Sismac

Notícias | Negociações

Imprimir
  • SISMMAC exige esclarecimentos da Prefeitura sobre reposição
    09 | 11 | 2018 - 14:00 Negociações

    SISMMAC exige esclarecimentos da Prefeitura sobre reposição

    Administração não pode descontar salário de quem repôs e de quem os núcleos regionais não convocaram para a reposição

    Na última terça-feira (6) a direção do SISMMAC enviou ofício à Prefeitura cobrando providências em relação à reposição das greves de 2017. O documento solicita a realização de uma reunião e exige esclarecimento da administração quanto à orientação que tem chegado às escolas junto de planilhas com nomes de professores sob alegação que não fizeram a reposição da greve em 2017.

    A Prefeitura exigiu que as professoras e professores só participassem da reposição se fossem convocados pelos Núcleos Regionais, que organizaram o processo e guardaram as listas de presença. Agora, um ano depois, a administração enviou listagem às escolas, pedindo que os profissionais do magistério comprovem que fizeram a reposição, sob a ameaça de desconto e de terem a falta do dia lançada novamente na ficha funcional.

    A exigência é absurda, pois cabe a Prefeitura verificar se os profissionais foram convocados e se participaram da reposição.

    A administração só pode realizar o desconto de quem recebeu a convocação do dia da reposição e escolheu, conscientemente, não repor e arcar com os descontos. Esse é o caso de quem foi chamado para repor em uma escola e data determinada, mas optou por não participar.

    DENÚNCIAS SOBRE AS LISTAS:

    >> Professores que participaram da reposição

    Chegou denúncia ao Sindicato de que professoras e professores que participaram da reposição aparecem na listagem por algum problema de falta de organização e de controle da administração.

    Por causa da forma como a Prefeitura organizou o processo, muitos professores não têm como comprovar que participaram da reposição. As listas de presença, documentos que serviriam como prova neste caso, foram enviadas aos Núcleos Regionais .

    >> Professores que não foram convocados

    Esse caso diz respeito à situação das professoras e professores que não foram convocados para repor todos os dias de greve. A instrução normativa lançada pela Prefeitura em setembro de 2017 proibia expressamente a reposição de qualquer profissional cujo nome não constasse nas listas elaboradas pelos Núcleos Regionais.

    As professoras e professores não tinham autonomia para organizar a própria reposição. É inadmissível que a Prefeitura imponha qualquer desconto sem comprovar que esses profissionais foram convocados em algum momento.

    É importante ressaltar que na época da reposição muitas professoras e professores, por orientação do SISMMAC, entraram em contato com os Núcleos Regionais para pedir orientação e comunicar que não foram convocados.

    >> Professores com afastamento legal

    Outra situação é dos professores que estavam com afastamento legal durante os dias da reposição. Nesses casos, a administração fez a convocação desses profissionais para reposição no segundo semestre deste ano. Quem se encontra nessa situação e não recebeu a convocação deve informar por e-mail ao núcleo regional responsável. Qualquer falha de organização é responsabilidade dos núcleos não pode existir qualquer ônus aos professores.

    Relação completa

    Além da realização da reunião, a direção do SISMMAC também cobrou no ofício a relação completa dos profissionais que supostamente não realizaram a reposição, discriminada por nome, matrícula, escola de lotação, regional e dias de suposta ausência de reposição antes que se tome qualquer medida que comprometa o salário dos servidores.

  • 09 | 11 | 2018 - 14:00 Negociações
    SISMMAC exige esclarecimentos da Prefeitura sobre reposição

    SISMMAC exige esclarecimentos da Prefeitura sobre reposição

    Administração não pode descontar salário de quem repôs e de quem os núcleos regionais não convocaram para a reposição

    Na última terça-feira (6) a direção do SISMMAC enviou ofício à Prefeitura cobrando providências em relação à reposição das greves de 2017. O documento solicita a realização de uma reunião e exige esclarecimento da administração quanto à orientação que tem chegado às escolas junto de planilhas com nomes de professores sob alegação que não fizeram a reposição da greve em 2017.

    A Prefeitura exigiu que as professoras e professores só participassem da reposição se fossem convocados pelos Núcleos Regionais, que organizaram o processo e guardaram as listas de presença. Agora, um ano depois, a administração enviou listagem às escolas, pedindo que os profissionais do magistério comprovem que fizeram a reposição, sob a ameaça de desconto e de terem a falta do dia lançada novamente na ficha funcional.

    A exigência é absurda, pois cabe a Prefeitura verificar se os profissionais foram convocados e se participaram da reposição.

    A administração só pode realizar o desconto de quem recebeu a convocação do dia da reposição e escolheu, conscientemente, não repor e arcar com os descontos. Esse é o caso de quem foi chamado para repor em uma escola e data determinada, mas optou por não participar.

    DENÚNCIAS SOBRE AS LISTAS:

    >> Professores que participaram da reposição

    Chegou denúncia ao Sindicato de que professoras e professores que participaram da reposição aparecem na listagem por algum problema de falta de organização e de controle da administração.

    Por causa da forma como a Prefeitura organizou o processo, muitos professores não têm como comprovar que participaram da reposição. As listas de presença, documentos que serviriam como prova neste caso, foram enviadas aos Núcleos Regionais .

    >> Professores que não foram convocados

    Esse caso diz respeito à situação das professoras e professores que não foram convocados para repor todos os dias de greve. A instrução normativa lançada pela Prefeitura em setembro de 2017 proibia expressamente a reposição de qualquer profissional cujo nome não constasse nas listas elaboradas pelos Núcleos Regionais.

    As professoras e professores não tinham autonomia para organizar a própria reposição. É inadmissível que a Prefeitura imponha qualquer desconto sem comprovar que esses profissionais foram convocados em algum momento.

    É importante ressaltar que na época da reposição muitas professoras e professores, por orientação do SISMMAC, entraram em contato com os Núcleos Regionais para pedir orientação e comunicar que não foram convocados.

    >> Professores com afastamento legal

    Outra situação é dos professores que estavam com afastamento legal durante os dias da reposição. Nesses casos, a administração fez a convocação desses profissionais para reposição no segundo semestre deste ano. Quem se encontra nessa situação e não recebeu a convocação deve informar por e-mail ao núcleo regional responsável. Qualquer falha de organização é responsabilidade dos núcleos não pode existir qualquer ônus aos professores.

    Relação completa

    Além da realização da reunião, a direção do SISMMAC também cobrou no ofício a relação completa dos profissionais que supostamente não realizaram a reposição, discriminada por nome, matrícula, escola de lotação, regional e dias de suposta ausência de reposição antes que se tome qualquer medida que comprometa o salário dos servidores.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS