Sismac
  • 14 | 01 | 2020 - 18:46 Além dos muros da escola

    Pier, inimigo da educação e da inclusão

    Pier, inimigo da educação e da inclusão
    Vereador que tem destruído serviços utiliza a pauta de inclusão como palanque eleitoral, mas não aplica na prática

    Nas eleições de 2018, as servidoras e servidores de Curitiba mostraram à bancada do tratoraço que não seria fácil ganhar qualquer eleição novamente. Pier Pietruziello, líder do governo municipal na Câmara dos Vereadores, parece que não aprendeu a lição e já começa a fazer propagandas pensando na reeleição para vereador em 2020.

    Nos bastidores da Câmara, Pier ganhou o apelido de fantochinho, nada mais justo, já que sua postura tem sido fazer os mandos e desmandos do desprefeito Rafael Greca.

    Para enganar a população, o vereador utiliza como pautas principais de sua campanha a educação e a inclusão. Em propaganda divulgada nas redes sociais, o parlamentar se gaba sobre diversas viagens onde foi representante da pauta de inclusão.

    Mas, a pergunta que fica para nós é uma só: como Pier defende a inclusão? Na prática, ou apenas no discurso? Para defender essa pauta, não basta fazer propaganda se fazendo de bom moço, quando na verdade suas ações parlamentares servem apenas para agradar o desprefeito.

    Esquecendo para quem realmente deveria governar, o vereador foi um grande aliado de Greca para sucatear as escolas e CMEIs. Em 2017, aprovou o Projeto de Lei que permitia a contratação de estagiários para o acompanhamento de alunos de inclusão, no lugar de professores. Ou seja, a Prefeitura deixou de contratar profissionais qualificados para acompanhar os alunos e estagiários, provando claramente que sua intenção nunca foi ajudar na formação de novos profissionais, mas sim, economizar contratando trabalhadores sem formação e com baixíssimos salários.

    Na ocasião, o fantochinho de Greca mostrou novamente sua faceta mais raivosa e esbravejou que trocaria qualquer estagiário que desse “problema”. Ou seja, Pier mente, sua única preocupação é a autopromoção, ignorando a qualidade de ensino daqueles que mais precisam.

    Melhores condições de trabalho também são melhores condições de ensino

    A verdade é que Pier e os aliados de Greca ignoram a população mais pobre. Enquanto o parlamentar viaja para se autopromover, as professoras e professores da rede municipal se sentem abandonados e os pais e mães de alunos de inclusão cada dia mais desamparados.

    É com mais de 30 alunos em sala de aula e sem ajuda especializada que os profissionais do magistério realizam, com muita dificuldade, a inclusão. Hoje, seis em cada dez alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades ou superdotação estão matriculados no ensino regular.

    Além disso, no ano passado, Pier foi o principal aliado de Greca na hora de aprovar o aumento da desvalorização dos servidores e servidoras, com a votação de um novo pacotaço.

    Ao invés de realizar propaganda enganosa, apenas baseada em discursos, os parlamentares deveriam olhar para os alunos de inclusão e reconhecer a luta de seus pais e professores. Mas não basta só isso, é necessário que a administração promova condições reais de acesso, participação e aprendizagem.

    Por isso, em 2020 não esqueceremos daqueles que têm retirado direitos e destruído os serviços públicos!

    Vaza Pier! Vaza Greca! Vaza bancada do pacotaço!

  • 14 | 01 | 2020 - 18:46 Além dos muros da escola

    Pier, inimigo da educação e da inclusão

    Pier, inimigo da educação e da inclusão
    Vereador que tem destruído serviços utiliza a pauta de inclusão como palanque eleitoral, mas não aplica na prática

    Nas eleições de 2018, as servidoras e servidores de Curitiba mostraram à bancada do tratoraço que não seria fácil ganhar qualquer eleição novamente. Pier Pietruziello, líder do governo municipal na Câmara dos Vereadores, parece que não aprendeu a lição e já começa a fazer propagandas pensando na reeleição para vereador em 2020.

    Nos bastidores da Câmara, Pier ganhou o apelido de fantochinho, nada mais justo, já que sua postura tem sido fazer os mandos e desmandos do desprefeito Rafael Greca.

    Para enganar a população, o vereador utiliza como pautas principais de sua campanha a educação e a inclusão. Em propaganda divulgada nas redes sociais, o parlamentar se gaba sobre diversas viagens onde foi representante da pauta de inclusão.

    Mas, a pergunta que fica para nós é uma só: como Pier defende a inclusão? Na prática, ou apenas no discurso? Para defender essa pauta, não basta fazer propaganda se fazendo de bom moço, quando na verdade suas ações parlamentares servem apenas para agradar o desprefeito.

    Esquecendo para quem realmente deveria governar, o vereador foi um grande aliado de Greca para sucatear as escolas e CMEIs. Em 2017, aprovou o Projeto de Lei que permitia a contratação de estagiários para o acompanhamento de alunos de inclusão, no lugar de professores. Ou seja, a Prefeitura deixou de contratar profissionais qualificados para acompanhar os alunos e estagiários, provando claramente que sua intenção nunca foi ajudar na formação de novos profissionais, mas sim, economizar contratando trabalhadores sem formação e com baixíssimos salários.

    Na ocasião, o fantochinho de Greca mostrou novamente sua faceta mais raivosa e esbravejou que trocaria qualquer estagiário que desse “problema”. Ou seja, Pier mente, sua única preocupação é a autopromoção, ignorando a qualidade de ensino daqueles que mais precisam.

    Melhores condições de trabalho também são melhores condições de ensino

    A verdade é que Pier e os aliados de Greca ignoram a população mais pobre. Enquanto o parlamentar viaja para se autopromover, as professoras e professores da rede municipal se sentem abandonados e os pais e mães de alunos de inclusão cada dia mais desamparados.

    É com mais de 30 alunos em sala de aula e sem ajuda especializada que os profissionais do magistério realizam, com muita dificuldade, a inclusão. Hoje, seis em cada dez alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades ou superdotação estão matriculados no ensino regular.

    Além disso, no ano passado, Pier foi o principal aliado de Greca na hora de aprovar o aumento da desvalorização dos servidores e servidoras, com a votação de um novo pacotaço.

    Ao invés de realizar propaganda enganosa, apenas baseada em discursos, os parlamentares deveriam olhar para os alunos de inclusão e reconhecer a luta de seus pais e professores. Mas não basta só isso, é necessário que a administração promova condições reais de acesso, participação e aprendizagem.

    Por isso, em 2020 não esqueceremos daqueles que têm retirado direitos e destruído os serviços públicos!

    Vaza Pier! Vaza Greca! Vaza bancada do pacotaço!

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS