Sismac

Notícias | Negociações

Imprimir
  • Mesmo após anúncio na mídia, Prefeitura se nega a debater pacotaço
    27 | 03 | 2017 - 13:25 Negociação

    Mesmo após anúncio na mídia, Prefeitura se nega a debater pacotaço

    Administração desrespeita o conjunto dos servidores ao esvaziar a negociação, enquanto faz anúncios diários na imprensa
    A farsa da Prefeitura nas negociações com o magistério chegou ao limite nesta segunda-feira (27). Após ter feito um novo anúncio na imprensa sobre o pacote de ajuste fiscal, a equipe do prefeito Rafael Greca se recusou a apresentar detalhes sobre a proposta de suspender do Plano de Carreira e adiar o pagamento da data-base.

    Um dos projetos que compõe o pacote de ajuste fiscal trata especificamente dos direitos dos servidores públicos. Segundo
    matéria publicada hoje pelo jornal Gazeta do Povo, entre os ataques previstos estão a mudança da data-base, a suspensão dos planos de carreira, o fim da licença-prêmio para os novos servidores e a mudança no cálculo do pagamento do 13º salário.

    Os representantes da administração alegam que só podem debater o conteúdo dos ataques após o pacote ser finalizado e enviado à Câmara Municipal, o que deve ocorrer ainda nesta semana. Na prática, a
    Prefeitura desrespeita o conjunto dos servidores ao substituir o espaço da negociação pelos anúncios diários na mídia.

    O magistério de Curitiba não aceitará qualquer proposta de retirada de direitos
    . Na próxima quinta-feira (30), em assembleia, vamos reunir a categoria para avaliar os ataques da administração e decidir os próximos passos da luta por nenhum direito a menos!

    Novos professores podem ser contratados sem licença-prêmio e com fundo de previdência complementar

    A administração voltou a sinalizar que a contratação de novos professores ocorrerá apenas no início do segundo semestre.

    Os representantes do magistério questionaram se a intenção da administração é nomear esses novos profissionais apenas se o ajuste fiscal for aprovado na Câmara para que os novos servidores não tenham direito à licença-prêmio e entrem já com o regime de previdência complementar. Entretanto, a Prefeitura desconversou e alegou que a demora é motivada pelos trâmites normais do processo.

    Após a cobrança da direção do SISMMAC, a Prefeitura confirmou que garantirá liberação de RIT para todas as escolas que precisarem. Entretanto, a distribuição continuará seguindo o critério imposto no início do ano: 50% indicado pelas direções e 50% do banco criado com as professoras e professores com menos tempo de serviço e salários mais baixos.

    Reposição

    A Prefeitura reafirmou que fará o desconto e registrará a falta dos dias 16, 21, 22, 23 e 24 de março. De forma intransigente, não aceitaram negociar a proposta do magistério e afirmaram que publicarão uma portaria com os dias e critérios para a compensação. Mesmo se as professoras e professores fizerem a reposição, não receberão todos os valores descontados. A administração pretende pagar apenas pelo dia trabalhado, sem devolver as gratificações e o descanso semanal remunerado.

    Segundo a administração, a reposição será ofertada nas unidades que não garantiram o dia letivo, mas não quiseram apresentar os critérios que serão utilizados para definir se o dia letivo foi ou não garantido. A direção do SISMMAC cobrou que as informações dessa portariam sejam apresentadas antes da assembleia do próximo dia 30 de março.
Imprimir
  • 27 | 03 | 2017 - 13:25 Negociação
    Mesmo após anúncio na mídia, Prefeitura se nega a debater pacotaço

    Mesmo após anúncio na mídia, Prefeitura se nega a debater pacotaço

    Administração desrespeita o conjunto dos servidores ao esvaziar a negociação, enquanto faz anúncios diários na imprensa
    A farsa da Prefeitura nas negociações com o magistério chegou ao limite nesta segunda-feira (27). Após ter feito um novo anúncio na imprensa sobre o pacote de ajuste fiscal, a equipe do prefeito Rafael Greca se recusou a apresentar detalhes sobre a proposta de suspender do Plano de Carreira e adiar o pagamento da data-base.

    Um dos projetos que compõe o pacote de ajuste fiscal trata especificamente dos direitos dos servidores públicos. Segundo
    matéria publicada hoje pelo jornal Gazeta do Povo, entre os ataques previstos estão a mudança da data-base, a suspensão dos planos de carreira, o fim da licença-prêmio para os novos servidores e a mudança no cálculo do pagamento do 13º salário.

    Os representantes da administração alegam que só podem debater o conteúdo dos ataques após o pacote ser finalizado e enviado à Câmara Municipal, o que deve ocorrer ainda nesta semana. Na prática, a
    Prefeitura desrespeita o conjunto dos servidores ao substituir o espaço da negociação pelos anúncios diários na mídia.

    O magistério de Curitiba não aceitará qualquer proposta de retirada de direitos
    . Na próxima quinta-feira (30), em assembleia, vamos reunir a categoria para avaliar os ataques da administração e decidir os próximos passos da luta por nenhum direito a menos!

    Novos professores podem ser contratados sem licença-prêmio e com fundo de previdência complementar

    A administração voltou a sinalizar que a contratação de novos professores ocorrerá apenas no início do segundo semestre.

    Os representantes do magistério questionaram se a intenção da administração é nomear esses novos profissionais apenas se o ajuste fiscal for aprovado na Câmara para que os novos servidores não tenham direito à licença-prêmio e entrem já com o regime de previdência complementar. Entretanto, a Prefeitura desconversou e alegou que a demora é motivada pelos trâmites normais do processo.

    Após a cobrança da direção do SISMMAC, a Prefeitura confirmou que garantirá liberação de RIT para todas as escolas que precisarem. Entretanto, a distribuição continuará seguindo o critério imposto no início do ano: 50% indicado pelas direções e 50% do banco criado com as professoras e professores com menos tempo de serviço e salários mais baixos.

    Reposição

    A Prefeitura reafirmou que fará o desconto e registrará a falta dos dias 16, 21, 22, 23 e 24 de março. De forma intransigente, não aceitaram negociar a proposta do magistério e afirmaram que publicarão uma portaria com os dias e critérios para a compensação. Mesmo se as professoras e professores fizerem a reposição, não receberão todos os valores descontados. A administração pretende pagar apenas pelo dia trabalhado, sem devolver as gratificações e o descanso semanal remunerado.

    Segundo a administração, a reposição será ofertada nas unidades que não garantiram o dia letivo, mas não quiseram apresentar os critérios que serão utilizados para definir se o dia letivo foi ou não garantido. A direção do SISMMAC cobrou que as informações dessa portariam sejam apresentadas antes da assembleia do próximo dia 30 de março.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS