Sismac
  • 25 | 11 | 2021 - 20:05 Carreira

    Greca quer congelar a carreira dos servidores por mais dois anos

    Greca quer congelar a carreira dos servidores por mais dois anos
    PL foi apresentado nesta quarta-feira e ainda não tem data para votação. É preciso ficar de olho!

    Nesta quarta-feira (24), a Prefeitura de Curitiba apresentou o Projeto de Lei  005.00307.2021 que quer congelar os planos de carreira dos servidores até 31 de dezembro 2023. Ainda não há data para a votação do PL, mas sabemos que a bancada de vereadores aliados ao desprefeito não mede esforços para passar por cima dos direitos dos servidores. Por isso, é preciso ficar atento!

    O ataque é gravíssimo e, com essa proposição, o desgoverno Greca tenta jogar nas costas dos servidores a conta da crise econômica e sanitária, escondendo que a Prefeitura de Curitiba fechou o ano de 2020 com superavit de R$ 1,2 bilhão. Isso significa que as contas fecharam no azul mesmo com a queda de arrecadação causada pela pandemia.

    O congelamento ocorreu inicialmente em 2017, o que significa que os servidores estão há mais de quatro anos sem nenhum tipo de valorização. Em meio a uma crise econômica com a maior inflação dos últimos anos e as constantes perdas salariais, Greca mais uma vez tira da mesa dos trabalhadores para colocar no bolso dos empresários.

    Greve do Basta!

    Um dos compromissos da administração firmados na Greve do Basta é a discussão dos novos planos de carreira no início de 2021 junto aos sindicatos que representam o funcionalismo de Curitiba. Nós cobraremos para que essa negociação ocorra e que os servidores participem ativamente do processo de discussão dos planos de carreira.
    O discurso de 2021 é o mesmo de 2017: “é necessário equilibrar as contas públicas”, mas Curitiba já mostrou que tem dinheiro e arrecadou de janeiro até junho deste ano 14,29% a mais do que em 2020. Ou seja, Curitiba tem dinheiro em caixa para descongelar o plano de carreira dos servidores e avançar na negociação de novos planos de carreira.

    Na mensagem que acompanha o projeto, a Prefeitura cita a Proposta de Emenda Constitucional 32/2020, conhecida como Reforma Administrativa, como desculpa para prorrogar o congelamento dos planos de carreira. A menção escancara o alinhamento de Greca e sua gestão com o projeto de desmonte dos serviços públicos defendido pelo governo Bolsonaro e reforça também a importância de nos somarmos a luta nacional contra a Reforma Administrativa.

    A mensagem deixa claro que, para a gestão Greca, os servidores devem aguentar o congelamento até que novos planos possam ser aprovados com a mesma retirada de direitos prevista até o momento no substitutivo da Reforma Administrativa que tramita na Câmara dos Deputados, especialmente no que diz respeito ao fim da estabilidade e à avaliação de desempenho como condição para crescimento na carreira. Há muita luta a ser feita para barrar a Reforma Administrativa. A PEC 32/2020 aguarda para votação em plenário na Câmara dos Deputados e, se aprovada, segue para tramitação no Senado.

    As atuais gestões do SISMMAC e do SISMUC reiteram que mais do que ficar de olho nas movimentações da Prefeitura, devemos nos mobilizar contra esse ataque. Por isso, assim que o Projeto de Lei começar a tramitar na Câmara dos Vereadores devemos dizer NÃO a mais esse ataque.


  • 25 | 11 | 2021 - 20:05 Carreira

    Greca quer congelar a carreira dos servidores por mais dois anos

    Greca quer congelar a carreira dos servidores por mais dois anos
    PL foi apresentado nesta quarta-feira e ainda não tem data para votação. É preciso ficar de olho!

    Nesta quarta-feira (24), a Prefeitura de Curitiba apresentou o Projeto de Lei  005.00307.2021 que quer congelar os planos de carreira dos servidores até 31 de dezembro 2023. Ainda não há data para a votação do PL, mas sabemos que a bancada de vereadores aliados ao desprefeito não mede esforços para passar por cima dos direitos dos servidores. Por isso, é preciso ficar atento!

    O ataque é gravíssimo e, com essa proposição, o desgoverno Greca tenta jogar nas costas dos servidores a conta da crise econômica e sanitária, escondendo que a Prefeitura de Curitiba fechou o ano de 2020 com superavit de R$ 1,2 bilhão. Isso significa que as contas fecharam no azul mesmo com a queda de arrecadação causada pela pandemia.

    O congelamento ocorreu inicialmente em 2017, o que significa que os servidores estão há mais de quatro anos sem nenhum tipo de valorização. Em meio a uma crise econômica com a maior inflação dos últimos anos e as constantes perdas salariais, Greca mais uma vez tira da mesa dos trabalhadores para colocar no bolso dos empresários.

    Greve do Basta!

    Um dos compromissos da administração firmados na Greve do Basta é a discussão dos novos planos de carreira no início de 2021 junto aos sindicatos que representam o funcionalismo de Curitiba. Nós cobraremos para que essa negociação ocorra e que os servidores participem ativamente do processo de discussão dos planos de carreira.
    O discurso de 2021 é o mesmo de 2017: “é necessário equilibrar as contas públicas”, mas Curitiba já mostrou que tem dinheiro e arrecadou de janeiro até junho deste ano 14,29% a mais do que em 2020. Ou seja, Curitiba tem dinheiro em caixa para descongelar o plano de carreira dos servidores e avançar na negociação de novos planos de carreira.

    Na mensagem que acompanha o projeto, a Prefeitura cita a Proposta de Emenda Constitucional 32/2020, conhecida como Reforma Administrativa, como desculpa para prorrogar o congelamento dos planos de carreira. A menção escancara o alinhamento de Greca e sua gestão com o projeto de desmonte dos serviços públicos defendido pelo governo Bolsonaro e reforça também a importância de nos somarmos a luta nacional contra a Reforma Administrativa.

    A mensagem deixa claro que, para a gestão Greca, os servidores devem aguentar o congelamento até que novos planos possam ser aprovados com a mesma retirada de direitos prevista até o momento no substitutivo da Reforma Administrativa que tramita na Câmara dos Deputados, especialmente no que diz respeito ao fim da estabilidade e à avaliação de desempenho como condição para crescimento na carreira. Há muita luta a ser feita para barrar a Reforma Administrativa. A PEC 32/2020 aguarda para votação em plenário na Câmara dos Deputados e, se aprovada, segue para tramitação no Senado.

    As atuais gestões do SISMMAC e do SISMUC reiteram que mais do que ficar de olho nas movimentações da Prefeitura, devemos nos mobilizar contra esse ataque. Por isso, assim que o Projeto de Lei começar a tramitar na Câmara dos Vereadores devemos dizer NÃO a mais esse ataque.


Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS