Sismac

Notícias | Negociações

Imprimir
  • Comissão repudia desrespeito na revisão da lei de eleição de diretores
    25 | 10 | 2017 - 14:05 Negociações

    Comissão repudia desrespeito na revisão da lei de eleição de diretores

    Nota de repúdio assinada pela maioria dos membros da comissão formada para revisão da lei foi entregue aos vereadores

    Os vereadores receberam nesta quarta-feira (25) uma nota de repúdio que denuncia o desrespeito da Prefeitura em relação aos estudos realizados para alterar a atual lei da eleição de diretores. Além de denunciar a postura antidemocrática da administração municipal, o documento, assinado pela maioria dos membros da comissão formada para revisar a Lei 14.528/2014, também cobra que os vereadores sejam coerentes e ouçam as reivindicações da comunidade escolar.

    Entre os meses de julho e setembro, a comissão analisou a lei atual e definiu alterações que seriam encaminhadas à Câmara Municipal. Entretanto, Greca passou por cima do debate e enviou um projeto de lei sem incluir a maior parte das alterações debatidas pelo grupo.

    Atraso para o envio do projeto limita o debate
    Além disso, demorou mais de 40 dias após a conclusão dos trabalhos para enviar o projeto à Câmara Municipal. A manobra estrangulou o prazo necessário para o amplo debate, impondo que os vereadores analisem o projeto a toque de caixa para que a eleição ocorra ainda esse ano.

    A nota de repúdio denuncia ainda que o projeto enviado pela Prefeitura incluiu apenas alterações de cunho burocrático, que têm como objetivo o corte de gastos. É o caso, por exemplo, da mudança que prevê que as direções e vice direções de escola que desenvolvem Educação de Jovens e Adultos (EJA) sejam obrigadas a acompanhar a unidade no turno da noite. Além de fragilizar o trabalho da direção nos turnos da manhã e da tarde, essa mudança abre brecha para a Prefeitura cortar o articulador da EJA.

    O SISMMAC e os representantes dos demais segmentos que participaram da comissão não vão se calar diante de mais esse ataque da Prefeitura aos princípios da gestão democrática. Vamos acompanhar a tramitação desse projeto na Câmara Municipal e pressionar os vereadores para que sejam coerentes e respeitem as reivindicações do magistério.


Imprimir
  • 25 | 10 | 2017 - 14:05 Negociações
    Comissão repudia desrespeito na revisão da lei de eleição de diretores

    Comissão repudia desrespeito na revisão da lei de eleição de diretores

    Nota de repúdio assinada pela maioria dos membros da comissão formada para revisão da lei foi entregue aos vereadores

    Os vereadores receberam nesta quarta-feira (25) uma nota de repúdio que denuncia o desrespeito da Prefeitura em relação aos estudos realizados para alterar a atual lei da eleição de diretores. Além de denunciar a postura antidemocrática da administração municipal, o documento, assinado pela maioria dos membros da comissão formada para revisar a Lei 14.528/2014, também cobra que os vereadores sejam coerentes e ouçam as reivindicações da comunidade escolar.

    Entre os meses de julho e setembro, a comissão analisou a lei atual e definiu alterações que seriam encaminhadas à Câmara Municipal. Entretanto, Greca passou por cima do debate e enviou um projeto de lei sem incluir a maior parte das alterações debatidas pelo grupo.

    Atraso para o envio do projeto limita o debate
    Além disso, demorou mais de 40 dias após a conclusão dos trabalhos para enviar o projeto à Câmara Municipal. A manobra estrangulou o prazo necessário para o amplo debate, impondo que os vereadores analisem o projeto a toque de caixa para que a eleição ocorra ainda esse ano.

    A nota de repúdio denuncia ainda que o projeto enviado pela Prefeitura incluiu apenas alterações de cunho burocrático, que têm como objetivo o corte de gastos. É o caso, por exemplo, da mudança que prevê que as direções e vice direções de escola que desenvolvem Educação de Jovens e Adultos (EJA) sejam obrigadas a acompanhar a unidade no turno da noite. Além de fragilizar o trabalho da direção nos turnos da manhã e da tarde, essa mudança abre brecha para a Prefeitura cortar o articulador da EJA.

    O SISMMAC e os representantes dos demais segmentos que participaram da comissão não vão se calar diante de mais esse ataque da Prefeitura aos princípios da gestão democrática. Vamos acompanhar a tramitação desse projeto na Câmara Municipal e pressionar os vereadores para que sejam coerentes e respeitem as reivindicações do magistério.


Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS