Sismac
  • 10 | 06 | 2020 - 12:17 Informe-se

    Saiba como pressionar bancos que se negam a adiar os consignados

    Saiba como pressionar bancos que se negam a adiar os consignados
    Sindicatos preparam orientação para servidores possam pressionar os bancos a realizarem o adiamento do consignado

    Apesar da publicação do Decreto 748/2020 de Greca, que permite suspensão dos consignados com cobrança de juros, o SISMMAC e o SISMUC, SIGMUC e SINFISCO têm recebido denúncias de servidores municipais que não conseguem realizar o adiamento das parcelas porque alguns bancos estão se negando a prestar esse serviço.

    De acordo com a medida, a suspensão do empréstimo não é automática e cada servidor terá que solicitar o adiamento de forma individual por meio de um requerimento junto ao banco ou instituição onde contratou o empréstimo. No entanto, há relatos de bancos que informam não ter conhecimento do decreto ou que estabelecem critérios a mais afim de impossibilitar a realização do adiamento. Em outros casos, os bancos tentam impor um refinanciamento em vez de adiar as parcelas. No entanto, os sindicatos aconselham os servidores a não aceitarem essa proposta, pois é uma forma dos bancos explorarem ainda mais esse momento de crise.

    Na última segunda-feira (8), as direções dos sindicatos cobraram a Prefeitura e informaram sobre as reclamações dos servidores. Em resposta, a gestão afirmou que tinha informado todos os bancos sobre o decreto e ainda fez ligações para alguns.

    Um ofício conjunto dos quatro sindicatos (SISMMAC, SISMUC, SIGMUC e SINFISCO) foi enviado nesta quarta-feira (10) para exigir agilidade e uma intervenção maior da Prefeitura junto aos bancos, com o objetivo de evitar que os servidores que precisam desse adiamento sejam prejudicados. 

    Os sindicatos também prepararam algumas orientações para que os servidores pressionem os bancos a atenderem o pedido de adiamento das parcelas dos consignados. Confira:

    1) O servidor deve comunicar a instituição financeira sobre seu interesse de suspender o consignado (art. 1º, § 1º do Decreto 748/20);

    2) O pedido deve ser formalizado de algum modo (canal de atendimento com o número do protocolo, por e-mail etc). Se o banco se recusar a suspender o consignado, o servidor poderá:

    - Registrar a denúncia via ouvidoria do banco. Clique aqui para conferir a lista de contato das ouvidorias.

    - Registrar em seguida a denúncia no Banco Central. Clique aqui para registrar sua reclamação

    - Registrar também a denúncia no Procon PR, por meio da plataforma consumidor.com ou pelo formulário de reclamação. 

    - Comunicar o RH da Prefeitura indicando o número do protocolo de atendimento e e-mail enviado ao banco. E-mail do RH: smap@curitiba.pr.gov.br

  • 10 | 06 | 2020 - 12:17 Informe-se

    Saiba como pressionar bancos que se negam a adiar os consignados

    Saiba como pressionar bancos que se negam a adiar os consignados
    Sindicatos preparam orientação para servidores possam pressionar os bancos a realizarem o adiamento do consignado

    Apesar da publicação do Decreto 748/2020 de Greca, que permite suspensão dos consignados com cobrança de juros, o SISMMAC e o SISMUC, SIGMUC e SINFISCO têm recebido denúncias de servidores municipais que não conseguem realizar o adiamento das parcelas porque alguns bancos estão se negando a prestar esse serviço.

    De acordo com a medida, a suspensão do empréstimo não é automática e cada servidor terá que solicitar o adiamento de forma individual por meio de um requerimento junto ao banco ou instituição onde contratou o empréstimo. No entanto, há relatos de bancos que informam não ter conhecimento do decreto ou que estabelecem critérios a mais afim de impossibilitar a realização do adiamento. Em outros casos, os bancos tentam impor um refinanciamento em vez de adiar as parcelas. No entanto, os sindicatos aconselham os servidores a não aceitarem essa proposta, pois é uma forma dos bancos explorarem ainda mais esse momento de crise.

    Na última segunda-feira (8), as direções dos sindicatos cobraram a Prefeitura e informaram sobre as reclamações dos servidores. Em resposta, a gestão afirmou que tinha informado todos os bancos sobre o decreto e ainda fez ligações para alguns.

    Um ofício conjunto dos quatro sindicatos (SISMMAC, SISMUC, SIGMUC e SINFISCO) foi enviado nesta quarta-feira (10) para exigir agilidade e uma intervenção maior da Prefeitura junto aos bancos, com o objetivo de evitar que os servidores que precisam desse adiamento sejam prejudicados. 

    Os sindicatos também prepararam algumas orientações para que os servidores pressionem os bancos a atenderem o pedido de adiamento das parcelas dos consignados. Confira:

    1) O servidor deve comunicar a instituição financeira sobre seu interesse de suspender o consignado (art. 1º, § 1º do Decreto 748/20);

    2) O pedido deve ser formalizado de algum modo (canal de atendimento com o número do protocolo, por e-mail etc). Se o banco se recusar a suspender o consignado, o servidor poderá:

    - Registrar a denúncia via ouvidoria do banco. Clique aqui para conferir a lista de contato das ouvidorias.

    - Registrar em seguida a denúncia no Banco Central. Clique aqui para registrar sua reclamação

    - Registrar também a denúncia no Procon PR, por meio da plataforma consumidor.com ou pelo formulário de reclamação. 

    - Comunicar o RH da Prefeitura indicando o número do protocolo de atendimento e e-mail enviado ao banco. E-mail do RH: smap@curitiba.pr.gov.br

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS