Sismac
  • 05 | 08 | 2016 - 08:49 Aposentadoria

    Todos à Câmara protestar contra o projeto que legaliza rombo no IPMC

    Todos à Câmara protestar contra o projeto que legaliza rombo no IPMC
    Manifestação será realizada no dia 8 de agosto, às 9h, durante a votação do projeto que parcela em 60 vezes a dívida
    Na próxima segunda-feira (8), os vereadores de Curitiba vão votar o projeto de lei de autoria da Prefeitura que propõe parcelar em 60 vezes a dívida com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba (IPMC).

    Vamos nos encontrar em frente às escadarias da Câmara Municipal, às 9h. Ajude a organizar a sua unidade e juntos vamos marcar presença durante a votação! É hora de fazer pressão para cobrar o que é nosso por direito e impedir que a dívida de mais de R$ 212 milhões seja empurrada para as próximas duas administrações.

    Também vamos protestar contra o Projeto de Lei Complementar 257/2016, que volta à Câmara dos Deputados na segunda-feira. A pressão dos servidores na semana passada impediu a votação do projeto que usa a negociação das dívidas dos estados como barganha para cortar investimentos do serviço público. A mobilização deve continuar agora para impedir a retirada de direitos e o desmonte dos serviços públicos.

    Rombo coloca em risco o pagamento das futuras aposentadorias

    O prefeito Gustavo Fruet descumpriu a lei e deixou de fazer os aportes previstos na Lei 12.821/2008 entre agosto de 2015 e abril de 2016. Segundo o IPMC, o montante soma mais de R$212 milhões. Ao invés de pagar o que deve e terminar de uma vez com esse calote, a Prefeitura pretende arrastar a conta ao longo dos próximos cinco anos, o que afetaria o orçamento das próximas duas administrações.

    O SISMMAC já deixou claro que não aceitará que a dívida gerada na gestão Fruet fique de herança para os próximos prefeitos. Exigimos que a administração pague o que deve à vista ou ao menos garanta a quitação da dívida até o final do atual mandato.

    Todos os vereadores de Curitiba receberam no mês de junho um documento elaborado pelos sindicatos com todos problemas e riscos da proposta da Prefeitura. Agora, é o momento de aumentar ainda mais a pressão para impedir que os vereadores votem contra a previdência dos servidores e legalizem o rombo deixado pela Prefeitura.

  • 05 | 08 | 2016 - 08:49 Aposentadoria

    Todos à Câmara protestar contra o projeto que legaliza rombo no IPMC

    Todos à Câmara protestar contra o projeto que legaliza rombo no IPMC
    Manifestação será realizada no dia 8 de agosto, às 9h, durante a votação do projeto que parcela em 60 vezes a dívida
    Na próxima segunda-feira (8), os vereadores de Curitiba vão votar o projeto de lei de autoria da Prefeitura que propõe parcelar em 60 vezes a dívida com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba (IPMC).

    Vamos nos encontrar em frente às escadarias da Câmara Municipal, às 9h. Ajude a organizar a sua unidade e juntos vamos marcar presença durante a votação! É hora de fazer pressão para cobrar o que é nosso por direito e impedir que a dívida de mais de R$ 212 milhões seja empurrada para as próximas duas administrações.

    Também vamos protestar contra o Projeto de Lei Complementar 257/2016, que volta à Câmara dos Deputados na segunda-feira. A pressão dos servidores na semana passada impediu a votação do projeto que usa a negociação das dívidas dos estados como barganha para cortar investimentos do serviço público. A mobilização deve continuar agora para impedir a retirada de direitos e o desmonte dos serviços públicos.

    Rombo coloca em risco o pagamento das futuras aposentadorias

    O prefeito Gustavo Fruet descumpriu a lei e deixou de fazer os aportes previstos na Lei 12.821/2008 entre agosto de 2015 e abril de 2016. Segundo o IPMC, o montante soma mais de R$212 milhões. Ao invés de pagar o que deve e terminar de uma vez com esse calote, a Prefeitura pretende arrastar a conta ao longo dos próximos cinco anos, o que afetaria o orçamento das próximas duas administrações.

    O SISMMAC já deixou claro que não aceitará que a dívida gerada na gestão Fruet fique de herança para os próximos prefeitos. Exigimos que a administração pague o que deve à vista ou ao menos garanta a quitação da dívida até o final do atual mandato.

    Todos os vereadores de Curitiba receberam no mês de junho um documento elaborado pelos sindicatos com todos problemas e riscos da proposta da Prefeitura. Agora, é o momento de aumentar ainda mais a pressão para impedir que os vereadores votem contra a previdência dos servidores e legalizem o rombo deixado pela Prefeitura.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS