Sismac
  • 15 | 01 | 2021 - 20:21 Além dos muros da escola

    Terceirização: servidores são remanejados às pressas da UPA Boqueirão

    Terceirização: servidores são remanejados às pressas da UPA Boqueirão
    Servidores foram informados que a partir de domingo (17) não atuam mais na UPA

    De maneira perversa, o desprefeito Greca se utiliza do momento de crise sanitária por conta da pandemia para dar seguimento ao seu plano de entregar as UPAs de Curitiba à iniciativa privada.

    Após um longo período de tentativas de terceirização da UPA Boqueirão que foram barradas pelos servidores organizados em conjunto com os sindicatos, nesta sexta-feira (15) os trabalhadores concursados da unidade foram informados que seriam remanejados às pressas. No próximo domingo (17) será o último plantão dos servidores na unidade.

    A situação é revoltante pois expõe que, mesmo diante de uma crise sanitária sem precedentes, a prioridade do desprefeito continua sendo agradar os empresários que querem lucrar às custas da saúde – direito básico da população. O fechamento da UPA para transformar em leitos hospitalares foi mais uma estratégia criada pelo desgoverno para desmobilizar os servidores – já esgotados após 10 meses de trabalho incessante na pandemia – e facilitar o processo de terceirização.

    Tudo isso está sendo feito às pressas, para tentar calar o descontentamento dos servidores e da população. A ordem dada aos trabalhadores concursados da UPA é que escolham os locais de transferência até este sábado, pois na próxima semana já devem iniciar o trabalho no novo local.

    E como fica o atendimento aos usuários nesse cenário? Em vez de fortalecer a saúde pública para o enfrentamento da pandemia, o que o desgoverno faz é precarizar e destruir o sistema de saúde pública.

    Mas, Greca e sua turma estão muito enganados se acham que essa jogada de fazer as transferências na surdina vai ser suficiente para calar aqueles que defendem a saúde pública. O SISMUC e o SISMMAC repudiam a atitude da gestão. O SISMUC, que representa os servidores municipais, incluindo categorias da saúde, vai oficiar a Prefeitura e está estudando levar o caso ao Ministério Público e ao Ministério Público do Trabalho.

    Estratégias de privatização

    As tentativas de entregar a administração das UPAs para as Organizações Sociais (OSs) permeia a gestão de Greca desde 2017. Mas, desde o início dessas tentativas os servidores em conjunto com os sindicatos e com os usuários do SUS lutam contra essa terceirização. Isso porque quem conhece a realidade de unidades de saúde geridas por OSs sabe que o resultado é desastroso para a população, com uma piora na qualidade do atendimento.

    Em dezembro de 2020, o SISMUC já havia denunciado outra manobra da gestão municipal direcionada à UPA Boqueirão. Na ocasião, o atendimento estava sendo quarteirizado. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), responsável pela administração da UPA, havia acionado a Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde (FEAS), criada para prestar serviços de saúde para a Prefeitura de Curitiba, mas que estava quarteirizando o serviço de saúde da UPA Boqueirão para o COOENF, uma cooperativa de enfermagem. Um processo feito sem licitação e sem nenhuma transparência.

    SAMU terceirizado

    A epidemia de terceirização de Greca avança rapidamente. Esta semana a gestão municipal também impôs o remanejamento aos servidores do SAMU. Sem qualquer consideração ou reconhecimento pelos servidores que arriscaram suas vidas na linha de frente nos últimos dez meses, a gestão fez os servidores se sentirem “jogados no lixo”, conforme relato dos trabalhadores que foram remanejados.

    O atendimento antes feito pelo SAMU agora vai ser entregue nas mãos de uma empresa da iniciativa privada. No momento em que a população mais precisa do sistema público de saúde, Greca e sua turma aproveitam para transformar direito em mercadoria.

  • 15 | 01 | 2021 - 20:21 Além dos muros da escola

    Terceirização: servidores são remanejados às pressas da UPA Boqueirão

    Terceirização: servidores são remanejados às pressas da UPA Boqueirão
    Servidores foram informados que a partir de domingo (17) não atuam mais na UPA

    De maneira perversa, o desprefeito Greca se utiliza do momento de crise sanitária por conta da pandemia para dar seguimento ao seu plano de entregar as UPAs de Curitiba à iniciativa privada.

    Após um longo período de tentativas de terceirização da UPA Boqueirão que foram barradas pelos servidores organizados em conjunto com os sindicatos, nesta sexta-feira (15) os trabalhadores concursados da unidade foram informados que seriam remanejados às pressas. No próximo domingo (17) será o último plantão dos servidores na unidade.

    A situação é revoltante pois expõe que, mesmo diante de uma crise sanitária sem precedentes, a prioridade do desprefeito continua sendo agradar os empresários que querem lucrar às custas da saúde – direito básico da população. O fechamento da UPA para transformar em leitos hospitalares foi mais uma estratégia criada pelo desgoverno para desmobilizar os servidores – já esgotados após 10 meses de trabalho incessante na pandemia – e facilitar o processo de terceirização.

    Tudo isso está sendo feito às pressas, para tentar calar o descontentamento dos servidores e da população. A ordem dada aos trabalhadores concursados da UPA é que escolham os locais de transferência até este sábado, pois na próxima semana já devem iniciar o trabalho no novo local.

    E como fica o atendimento aos usuários nesse cenário? Em vez de fortalecer a saúde pública para o enfrentamento da pandemia, o que o desgoverno faz é precarizar e destruir o sistema de saúde pública.

    Mas, Greca e sua turma estão muito enganados se acham que essa jogada de fazer as transferências na surdina vai ser suficiente para calar aqueles que defendem a saúde pública. O SISMUC e o SISMMAC repudiam a atitude da gestão. O SISMUC, que representa os servidores municipais, incluindo categorias da saúde, vai oficiar a Prefeitura e está estudando levar o caso ao Ministério Público e ao Ministério Público do Trabalho.

    Estratégias de privatização

    As tentativas de entregar a administração das UPAs para as Organizações Sociais (OSs) permeia a gestão de Greca desde 2017. Mas, desde o início dessas tentativas os servidores em conjunto com os sindicatos e com os usuários do SUS lutam contra essa terceirização. Isso porque quem conhece a realidade de unidades de saúde geridas por OSs sabe que o resultado é desastroso para a população, com uma piora na qualidade do atendimento.

    Em dezembro de 2020, o SISMUC já havia denunciado outra manobra da gestão municipal direcionada à UPA Boqueirão. Na ocasião, o atendimento estava sendo quarteirizado. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), responsável pela administração da UPA, havia acionado a Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde (FEAS), criada para prestar serviços de saúde para a Prefeitura de Curitiba, mas que estava quarteirizando o serviço de saúde da UPA Boqueirão para o COOENF, uma cooperativa de enfermagem. Um processo feito sem licitação e sem nenhuma transparência.

    SAMU terceirizado

    A epidemia de terceirização de Greca avança rapidamente. Esta semana a gestão municipal também impôs o remanejamento aos servidores do SAMU. Sem qualquer consideração ou reconhecimento pelos servidores que arriscaram suas vidas na linha de frente nos últimos dez meses, a gestão fez os servidores se sentirem “jogados no lixo”, conforme relato dos trabalhadores que foram remanejados.

    O atendimento antes feito pelo SAMU agora vai ser entregue nas mãos de uma empresa da iniciativa privada. No momento em que a população mais precisa do sistema público de saúde, Greca e sua turma aproveitam para transformar direito em mercadoria.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS