Sismac
  • 29 | 07 | 2021 - 17:19 Além dos muros da escola

    Prefeitura flexibiliza medidas, mas sindicatos reforçam alerta

    Prefeitura flexibiliza medidas, mas sindicatos reforçam alerta
    Curitiba libera eventos até 300 pessoas e coloca os trabalhadores em risco

    O novo decreto de enfrentamento à pandemia em Curitiba publicado na quarta-feira (28) mantém a bandeira amarela e traz medidas ainda mais flexíveis, como o fim das restrições de horários e liberação de eventos até 300 pessoas.

    No entanto, o SISMMAC e o SISMUC mantêm o alerta e reforçam sua postura em defesa da vida e da saúde dos trabalhadores. Diante do número de casos diários ainda alto e a confirmação da transmissão comunitária no Paraná da variante Delta, muito mais contagiosa, seguimos defendendo medidas restritivas para preservar a vida. A postura do desgoverno Greca vai na contramão do que acontece em muitos países que retomaram as restrições para conter o avanço da nova variante.

    A demora na vacinação aumenta a apreensão. Até o momento, o município aplicou pouco mais de 975 mil primeiras doses (55,68% da população) e somente 397 mil pessoas foram completamente imunizadas, o que corresponde a pouco mais de 24% da população. Lembrando que a imunização só está completa após cerca de 21 dias da aplicação da segunda dose. Com a demora da remessa de novas doses por parte do governo federal, a imunização segue a conta-gotas.

    Enquanto isso, a liberação das atividades antes da imunização em massa da população coloca toda a classe trabalhadora em risco. O aumento das taxas de transmissão torna ainda mais arriscado a atividade dos trabalhadores da linha de frente, como o caso da saúde e da FAS, além do conjunto da classe trabalhadora.

    É também nesse cenário de apreensão que a rede municipal de ensino retomou as aulas presenciais. 100 unidades educacionais já retomaram as atividades e, na segunda-feira (2), está previsto o início do sistema híbrido. Além disso, algumas categorias como auxiliares de serviços escolares estarão presencialmente nas unidades, sem rodízio, e sem condições seguras para o trabalho.

    Por isso, os trabalhadores da educação estão em estado de greve. Na próxima terça-feira, 3 de agosto, a partir das 9 horas, há um ato marcado em frente à Prefeitura, cobrando a segurança dos trabalhadores e de toda a comunidade escolar.

    O momento de reabertura pós-pandemia é aguardado por todos nós com ansiedade e grande expectativa. No entanto, é preciso que a retomada seja feita com segurança e, infelizmente, esse não é o cenário que vivemos hoje.Os sindicatos seguem firmes na luta em defesa dos trabalhadores!

    Denuncie problemas no seu local de trabalho

    Para seguir na luta, a mobilização dos trabalhadores é essencial. Se o seu local de trabalho tem problemas nas medidas de enfrentamento à pandemia, denuncie!

    Servidores da educação podem denunciar os problemas e os casos de covid-19 no seu local de trabalho pelo WhatsApp (41) 99988-2680. 

  • 29 | 07 | 2021 - 17:19 Além dos muros da escola

    Prefeitura flexibiliza medidas, mas sindicatos reforçam alerta

    Prefeitura flexibiliza medidas, mas sindicatos reforçam alerta
    Curitiba libera eventos até 300 pessoas e coloca os trabalhadores em risco

    O novo decreto de enfrentamento à pandemia em Curitiba publicado na quarta-feira (28) mantém a bandeira amarela e traz medidas ainda mais flexíveis, como o fim das restrições de horários e liberação de eventos até 300 pessoas.

    No entanto, o SISMMAC e o SISMUC mantêm o alerta e reforçam sua postura em defesa da vida e da saúde dos trabalhadores. Diante do número de casos diários ainda alto e a confirmação da transmissão comunitária no Paraná da variante Delta, muito mais contagiosa, seguimos defendendo medidas restritivas para preservar a vida. A postura do desgoverno Greca vai na contramão do que acontece em muitos países que retomaram as restrições para conter o avanço da nova variante.

    A demora na vacinação aumenta a apreensão. Até o momento, o município aplicou pouco mais de 975 mil primeiras doses (55,68% da população) e somente 397 mil pessoas foram completamente imunizadas, o que corresponde a pouco mais de 24% da população. Lembrando que a imunização só está completa após cerca de 21 dias da aplicação da segunda dose. Com a demora da remessa de novas doses por parte do governo federal, a imunização segue a conta-gotas.

    Enquanto isso, a liberação das atividades antes da imunização em massa da população coloca toda a classe trabalhadora em risco. O aumento das taxas de transmissão torna ainda mais arriscado a atividade dos trabalhadores da linha de frente, como o caso da saúde e da FAS, além do conjunto da classe trabalhadora.

    É também nesse cenário de apreensão que a rede municipal de ensino retomou as aulas presenciais. 100 unidades educacionais já retomaram as atividades e, na segunda-feira (2), está previsto o início do sistema híbrido. Além disso, algumas categorias como auxiliares de serviços escolares estarão presencialmente nas unidades, sem rodízio, e sem condições seguras para o trabalho.

    Por isso, os trabalhadores da educação estão em estado de greve. Na próxima terça-feira, 3 de agosto, a partir das 9 horas, há um ato marcado em frente à Prefeitura, cobrando a segurança dos trabalhadores e de toda a comunidade escolar.

    O momento de reabertura pós-pandemia é aguardado por todos nós com ansiedade e grande expectativa. No entanto, é preciso que a retomada seja feita com segurança e, infelizmente, esse não é o cenário que vivemos hoje.Os sindicatos seguem firmes na luta em defesa dos trabalhadores!

    Denuncie problemas no seu local de trabalho

    Para seguir na luta, a mobilização dos trabalhadores é essencial. Se o seu local de trabalho tem problemas nas medidas de enfrentamento à pandemia, denuncie!

    Servidores da educação podem denunciar os problemas e os casos de covid-19 no seu local de trabalho pelo WhatsApp (41) 99988-2680. 

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS