Sismac

Notícias | Além dos muros da escola

Imprimir
  • Servidores de Porto Alegre conseguem barrar retirada de direitos
    01 | 06 | 2017 - 15:21 Além dos muros da escola

    Servidores de Porto Alegre conseguem barrar retirada de direitos

    Prefeito foi obrigado a interromper tramitação de projeto que atrelava data-base da categoria ao caixa da Prefeitura

    Os servidores municipais de Porto Alegre conquistaram uma importante vitória na tarde de ontem (31). Após pressão, o prefeito Nelson Marchezan Jr. retirou da tramitação o projeto de lei pretendia vincular a reposição da inflação no salário dos funcionários públicos municipais ao fluxo de caixa da Prefeitura.

    O governo da cidade tentou manipular a plenária e usou de manobras para adiar a votação quando percebeu que não teria votos suficientes para aprovar o projeto, mas a pressão dos servidores foi mais forte.

    As desculpas dadas pela administração municipal de Porto Alegre são as mesmas que ouvimos por aqui. “A folha salarial de servidores públicos não cabe na realidade do município”. Da mesma forma que ocorre em Curitiba, o prefeito da capital gaúcha também maquiou os dados anunciados na imprensa para “provar” que o projeto era necessário para recuperação das contas da cidade.

    Com a retirado do projeto da data-base da tramitação, Marchezan já anunciou que deverá propor parcelamento dos salários dos servidores.

    A intenção da Prefeitura de Porto Alegre é continuar a série de ataques e, além do parcelamento dos salários, o próximo alvo é a previdência dos servidores. O projeto de lei da administração da cidade gaúcha que ataca a aposentadoria dos servidores é idêntico ao do prefeito Rafael Greca. A proposta prevê o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%.

    Mais uma vez, os trabalhadores mostraram que com resistência, união e mobilização é possível pressionar governos e parlamentares. Agora, os servidores municipais de Porto Alegre continuarão em luta contra os demais ataques já anunciados pela Prefeitura.

Imprimir
  • 01 | 06 | 2017 - 15:21 Além dos muros da escola
    Servidores de Porto Alegre conseguem barrar retirada de direitos

    Servidores de Porto Alegre conseguem barrar retirada de direitos

    Prefeito foi obrigado a interromper tramitação de projeto que atrelava data-base da categoria ao caixa da Prefeitura

    Os servidores municipais de Porto Alegre conquistaram uma importante vitória na tarde de ontem (31). Após pressão, o prefeito Nelson Marchezan Jr. retirou da tramitação o projeto de lei pretendia vincular a reposição da inflação no salário dos funcionários públicos municipais ao fluxo de caixa da Prefeitura.

    O governo da cidade tentou manipular a plenária e usou de manobras para adiar a votação quando percebeu que não teria votos suficientes para aprovar o projeto, mas a pressão dos servidores foi mais forte.

    As desculpas dadas pela administração municipal de Porto Alegre são as mesmas que ouvimos por aqui. “A folha salarial de servidores públicos não cabe na realidade do município”. Da mesma forma que ocorre em Curitiba, o prefeito da capital gaúcha também maquiou os dados anunciados na imprensa para “provar” que o projeto era necessário para recuperação das contas da cidade.

    Com a retirado do projeto da data-base da tramitação, Marchezan já anunciou que deverá propor parcelamento dos salários dos servidores.

    A intenção da Prefeitura de Porto Alegre é continuar a série de ataques e, além do parcelamento dos salários, o próximo alvo é a previdência dos servidores. O projeto de lei da administração da cidade gaúcha que ataca a aposentadoria dos servidores é idêntico ao do prefeito Rafael Greca. A proposta prevê o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%.

    Mais uma vez, os trabalhadores mostraram que com resistência, união e mobilização é possível pressionar governos e parlamentares. Agora, os servidores municipais de Porto Alegre continuarão em luta contra os demais ataques já anunciados pela Prefeitura.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS