundo assalto a mão armada em menos de quatro meses
    18 | 08 | 2017 - 19:13 Informe-se

    Escola sofre segundo assalto a mão armada em menos de quatro meses

    Novo assalto na EM Araucária reforça importância de diagnosticar problemas da falta de segurança e cobrar soluções
    Um professor da Escola Municipal Araucária teve o carro roubado, a mão armada, na última quinta-feira (17). O assalto ocorreu em frente ao portão da unidade, no final da tarde, quando alguns alunos da tarde ainda aguardavam os pais e estudantes da Educação de Jovens e Adultos já começavam a chegar.

    É o segundo caso de assalto a mão armada vivido na E.M Araucária nos últimos quatro meses. Além da violência sofrida pelo professor, a situação deixa um profundo sentimento de insegurança que afeta toda a comunidade escolar.

    Ainda mais comuns do que os assaltos a mão armada, são os casos de invasão, furtos e vandalismo. As escolas municipais registraram 505 furtos entre janeiro e agosto deste ano, segundo dados da Secretaria Municipal de Educação. Na Escola Municipal Irati, por exemplo, oito TVs foram roubadas nos últimos meses.

    Há anos, o magistério reivindica que a Prefeitura desenvolva políticas públicas que combatam a violência e que garantam mais segurança às unidades de ensino.

    Entretanto, a administração municipal pouco fez para combater as raízes sociais da violência e também erra nas medidas pontuais que deveriam amenizar os sintomas desse problema social. As dificuldades com as empresas de segurança terceirizada e o corte da guarda municipal são exemplos de como a Prefeitura vem tratando com descaso a segurança e a vida dos trabalhadores e alunos das escolas públicas.

    Mesmo as escolas que funcionam no período da noite, como é o caso da Escola Municipal Araucária, não contam mais com um guarda municipal de plantão. Entre as reivindicações que compõem a Pauta do Magistério, está a garantia de permanência um guarda municipal por unidade escolar em todos os horários de funcionamento da unidade.

    Como está a segurança na sua escola e o que é possível fazer para melhorar a situação? A falta de segurança é um dos problemas que queremos diagnosticar com a campanha Escola Sem Filtro. Participe, faça o diagnóstico da sua unidade, envolva a comunidade nos problemas da escola e venha fazer parte dessa luta!

    Vamos acabar com o “jeitinho”, denunciar os problemas que afetam a qualidade do ensino e cobrar soluções da Prefeitura!

Imprimir
  • 18 | 08 | 2017 - 19:13 Informe-se
    Escola sofre segundo assalto a mão armada em menos de quatro meses

    Escola sofre segundo assalto a mão armada em menos de quatro meses

    Novo assalto na EM Araucária reforça importância de diagnosticar problemas da falta de segurança e cobrar soluções
    Um professor da Escola Municipal Araucária teve o carro roubado, a mão armada, na última quinta-feira (17). O assalto ocorreu em frente ao portão da unidade, no final da tarde, quando alguns alunos da tarde ainda aguardavam os pais e estudantes da Educação de Jovens e Adultos já começavam a chegar.

    É o segundo caso de assalto a mão armada vivido na E.M Araucária nos últimos quatro meses. Além da violência sofrida pelo professor, a situação deixa um profundo sentimento de insegurança que afeta toda a comunidade escolar.

    Ainda mais comuns do que os assaltos a mão armada, são os casos de invasão, furtos e vandalismo. As escolas municipais registraram 505 furtos entre janeiro e agosto deste ano, segundo dados da Secretaria Municipal de Educação. Na Escola Municipal Irati, por exemplo, oito TVs foram roubadas nos últimos meses.

    Há anos, o magistério reivindica que a Prefeitura desenvolva políticas públicas que combatam a violência e que garantam mais segurança às unidades de ensino.

    Entretanto, a administração municipal pouco fez para combater as raízes sociais da violência e também erra nas medidas pontuais que deveriam amenizar os sintomas desse problema social. As dificuldades com as empresas de segurança terceirizada e o corte da guarda municipal são exemplos de como a Prefeitura vem tratando com descaso a segurança e a vida dos trabalhadores e alunos das escolas públicas.

    Mesmo as escolas que funcionam no período da noite, como é o caso da Escola Municipal Araucária, não contam mais com um guarda municipal de plantão. Entre as reivindicações que compõem a Pauta do Magistério, está a garantia de permanência um guarda municipal por unidade escolar em todos os horários de funcionamento da unidade.

    Como está a segurança na sua escola e o que é possível fazer para melhorar a situação? A falta de segurança é um dos problemas que queremos diagnosticar com a campanha Escola Sem Filtro. Participe, faça o diagnóstico da sua unidade, envolva a comunidade nos problemas da escola e venha fazer parte dessa luta!

    Vamos acabar com o “jeitinho”, denunciar os problemas que afetam a qualidade do ensino e cobrar soluções da Prefeitura!

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS