Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Contratação insuficiente obriga escolas a funcionarem no improviso
    10 | 08 | 2017 - 15:44 Condições de Trabalho

    Contratação insuficiente obriga escolas a funcionarem no improviso

    Magistério não aceita ataque às condições de trabalho e inicia campanha para cobrar recuperação de escolas

    Apesar do sufoco causado pela falta de professores nas unidades de ensino, a Prefeitura mantém uma política de contratação a conta-gotas. Na manhã desta quinta-feira (10), a administração divulgou edital de convocação de 24 professores de Docência I.

    O número não atende a real necessidade das escolas e está muito longe do que foi prometido pelo prefeito em fevereiro, antes do início das aulas. Na ocasião, Greca prometeu contratar 566 professores para as séries iniciais do ensino fundamental.

    Em fevereiro, a promessa era contratar 700 trabalhadores da educação, mas até agora só foram convocados 113. Além da convocação desses 24 profissionais de Docência I, Greca também convocou 75 professores de educação infantil e nomeou apenas 14 professores de Educação Física.

    A última nomeação de professores de Docência I e de profissionais de Educação Física ocorreu em agosto de 2014. São três anos sem uma política permanente de reposição de aposentadorias e exonerações.

    A demora para efetivar as contratações prometidas há seis meses prejudica a qualidade da educação, aumenta a sobrecarga e a pressão nas unidades
    , que sofrem inclusive com a ameaça de redução da hora-atividade.

    Com a convocação de um número tão baixo de professores, Greca manda uma mensagem para as escolas. Quer que as unidades continuem encontrando soluções temporárias, ‘jeitinhos’ para manter o serviço funcionando, sem se preocupar com a sobrecarga que isso representa para os trabalhadores, nem com a qualidade da educação que é ofertada às crianças.

    SISMMAC cobra negociação


    A direção do Sindicato já enviou ofício cobrando uma reunião com a Prefeitura para tratar das contratações e dos problemas gerados pela falta de professores nas unidades. Além do aumento da sobrecarga, as professoras e professores enfrentam a ameaça de fechamento de turmas, corte na liberação das merecidas licenças-prêmio e nas vagas de Regime Integral de Trabalho (RIT) para substituir afastamentos.

    Escola Sem Filtro


    A falta de professores é um dos problemas que vamos enfrentar coletivamente com a campanha Escola Sem Filtro. Reúna os colegas de escola e faça o levantamento das vagas que estão descobertas na sua unidade. O diagnóstico completo de todos os problemas enfrentados é o primeiro passo para exigir um Plano de Recuperação para a Educação de Curitiba!

    Enquanto construímos esse Plano de Recuperação nas escolas, avançamos também no fim do famoso “jeitinho” usado para maquiar a falta de pessoal e de investimentos. Vamos cobrar com ainda mais rigor que a leis sejam cumpridas e que sejam garantidas condições para o funcionamento da escola.
Imprimir
  • 10 | 08 | 2017 - 15:44 Condições de Trabalho
    Contratação insuficiente obriga escolas a funcionarem no improviso

    Contratação insuficiente obriga escolas a funcionarem no improviso

    Magistério não aceita ataque às condições de trabalho e inicia campanha para cobrar recuperação de escolas

    Apesar do sufoco causado pela falta de professores nas unidades de ensino, a Prefeitura mantém uma política de contratação a conta-gotas. Na manhã desta quinta-feira (10), a administração divulgou edital de convocação de 24 professores de Docência I.

    O número não atende a real necessidade das escolas e está muito longe do que foi prometido pelo prefeito em fevereiro, antes do início das aulas. Na ocasião, Greca prometeu contratar 566 professores para as séries iniciais do ensino fundamental.

    Em fevereiro, a promessa era contratar 700 trabalhadores da educação, mas até agora só foram convocados 113. Além da convocação desses 24 profissionais de Docência I, Greca também convocou 75 professores de educação infantil e nomeou apenas 14 professores de Educação Física.

    A última nomeação de professores de Docência I e de profissionais de Educação Física ocorreu em agosto de 2014. São três anos sem uma política permanente de reposição de aposentadorias e exonerações.

    A demora para efetivar as contratações prometidas há seis meses prejudica a qualidade da educação, aumenta a sobrecarga e a pressão nas unidades
    , que sofrem inclusive com a ameaça de redução da hora-atividade.

    Com a convocação de um número tão baixo de professores, Greca manda uma mensagem para as escolas. Quer que as unidades continuem encontrando soluções temporárias, ‘jeitinhos’ para manter o serviço funcionando, sem se preocupar com a sobrecarga que isso representa para os trabalhadores, nem com a qualidade da educação que é ofertada às crianças.

    SISMMAC cobra negociação


    A direção do Sindicato já enviou ofício cobrando uma reunião com a Prefeitura para tratar das contratações e dos problemas gerados pela falta de professores nas unidades. Além do aumento da sobrecarga, as professoras e professores enfrentam a ameaça de fechamento de turmas, corte na liberação das merecidas licenças-prêmio e nas vagas de Regime Integral de Trabalho (RIT) para substituir afastamentos.

    Escola Sem Filtro


    A falta de professores é um dos problemas que vamos enfrentar coletivamente com a campanha Escola Sem Filtro. Reúna os colegas de escola e faça o levantamento das vagas que estão descobertas na sua unidade. O diagnóstico completo de todos os problemas enfrentados é o primeiro passo para exigir um Plano de Recuperação para a Educação de Curitiba!

    Enquanto construímos esse Plano de Recuperação nas escolas, avançamos também no fim do famoso “jeitinho” usado para maquiar a falta de pessoal e de investimentos. Vamos cobrar com ainda mais rigor que a leis sejam cumpridas e que sejam garantidas condições para o funcionamento da escola.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS