Sismac
  • 03 | 12 | 2021 - 13:48 Plano de Carreira

    Novo congelamento e aporte à CuritibaPrev serão votados no dia 7

    Novo congelamento e aporte à CuritibaPrev serão votados no dia 7
    A direção do SISMMAC convida o conjunto do magistério a se somar ao ato às 8h, na Câmara Municipal

    Na próxima terça-feira (7), a base aliada de Greca na Câmara Municipal tentará aprovar a toque de caixa o projeto de lei que prorroga o congelamento dos planos de carreira até dezembro de 2023 e a proposta que concede um novo aporte de R$ 6 milhões para a CuritibaPrev.

    Os requerimentos de regime de urgência foram apresentados pelo líder do governo, Pier Petruzziello (PTB), com o apoio de 13 vereadores, e aprovados na última quarta-feira (1º). Com a aprovação do tratoraço, as comissões permanentes da Câmara têm apenas três dias úteis para se manifestar.

    A direção do SISMMAC convida o conjunto do magistério a acompanhar a votação com ato a partir das 8h, em frente à Câmara Municipal.

    Com o regime de urgência, Greca e sua base aliada apelam novamente para um mecanismo antidemocrático para evitar o debate e aprovar medidas que retiram direitos das servidoras e servidores na base do atropelo. A tramitação acelerada dessas duas propostas também escancara o discurso contraditório da gestão sobre as contas do município. Esbanjam recursos públicos em auxílio para os empresários milionários do transporte coletivo que alegam que tiveram prejuízo na pandemia, enquanto se recusam a respeitar os direitos e valorizar as servidoras e servidores que garantem o acesso da população a direitos sociais.

    Greca quer mais dois anos de congelamento para planejar destruição dos planos de carreira

    Se o projeto for aprovado, todos os crescimentos ficam congelados por mais dois anos, o que inclui os procedimentos de transição da parte especial para a parte permanente do quadro de servidores municipais, mudanças de área de atuação, mudança de classe, crescimento vertical, crescimento horizontal, crescimentos entre referências, crescimento entre padrões, avanço linear e avanço por titulação.

    Na mensagem que acompanha o projeto, Greca deixa claro que pretende manter o congelamento até que novos planos possam ser aprovados com a mesma retirada de direitos prevista até o momento na PEC 32/2020 (Reforma Administrativa), especialmente no que diz respeito ao fim da estabilidade e à avaliação de desempenho como condição para crescimento na carreira.

    CuritbaPREV tirou R$ 18 milhões dos cofres públicos em quatro anos

    Esse é terceiro aporte consecutivo que a gestão Greca pretende repassar à CuritibaPrev, uma fundação de previdência complementar criada em 2017 com o objetivo de extinguir gradualmente o IPMC.

    Apesar de a Prefeitura propagandear que a CuritibaPrev é uma ótima opção de previdência privada para os servidores, a fundação ainda não deu nenhum sinal de ser sustentável e, desde que foi criada, retira dinheiro dos cofres públicos sistematicamente.

    Na justificativa do projeto que tramita na Câmara Municipal, Greca menciona o compromisso em devolver os valores quando a CuritibaPrev atingir equilíbrio entre suas receitas e despesas administrativas. Entretanto, o projeto de lei que tramita na Câmara Municipal não traz informações que justifiquem a necessidade desse novo aporte, nem aponta qualquer perspectiva de quando a entidade alcançará esse equilíbrio.

  • 03 | 12 | 2021 - 13:48 Plano de Carreira

    Novo congelamento e aporte à CuritibaPrev serão votados no dia 7

    Novo congelamento e aporte à CuritibaPrev serão votados no dia 7
    A direção do SISMMAC convida o conjunto do magistério a se somar ao ato às 8h, na Câmara Municipal

    Na próxima terça-feira (7), a base aliada de Greca na Câmara Municipal tentará aprovar a toque de caixa o projeto de lei que prorroga o congelamento dos planos de carreira até dezembro de 2023 e a proposta que concede um novo aporte de R$ 6 milhões para a CuritibaPrev.

    Os requerimentos de regime de urgência foram apresentados pelo líder do governo, Pier Petruzziello (PTB), com o apoio de 13 vereadores, e aprovados na última quarta-feira (1º). Com a aprovação do tratoraço, as comissões permanentes da Câmara têm apenas três dias úteis para se manifestar.

    A direção do SISMMAC convida o conjunto do magistério a acompanhar a votação com ato a partir das 8h, em frente à Câmara Municipal.

    Com o regime de urgência, Greca e sua base aliada apelam novamente para um mecanismo antidemocrático para evitar o debate e aprovar medidas que retiram direitos das servidoras e servidores na base do atropelo. A tramitação acelerada dessas duas propostas também escancara o discurso contraditório da gestão sobre as contas do município. Esbanjam recursos públicos em auxílio para os empresários milionários do transporte coletivo que alegam que tiveram prejuízo na pandemia, enquanto se recusam a respeitar os direitos e valorizar as servidoras e servidores que garantem o acesso da população a direitos sociais.

    Greca quer mais dois anos de congelamento para planejar destruição dos planos de carreira

    Se o projeto for aprovado, todos os crescimentos ficam congelados por mais dois anos, o que inclui os procedimentos de transição da parte especial para a parte permanente do quadro de servidores municipais, mudanças de área de atuação, mudança de classe, crescimento vertical, crescimento horizontal, crescimentos entre referências, crescimento entre padrões, avanço linear e avanço por titulação.

    Na mensagem que acompanha o projeto, Greca deixa claro que pretende manter o congelamento até que novos planos possam ser aprovados com a mesma retirada de direitos prevista até o momento na PEC 32/2020 (Reforma Administrativa), especialmente no que diz respeito ao fim da estabilidade e à avaliação de desempenho como condição para crescimento na carreira.

    CuritbaPREV tirou R$ 18 milhões dos cofres públicos em quatro anos

    Esse é terceiro aporte consecutivo que a gestão Greca pretende repassar à CuritibaPrev, uma fundação de previdência complementar criada em 2017 com o objetivo de extinguir gradualmente o IPMC.

    Apesar de a Prefeitura propagandear que a CuritibaPrev é uma ótima opção de previdência privada para os servidores, a fundação ainda não deu nenhum sinal de ser sustentável e, desde que foi criada, retira dinheiro dos cofres públicos sistematicamente.

    Na justificativa do projeto que tramita na Câmara Municipal, Greca menciona o compromisso em devolver os valores quando a CuritibaPrev atingir equilíbrio entre suas receitas e despesas administrativas. Entretanto, o projeto de lei que tramita na Câmara Municipal não traz informações que justifiquem a necessidade desse novo aporte, nem aponta qualquer perspectiva de quando a entidade alcançará esse equilíbrio.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS