Sismac
  • 10 | 09 | 2021 - 17:44 Além dos muros da escola

    Justiça nega liminar que pede proteção de servidores do grupo de risco

    Justiça nega liminar que pede proteção de servidores do grupo de risco
    Decisão ignora os riscos a que os trabalhadores acima de 65 anos ou com comorbidades estão expostos antes da imunização

    Em mais uma demonstração de completo desrespeito com os servidores, a gestão municipal celebra uma vitória na justiça que vai contra a necessidade de proteção adequada aos trabalhadores, já que determina o retorno ao trabalho presencial do grupo de risco, mesmo que não tenham completado o esquema vacinal.

    Ao celebrar a decisão, a Prefeitura parece esquecer que servidores que tiveram covid-19 no período da convocação para a vacina não puderam tomar o imunizante naquele momento e precisaram aguardar pela repescagem, o que faz com que nem todos os servidores do grupo de risco tenham sido imunizados de acordo com o calendário da Prefeitura.

    Por isso, os sindicatos SISMUC e SISMMAC entraram com pedido de tutela de urgência para suspender a convocação dos servidores com 65 anos ou mais e com doenças crônicas graves para o trabalho presencial até completarem o esquema vacinal contra a Covid-19.

    O Ministério Público do Paraná havia dado parecer parcialmente favorável para o pedido dos sindicatos. Mesmo assim, a justiça negou a tutela. O processo tramitou na 5ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), e a decisão foi publicada após 53 dias de tramitação.

    Com esta decisão, a justiça deu aval para que a administração municipal continue convocando para o trabalho presencial os servidores e servidoras de grupos de risco, que ainda não puderam tomar as duas doses da vacina.

    É importante destacar que as duas doses do imunizante são indispensáveis para se ter a proteção adequada, especialmente diante das novas variantes. Recentemente o Ministério da Saúde orientou, inclusive, a aplicação da terceira dose da vacina para idosos e imunossuprimidos, uma evidência dos riscos da pandemia do novo coronavírus, que ainda não acabou.

    Quem já contraiu a Covid-19 também não está seguro, pois os casos de reinfecção são bastante frequentes e em alguns casos podem gerar adoecimentos ainda mais graves.

    Seguimos firmes na defesa dos servidores públicos municipais que garantem o atendimento para sociedade em meio aos ataques da gestão.

  • 10 | 09 | 2021 - 17:44 Além dos muros da escola

    Justiça nega liminar que pede proteção de servidores do grupo de risco

    Justiça nega liminar que pede proteção de servidores do grupo de risco
    Decisão ignora os riscos a que os trabalhadores acima de 65 anos ou com comorbidades estão expostos antes da imunização

    Em mais uma demonstração de completo desrespeito com os servidores, a gestão municipal celebra uma vitória na justiça que vai contra a necessidade de proteção adequada aos trabalhadores, já que determina o retorno ao trabalho presencial do grupo de risco, mesmo que não tenham completado o esquema vacinal.

    Ao celebrar a decisão, a Prefeitura parece esquecer que servidores que tiveram covid-19 no período da convocação para a vacina não puderam tomar o imunizante naquele momento e precisaram aguardar pela repescagem, o que faz com que nem todos os servidores do grupo de risco tenham sido imunizados de acordo com o calendário da Prefeitura.

    Por isso, os sindicatos SISMUC e SISMMAC entraram com pedido de tutela de urgência para suspender a convocação dos servidores com 65 anos ou mais e com doenças crônicas graves para o trabalho presencial até completarem o esquema vacinal contra a Covid-19.

    O Ministério Público do Paraná havia dado parecer parcialmente favorável para o pedido dos sindicatos. Mesmo assim, a justiça negou a tutela. O processo tramitou na 5ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), e a decisão foi publicada após 53 dias de tramitação.

    Com esta decisão, a justiça deu aval para que a administração municipal continue convocando para o trabalho presencial os servidores e servidoras de grupos de risco, que ainda não puderam tomar as duas doses da vacina.

    É importante destacar que as duas doses do imunizante são indispensáveis para se ter a proteção adequada, especialmente diante das novas variantes. Recentemente o Ministério da Saúde orientou, inclusive, a aplicação da terceira dose da vacina para idosos e imunossuprimidos, uma evidência dos riscos da pandemia do novo coronavírus, que ainda não acabou.

    Quem já contraiu a Covid-19 também não está seguro, pois os casos de reinfecção são bastante frequentes e em alguns casos podem gerar adoecimentos ainda mais graves.

    Seguimos firmes na defesa dos servidores públicos municipais que garantem o atendimento para sociedade em meio aos ataques da gestão.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS