Sismac
  • 04 | 12 | 2019 - 13:45 Além dos muros da escola

    Vereadores custam mais do que uma UPA por mês aos cofres públicos

    Vereadores custam mais do que uma UPA por mês aos cofres públicos
    Gastos com vereadores e comissionados chega a R$ 2,6 milhões por mês

    Greca tenta a todo custo terceirizar o atendimento das UPAs em Curitiba sob a justificativa de que é preciso reduzir custos. Mas a dúvida que fica é: por que precarizar o atendimento à população enquanto os verdadeiros privilégios são mantidos?

    É o caso da Câmara de Vereadores, aliada de Greca para aprovar pacotes de maldades contra a população e os servidores, mas que não abre mão dos seus privilégios e custa um absurdo aos cofres públicos.

    Somente com salários dos 38 vereadores e dos seus 316 cargos comissionados, são mais de R$ 2,6 milhões de reais por mês! Esse valor é mais do que suficiente, por exemplo, para gerir uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por um mês inteiro, com custo de cerca de R$ 2 milhões.

    Em três meses vereadores custam R$ 4,7 milhões a mais do que as unidades escolares

    Para a educação o cenário não é tão diferente. Em setembro desse ano a Prefeitura lançou a notícia de que repassaria cerca de R$ 3,1 milhões para as mais de 400 unidades escolares em Curitiba.

    O que a administração não conta, é que esse valor deve ser distribuído por pelo menos três meses e deve ser utilizado para todos os tipos de compra e manutenção.

    Contrariando o discurso de economia do desprefeito, em três meses os vereadores custam R$ 4,7 milhões a mais do que as unidades escolares.

    Ou seja, enquanto o gasto mensal dos vereadores e comissionados chega a R$ 2,6 milhões, as mais de 400 escolas e CMEIs de Curitiba devem fazer milagre com cerca de R$ 2500 cada.


    E sabe quanto Greca afirma que vai “economizar” com a terceirização das UPAs? Cerca de R$ 400 mil por unidade, piorando muito o atendimento à população. Ou seja, basta reduzir os gastos com os vereadores e com comissionados, que não há mais necessidade de terceirizar os serviços de emergência. E assim, a população pode continuar tendo atendimento de qualidade, garantido por uma equipe de profissionais especializados.

    As “economias” de Greca já estão custando caro à população. Na UPA CIC, por exemplo, que foi terceirizada por Greca, não há pediatras disponíveis para emergência. Além do mais, a orientação é de que os casos mais complexos sejam encaminhados para as UPAs que são geridas pela Prefeitura. Ou seja, o próprio governo reconhece que o atendimento especializado oferecido nas UPAs que se mantém públicas é melhor, e mesmo assim quer economizar às custas da população.

    Se você, usuário dos serviços públicos, pudesse escolher, iria preferir manter as regalias dos vereadores ou garantir o atendimento de saúde de qualidade? A resposta é clara, só a gestão finge não ver.

  • 04 | 12 | 2019 - 13:45 Além dos muros da escola

    Vereadores custam mais do que uma UPA por mês aos cofres públicos

    Vereadores custam mais do que uma UPA por mês aos cofres públicos
    Gastos com vereadores e comissionados chega a R$ 2,6 milhões por mês

    Greca tenta a todo custo terceirizar o atendimento das UPAs em Curitiba sob a justificativa de que é preciso reduzir custos. Mas a dúvida que fica é: por que precarizar o atendimento à população enquanto os verdadeiros privilégios são mantidos?

    É o caso da Câmara de Vereadores, aliada de Greca para aprovar pacotes de maldades contra a população e os servidores, mas que não abre mão dos seus privilégios e custa um absurdo aos cofres públicos.

    Somente com salários dos 38 vereadores e dos seus 316 cargos comissionados, são mais de R$ 2,6 milhões de reais por mês! Esse valor é mais do que suficiente, por exemplo, para gerir uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por um mês inteiro, com custo de cerca de R$ 2 milhões.

    Em três meses vereadores custam R$ 4,7 milhões a mais do que as unidades escolares

    Para a educação o cenário não é tão diferente. Em setembro desse ano a Prefeitura lançou a notícia de que repassaria cerca de R$ 3,1 milhões para as mais de 400 unidades escolares em Curitiba.

    O que a administração não conta, é que esse valor deve ser distribuído por pelo menos três meses e deve ser utilizado para todos os tipos de compra e manutenção.

    Contrariando o discurso de economia do desprefeito, em três meses os vereadores custam R$ 4,7 milhões a mais do que as unidades escolares.

    Ou seja, enquanto o gasto mensal dos vereadores e comissionados chega a R$ 2,6 milhões, as mais de 400 escolas e CMEIs de Curitiba devem fazer milagre com cerca de R$ 2500 cada.


    E sabe quanto Greca afirma que vai “economizar” com a terceirização das UPAs? Cerca de R$ 400 mil por unidade, piorando muito o atendimento à população. Ou seja, basta reduzir os gastos com os vereadores e com comissionados, que não há mais necessidade de terceirizar os serviços de emergência. E assim, a população pode continuar tendo atendimento de qualidade, garantido por uma equipe de profissionais especializados.

    As “economias” de Greca já estão custando caro à população. Na UPA CIC, por exemplo, que foi terceirizada por Greca, não há pediatras disponíveis para emergência. Além do mais, a orientação é de que os casos mais complexos sejam encaminhados para as UPAs que são geridas pela Prefeitura. Ou seja, o próprio governo reconhece que o atendimento especializado oferecido nas UPAs que se mantém públicas é melhor, e mesmo assim quer economizar às custas da população.

    Se você, usuário dos serviços públicos, pudesse escolher, iria preferir manter as regalias dos vereadores ou garantir o atendimento de saúde de qualidade? A resposta é clara, só a gestão finge não ver.

Notícias Relacionadas

Nenhum registro encontrado.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS