Sismac
  • 07 | 04 | 2020 - 11:20 Informe-se

    43% das escolas de Curitiba trabalha com falta de inspetores

    43% das escolas de Curitiba trabalha com falta de inspetores
    Falta de auxiliares de serviços escolares afeta a qualidade de ensino e causa sobrecarga de trabalho aos servidores

    Em Curitiba, 43% das escolas municipais trabalham com falta de auxiliares de serviços escolares. Esse é um dos dados preocupantes divulgados pela Prefeitura na última sexta-feira (3). Os documentos apontam também a falta de mais de 160 trabalhadores, sendo que 19 unidades funcionam com menos na metade do quadro de trabalhadores. Esse número de profissionais é ainda maior considerando a falta de professores na rede.

    A falta de auxiliares é um problema que tem se arrastado nas escolas desde o ano passado. Diante da situação crítica na época, os sindicatos SISMUC e SISMMAC solicitaram à Prefeitura, em julho de 2019, dados oficiais sobre o quadro de profissionais nas unidades de ensino de Curitiba. No entanto, nunca houve uma resposta. Somente agora, atendendo ao pedido da vereadora Maria Letícia, a gestão forneceu os dados.

    Vale lembrar que os cálculos da prefeitura são feitos considerando o dimensionamento de um profissional a cada 150 alunos, que se trata de um número bastante elevado em relação a atenção necessária que os inspetores devem dar às crianças. Areivindicaçãoda categoria, nunca atendida pela administração, e de 90 alunos por profissional.

    Você pode conferir os documentos no box ao lado.

    Descaso da Prefeitura 

    A resposta da Prefeitura em relação à falta de trabalhadores evidencia ainda mais o descaso da gestão Greca com as condições de trabalho e qualidade de ensino. De acordo com o documento enviado pela administração, a Secretaria Municipal de Educação (SME) autorizou a execução de horas extras para que os servidores atendam à demanda. Isso é um absurdo! A verdadeira solução é a realização de concursos públicos para a Prefeitura garantir o número de trabalhadores adequado para cada unidade.

    A falta de auxiliares escolares, além comprometer a qualidade de ensino aos estudantes, causa desvio de função e, consequentemente, sobrecarga de trabalho. No CEI Olívio Sabóia, onde ocorreu uma panfletagem para denunciar a falta de profissionais em março deste ano, faltam oito profissionais, e quatro desses são cargos de auxiliares de serviços escolares.

    Outro caso crítico é o CEI Professora Lina Maria Martins Moreira, que enfrenta a falta de cinco profissionais, ou seja, 83% do quadro de auxiliares de serviços escolares. Atualmente nessa unidade, um auxiliar sozinho realiza o trabalho de seis profissionais.

    Toda essa situação é consequência da postura que o desprefeito Rafael Greca assumiu de tratar as unidades escolares como depósito de crianças, sem ter a educação como prioridade na gestão.

  • 07 | 04 | 2020 - 11:20 Informe-se

    43% das escolas de Curitiba trabalha com falta de inspetores

    43% das escolas de Curitiba trabalha com falta de inspetores
    Falta de auxiliares de serviços escolares afeta a qualidade de ensino e causa sobrecarga de trabalho aos servidores

    Em Curitiba, 43% das escolas municipais trabalham com falta de auxiliares de serviços escolares. Esse é um dos dados preocupantes divulgados pela Prefeitura na última sexta-feira (3). Os documentos apontam também a falta de mais de 160 trabalhadores, sendo que 19 unidades funcionam com menos na metade do quadro de trabalhadores. Esse número de profissionais é ainda maior considerando a falta de professores na rede.

    A falta de auxiliares é um problema que tem se arrastado nas escolas desde o ano passado. Diante da situação crítica na época, os sindicatos SISMUC e SISMMAC solicitaram à Prefeitura, em julho de 2019, dados oficiais sobre o quadro de profissionais nas unidades de ensino de Curitiba. No entanto, nunca houve uma resposta. Somente agora, atendendo ao pedido da vereadora Maria Letícia, a gestão forneceu os dados.

    Vale lembrar que os cálculos da prefeitura são feitos considerando o dimensionamento de um profissional a cada 150 alunos, que se trata de um número bastante elevado em relação a atenção necessária que os inspetores devem dar às crianças. Areivindicaçãoda categoria, nunca atendida pela administração, e de 90 alunos por profissional.

    Você pode conferir os documentos no box ao lado.

    Descaso da Prefeitura 

    A resposta da Prefeitura em relação à falta de trabalhadores evidencia ainda mais o descaso da gestão Greca com as condições de trabalho e qualidade de ensino. De acordo com o documento enviado pela administração, a Secretaria Municipal de Educação (SME) autorizou a execução de horas extras para que os servidores atendam à demanda. Isso é um absurdo! A verdadeira solução é a realização de concursos públicos para a Prefeitura garantir o número de trabalhadores adequado para cada unidade.

    A falta de auxiliares escolares, além comprometer a qualidade de ensino aos estudantes, causa desvio de função e, consequentemente, sobrecarga de trabalho. No CEI Olívio Sabóia, onde ocorreu uma panfletagem para denunciar a falta de profissionais em março deste ano, faltam oito profissionais, e quatro desses são cargos de auxiliares de serviços escolares.

    Outro caso crítico é o CEI Professora Lina Maria Martins Moreira, que enfrenta a falta de cinco profissionais, ou seja, 83% do quadro de auxiliares de serviços escolares. Atualmente nessa unidade, um auxiliar sozinho realiza o trabalho de seis profissionais.

    Toda essa situação é consequência da postura que o desprefeito Rafael Greca assumiu de tratar as unidades escolares como depósito de crianças, sem ter a educação como prioridade na gestão.

Notícias Relacionadas

Nenhum registro encontrado.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS