Sismac
  • 06 | 04 | 2020 - 17:52 Mobilização

    Falta de EPIs nos equipamentos de saúde é destacada pela imprensa

    Falta de EPIs nos equipamentos de saúde é destacada pela imprensa
    Sindicato vem cobrando a Prefeitura sobre a falta de equipamentos de proteção individual

    No final de semana a revista semanal impressa Gazeta do Povo, publicou a reportagem “Estamos preparados?” relatando a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais da área de saúde que estão na linha de frente no combate e prevenção ao Coronavírus. O SISMUC já vem denunciando a falta de EPIs para servidores públicos da saúde, da assistência social, serviço funerário e demais servidores municipais desde o início dos primeiros casos da Covid-19 em Curitiba.

    Em reuniões com o Sindicato, a Prefeitura se responsabilizou em comprar EPIs, mas ainda existem locais que não estão recebendo os equipamentos em volume suficiente. A falta de proteção já motivou representação junto ao Ministério Público, afinal, é a principal demanda dos trabalhadores da saúde e da assistência social que têm o direito à proteçãocoletiva e individual para exercer seu trabalho no combate ao Coronavírus.

    A Prefeitura publicou decreto estabelecendo as medidas para compra de EPIs, porém a lista não contemplou itens como aventais e macacões impermeáveis, que estão entre as reivindicações do Sindicato.

    É importante destacar que além de garantir os EPIs, a gestão precisa oferecer treinamento para os servidores sobre os modos correto de utilização, retirada, desinfecção e descarte de EPIs. Só que até o momento, as orientações da gestão têm sido escassas, justamente num momento sério como esse, em que é preciso que os trabalhadores tenham toda a informação de que precisam para trabalhar com segurança.

    Ainda na reportagem, chamou atenção o trecho onde a superintendente executiva da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Beatriz Nadas, reconhece que faltam EPIs na UPA CIC e diz que vai enviar nos próximos dias. A unidade foi terceirizada pela gestão Greca, e não seria também responsabilidade da Organização Social (OS) contratada garantir a segurança dos trabalhadores?

    Só a Associação Médica Brasileira já recebeu mais de 2.800 denúncias de falta de EPIs. Temos conhecimento de que faltam EPIs em todo Brasil para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais da assistência social, entre outros, devido a urgência do momento e a grande procura, mas não podemos aceitar que a Prefeitura prometa soluções sem apresentar os equipamentos que são necessários para os trabalhadores atuarem com segurança neste período de enfrentamento à pandemia de Coronavírus.

  • 06 | 04 | 2020 - 17:52 Mobilização

    Falta de EPIs nos equipamentos de saúde é destacada pela imprensa

    Falta de EPIs nos equipamentos de saúde é destacada pela imprensa
    Sindicato vem cobrando a Prefeitura sobre a falta de equipamentos de proteção individual

    No final de semana a revista semanal impressa Gazeta do Povo, publicou a reportagem “Estamos preparados?” relatando a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os profissionais da área de saúde que estão na linha de frente no combate e prevenção ao Coronavírus. O SISMUC já vem denunciando a falta de EPIs para servidores públicos da saúde, da assistência social, serviço funerário e demais servidores municipais desde o início dos primeiros casos da Covid-19 em Curitiba.

    Em reuniões com o Sindicato, a Prefeitura se responsabilizou em comprar EPIs, mas ainda existem locais que não estão recebendo os equipamentos em volume suficiente. A falta de proteção já motivou representação junto ao Ministério Público, afinal, é a principal demanda dos trabalhadores da saúde e da assistência social que têm o direito à proteçãocoletiva e individual para exercer seu trabalho no combate ao Coronavírus.

    A Prefeitura publicou decreto estabelecendo as medidas para compra de EPIs, porém a lista não contemplou itens como aventais e macacões impermeáveis, que estão entre as reivindicações do Sindicato.

    É importante destacar que além de garantir os EPIs, a gestão precisa oferecer treinamento para os servidores sobre os modos correto de utilização, retirada, desinfecção e descarte de EPIs. Só que até o momento, as orientações da gestão têm sido escassas, justamente num momento sério como esse, em que é preciso que os trabalhadores tenham toda a informação de que precisam para trabalhar com segurança.

    Ainda na reportagem, chamou atenção o trecho onde a superintendente executiva da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Beatriz Nadas, reconhece que faltam EPIs na UPA CIC e diz que vai enviar nos próximos dias. A unidade foi terceirizada pela gestão Greca, e não seria também responsabilidade da Organização Social (OS) contratada garantir a segurança dos trabalhadores?

    Só a Associação Médica Brasileira já recebeu mais de 2.800 denúncias de falta de EPIs. Temos conhecimento de que faltam EPIs em todo Brasil para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais da assistência social, entre outros, devido a urgência do momento e a grande procura, mas não podemos aceitar que a Prefeitura prometa soluções sem apresentar os equipamentos que são necessários para os trabalhadores atuarem com segurança neste período de enfrentamento à pandemia de Coronavírus.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS