Sismac

Notícias | Além dos muros da escola

Imprimir
  • Após um ano, servidores voltam às ruas para protestar pelo 29 de abril
    27 | 04 | 2016 - 09:35 Mobilização

    Após um ano, servidores voltam às ruas para protestar pelo 29 de abril

    Ato denuncia a violenta repressão imposta pelo governador Beto Richa em 29 de abril de 2015, que deixou mais 200 feridos

    Os servidores estaduais preparam uma grande manifestação para próxima sexta-feira (29). Após um ano da violenta repressão que marcou a história do Paraná, servidores de diversas categorias cruzam os braços em paralisação e voltam às ruas para protestar.

    Relembre a solidariedade do Magistério de Curitiba aos professores e servidores estaduais do Paraná

    Muitas professoras e professores da rede municipal trabalharam vestidos de preto no dia 30 de abril de 2015, em solidariedade aos servidores estaduais do Paraná que foram brutalmente agredidos, à mando do governador Beto Richa (PSDB), no dia 29.

    Veja as fotos e relembre como foi a mobilização do magistério nesse dia!
    Leia a notícia completa
    O objetivo do ato, que tem concentração marcada para às 8h30, na Praça Santos Andrade, é homenagear o intenso processo de lutas do ano passado e cobrar as reivindicações que não foram atendidas. É também uma forma de denunciar o desrespeito e violência cometidos no dia 29 de abril de 2015, data que entrou para a história de forma trágica quando a repressão da Polícia Militar, a mando do governador Beto Richa (PSDB), deixou mais de 200 feridos.

    A direção do SISMMAC participará da manifestação em apoio a luta dos servidores estaduais. As professoras e professores da rede municipal também podem demonstrar sua solidariedade ativa de classe aos colegas da rede estadual.

    Vamos mostrar que o magistério de Curitiba não esqueceu a arbitrariedade cometida pelo governador Beto Richa contra os servidores no ano passado! Mostre seu apoio através do envio de foto em solidariedade, como fizemos no ano passado, ou da participação na manifestação de sexta-feira.

    29 de abril é um dia de luta das trabalhadoras e trabalhadores paranaenses!

    É dia de homenagear os bravos lutadores que resistiram até o último momento, com greve e mobilização, aos ataques impostos pelo governo contra seu direito à aposentadoria!

    É dia de exigir justiça para os 213 feridos covardemente pela Polícia Militar no dia 29 de abril

    É dia de manifestar para os governantes, parlamentares e empresários que os trabalhadores não aceitam qualquer tentativa de retirada de direitos e vão resistir às propostas que preveem

    O 29 de abril, assim como 1º de maio e outras datas históricas da classe trabalhadora, deve ser marcado como um dia de protestos no qual os trabalhadores homenageiam a história de luta que passou e reafirmam um futuro de resistência em defesa de direitos e por uma sociedade livre da exploração. Não podemos aceitar que entidades oportunistas, como a Força Sindical, tentem mascarar o verdadeiro caráter dessas datas com shows e sorteios.

    Relembre o que ocorreu no dia 29 de abril

    Para garantir que a mudança na previdência dos servidores estaduais fosse aprovada a qualquer custo, Beto Richa armou um cenário de guerra no Centro Cívico no dia 29 de abril de 2015. Bombas de efeito moral, gás lacrimogênio, spray de pimenta e balas de borracha foram atiradas incessantemente contra os servidores por mais de duas horas, deixando 213 feridos.

    A aprovação desse projeto de lei, que já foi sancionado pelo governador em tempo recorde, permitiu que o governo sacasse R$ 1,5 bilhão da poupança acumulada para pagar as futuras aposentadorias. Na prática, a medida coloca em risco o futuro de milhares de servidores com o objetivo de liberar mais recursos para investir em projetos que beneficiam empreiteiras e grandes empresários.




  • 27 | 04 | 2016 - 09:35 Mobilização
    Após um ano, servidores voltam às ruas para protestar pelo 29 de abril

    Após um ano, servidores voltam às ruas para protestar pelo 29 de abril

    Ato denuncia a violenta repressão imposta pelo governador Beto Richa em 29 de abril de 2015, que deixou mais 200 feridos

    Os servidores estaduais preparam uma grande manifestação para próxima sexta-feira (29). Após um ano da violenta repressão que marcou a história do Paraná, servidores de diversas categorias cruzam os braços em paralisação e voltam às ruas para protestar.

    Relembre a solidariedade do Magistério de Curitiba aos professores e servidores estaduais do Paraná

    Muitas professoras e professores da rede municipal trabalharam vestidos de preto no dia 30 de abril de 2015, em solidariedade aos servidores estaduais do Paraná que foram brutalmente agredidos, à mando do governador Beto Richa (PSDB), no dia 29.

    Veja as fotos e relembre como foi a mobilização do magistério nesse dia!
    Leia a notícia completa
    O objetivo do ato, que tem concentração marcada para às 8h30, na Praça Santos Andrade, é homenagear o intenso processo de lutas do ano passado e cobrar as reivindicações que não foram atendidas. É também uma forma de denunciar o desrespeito e violência cometidos no dia 29 de abril de 2015, data que entrou para a história de forma trágica quando a repressão da Polícia Militar, a mando do governador Beto Richa (PSDB), deixou mais de 200 feridos.

    A direção do SISMMAC participará da manifestação em apoio a luta dos servidores estaduais. As professoras e professores da rede municipal também podem demonstrar sua solidariedade ativa de classe aos colegas da rede estadual.

    Vamos mostrar que o magistério de Curitiba não esqueceu a arbitrariedade cometida pelo governador Beto Richa contra os servidores no ano passado! Mostre seu apoio através do envio de foto em solidariedade, como fizemos no ano passado, ou da participação na manifestação de sexta-feira.

    29 de abril é um dia de luta das trabalhadoras e trabalhadores paranaenses!

    É dia de homenagear os bravos lutadores que resistiram até o último momento, com greve e mobilização, aos ataques impostos pelo governo contra seu direito à aposentadoria!

    É dia de exigir justiça para os 213 feridos covardemente pela Polícia Militar no dia 29 de abril

    É dia de manifestar para os governantes, parlamentares e empresários que os trabalhadores não aceitam qualquer tentativa de retirada de direitos e vão resistir às propostas que preveem

    O 29 de abril, assim como 1º de maio e outras datas históricas da classe trabalhadora, deve ser marcado como um dia de protestos no qual os trabalhadores homenageiam a história de luta que passou e reafirmam um futuro de resistência em defesa de direitos e por uma sociedade livre da exploração. Não podemos aceitar que entidades oportunistas, como a Força Sindical, tentem mascarar o verdadeiro caráter dessas datas com shows e sorteios.

    Relembre o que ocorreu no dia 29 de abril

    Para garantir que a mudança na previdência dos servidores estaduais fosse aprovada a qualquer custo, Beto Richa armou um cenário de guerra no Centro Cívico no dia 29 de abril de 2015. Bombas de efeito moral, gás lacrimogênio, spray de pimenta e balas de borracha foram atiradas incessantemente contra os servidores por mais de duas horas, deixando 213 feridos.

    A aprovação desse projeto de lei, que já foi sancionado pelo governador em tempo recorde, permitiu que o governo sacasse R$ 1,5 bilhão da poupança acumulada para pagar as futuras aposentadorias. Na prática, a medida coloca em risco o futuro de milhares de servidores com o objetivo de liberar mais recursos para investir em projetos que beneficiam empreiteiras e grandes empresários.




Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS