Sismac
  • 21 | 05 | 2019 - 19:42 Negociações

    Mesa de negociação mostra que Plano de Carreira só virá com luta

    Mesa de negociação mostra que Plano de Carreira só virá com luta
    Enquanto Prefeitura alega não ter dinheiro para atender pauta, Greca esbanja dinheiro público em restaurantes

    Na tarde desta terça-feira (21) a direção do SISMMAC se reuniu com a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH) para discutir sobre o Plano de Carreira, e condições de trabalho, criação de concursos públicos, hora-atividade.

    Durante a reunião, a direção do SISMMAC voltou a cobrar o Plano de Carreira do magistério, e relembrou que há uma ação judicial em andamento para exigir a transição, a nova tabela salarial e o pagamento dos retroativos referentes à dívida acumulada. Ao ser cobrada pelo Sindicato se há possibilidade de avançar na pauta pela via política, sem necessidade da lentidão da via judicial, a administração respondeu que vai levar essa discussão para o secretário de Recursos Humanos.

    Já sobre o descongelamento do Plano, a administração usou novamente a desculpa de dificuldades financeiras e informou que o relatório da comissão criada para revisar os Planos de Carreira dos servidores deve ser entregue em setembro deste ano. No entanto, tudo indica que a revisão feita pela comissão deve retirar avanços duramente conquistados pela categoria. Por isso, devemos ficar atentos e conscientes que a luta será a única forma de garantir a implementação do nosso Plano de Carreira.

    Concurso público e PSS

    Os dados fornecidos pela própria Prefeitura reafirmam a falta de profissionais e uma reposição muito aquém da necessidade nas unidades escolares. Mais de mil profissionais da educação atuam em regime de RIT de vaga-vaga e são passivos de rompimento em qualquer momento, o que prejudica trabalho pedagógico e as condições de trabalho.

    Além de defender a criação de novos concursos públicos, o SISMMAC entende que o RIT deve ser usado para repor afastamentos legais, e não como um tapa buraco financeiro da administração.

    A direção do SISMMAC questionou as reais intenções por trás da implementação do Processo Seletivo Simples (PSS), mas a Prefeitura se mostrou evasiva e se recusou a responder à questão das contratações via PSS em detrimento da nomeação via concurso público.

    Hora-atividade

    O SISMMAC também cobrou quais serão as medidas da Secretaria Municipal de Educação em relação ao cumprimento da lei da hora-atividade. Ao mesmo tempo que a hora-atividade é um direito, a mesma não garante a realização dos 33% por falta de profissionais.

    Ao ser questionada sobre o calendário de contratações, a Prefeitura afirma que há 426 aprovados em concurso e não se compromete a informar o calendário, justificando que segue as limitações impostas pelo pacotaço de 2017.

    A SME ainda afirmou que nos CMEIs é praticado 1/5 de hora-atividade e que, por questões orçamentárias, não conseguem avançar para os 33%. Isso demonstra desconhecimento por parte da gestão sobre a realização da hora atividade. O Sindicato constata, levando em conta as visitas nas unidades, que nem 1/5 da hora atividade é cumprido semanalmente na maioria dos CMEIs, prejudicando assim as condições de trabalho e a qualidade do ensino. No entanto, a administração não se comprometeu com um calendário de contratações para solucionar esse problema.

    Revisão da portaria de redimensionamento

    Durante a reunião, a Prefeitura admitiu que houve uma redução do número de profissionais de Educação Física, mas insiste na justifica de que não houve prejuízo na qualidade do atendimento nas escolas. Entretanto, somente as professoras e professores da rede que atuam diretamente no chão da escola sabem e podem julgar o real impacto negativo dessa medida.

    Diante dos últimos resultados da mesa de negociação, o SISMMAC reafirma que o Plano de Carreira e melhores condições de trabalho só virão com a união da categoria. Por isso, converse com os seus colegas de trabalho e ajude a construir a mobilização em defesa de direitos! 

    O restante da pauta sobre as condições de trabalho será discutido na próxima reunião, que está marcada para quinta-feira (23). Você pode conferir a ata em aqui.

  • 21 | 05 | 2019 - 19:42 Negociações

    Mesa de negociação mostra que Plano de Carreira só virá com luta

    Mesa de negociação mostra que Plano de Carreira só virá com luta
    Enquanto Prefeitura alega não ter dinheiro para atender pauta, Greca esbanja dinheiro público em restaurantes

    Na tarde desta terça-feira (21) a direção do SISMMAC se reuniu com a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH) para discutir sobre o Plano de Carreira, e condições de trabalho, criação de concursos públicos, hora-atividade.

    Durante a reunião, a direção do SISMMAC voltou a cobrar o Plano de Carreira do magistério, e relembrou que há uma ação judicial em andamento para exigir a transição, a nova tabela salarial e o pagamento dos retroativos referentes à dívida acumulada. Ao ser cobrada pelo Sindicato se há possibilidade de avançar na pauta pela via política, sem necessidade da lentidão da via judicial, a administração respondeu que vai levar essa discussão para o secretário de Recursos Humanos.

    Já sobre o descongelamento do Plano, a administração usou novamente a desculpa de dificuldades financeiras e informou que o relatório da comissão criada para revisar os Planos de Carreira dos servidores deve ser entregue em setembro deste ano. No entanto, tudo indica que a revisão feita pela comissão deve retirar avanços duramente conquistados pela categoria. Por isso, devemos ficar atentos e conscientes que a luta será a única forma de garantir a implementação do nosso Plano de Carreira.

    Concurso público e PSS

    Os dados fornecidos pela própria Prefeitura reafirmam a falta de profissionais e uma reposição muito aquém da necessidade nas unidades escolares. Mais de mil profissionais da educação atuam em regime de RIT de vaga-vaga e são passivos de rompimento em qualquer momento, o que prejudica trabalho pedagógico e as condições de trabalho.

    Além de defender a criação de novos concursos públicos, o SISMMAC entende que o RIT deve ser usado para repor afastamentos legais, e não como um tapa buraco financeiro da administração.

    A direção do SISMMAC questionou as reais intenções por trás da implementação do Processo Seletivo Simples (PSS), mas a Prefeitura se mostrou evasiva e se recusou a responder à questão das contratações via PSS em detrimento da nomeação via concurso público.

    Hora-atividade

    O SISMMAC também cobrou quais serão as medidas da Secretaria Municipal de Educação em relação ao cumprimento da lei da hora-atividade. Ao mesmo tempo que a hora-atividade é um direito, a mesma não garante a realização dos 33% por falta de profissionais.

    Ao ser questionada sobre o calendário de contratações, a Prefeitura afirma que há 426 aprovados em concurso e não se compromete a informar o calendário, justificando que segue as limitações impostas pelo pacotaço de 2017.

    A SME ainda afirmou que nos CMEIs é praticado 1/5 de hora-atividade e que, por questões orçamentárias, não conseguem avançar para os 33%. Isso demonstra desconhecimento por parte da gestão sobre a realização da hora atividade. O Sindicato constata, levando em conta as visitas nas unidades, que nem 1/5 da hora atividade é cumprido semanalmente na maioria dos CMEIs, prejudicando assim as condições de trabalho e a qualidade do ensino. No entanto, a administração não se comprometeu com um calendário de contratações para solucionar esse problema.

    Revisão da portaria de redimensionamento

    Durante a reunião, a Prefeitura admitiu que houve uma redução do número de profissionais de Educação Física, mas insiste na justifica de que não houve prejuízo na qualidade do atendimento nas escolas. Entretanto, somente as professoras e professores da rede que atuam diretamente no chão da escola sabem e podem julgar o real impacto negativo dessa medida.

    Diante dos últimos resultados da mesa de negociação, o SISMMAC reafirma que o Plano de Carreira e melhores condições de trabalho só virão com a união da categoria. Por isso, converse com os seus colegas de trabalho e ajude a construir a mobilização em defesa de direitos! 

    O restante da pauta sobre as condições de trabalho será discutido na próxima reunião, que está marcada para quinta-feira (23). Você pode conferir a ata em aqui.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS