Sismac

Notícias | Negociações

Imprimir
  • Perícia e ICS são discutidos em reunião de negociação
    19 | 04 | 2017 - 15:47 Negociações

    Perícia e ICS são discutidos em reunião de negociação

    Mesmo com reunião agendada pela própria administração, direção do ICS não participou da discussão sobre o Instituto

    Na manhã desta quarta-feira (19), a mesa de negociação entre direção do SISMMAC e administração municipal discutiu os itens da Pauta de Reivindicações Prioritária do magistério que tratam do Instituto Curitiba de Saúde (ICS) e também da perícia médica, incluídos após a revogação do decreto que permitia que os atestados fossem entregues para a chefia imediata.

    Perícia médica

    O SISMMAC reivindicou o retorno da portaria que possibilitava que os atestados médicos de até três dias dos servidores e seus dependentes fossem apresentados diretamente para a chefia imediata, sem necessidade de passar pela perícia.

    A justificativa da administração municipal é de que a medida teria trazido inúmeros prejuízos para os próprios servidores e também para as direções das escolas. A Prefeitura alegou que tanto falhas técnicas, seja do próprio sistema ou oscilações na internet, quanto problemas operacionais enfrentados pelas chefias imediatas foram os motivos que forçaram a administração a revogar a portaria.

    O SISMMAC exigiu que a Prefeitura envie dados que comprovem essa argumentação pois, ao contrário do que alegam, não identificamos esses problemas nas unidades escolares. A administração não pode tratar exceções como regra, e retirar um direito que beneficia inúmeros servidores apenas porque alguns problemas foram relatados.

    ICS

    Mesmo com a reunião agendada pela própria administração, com data, horário e tema escolhido por eles, nenhum representante do ICS participou da negociação. Apenas enviaram as respostas por escrito, o que impossibilitou que houvesse qualquer negociação.

    Nenhum dos itens que reivindicam melhorias no Instituto Curitiba de Saúde foram atendidos pela gestão de Rafael Greca. Como já era de se esperar, a administração municipal recusou todas as reivindicações do magistério que solicitam gestão democrática e a conversão do ICS em autarquia.

    Além disso, o SISMMAC cobrou que a Prefeitura pague a dívida que tem com o Instituto. Apesar dessa mesa de negociação ser a instância mais adequada para debater essa questão, a administração municipal achou suficiente afirmar que o Sindicato tem espaço no Conselho de Administração do ICS.

    Hoje, cinco sindicatos representam o conjunto dos servidores municipais de Curitiba, mas, no Conselho de Administração do ICS há apenas um titular que representa o funcionalismo. Além disso, esse representante não tem acesso aos dados analisados pela direção do ICS e, muito menos, elementos para fazer uma avaliação das propostas financeiras que são feitas ao Conselho.

    Esse é um dos motivos que faz com que tanto o SISMMAC quanto os demais sindicatos que representam os servidores reivindiquem que a gestão do Instituto seja de fato democrática.

    O Sindicato exigiu que qualquer nova alteração na lei que trata do ICS deverá ser trazida para discussão com os cinco sindicatos que representam os servidores públicos antes de ser enviada à Câmara Municipal.

    Confira aqui a ata da reunião e aqui as respostas da Secretaria Municipal de Recursos Humanos.

Imprimir
  • 19 | 04 | 2017 - 15:47 Negociações
    Perícia e ICS são discutidos em reunião de negociação

    Perícia e ICS são discutidos em reunião de negociação

    Mesmo com reunião agendada pela própria administração, direção do ICS não participou da discussão sobre o Instituto

    Na manhã desta quarta-feira (19), a mesa de negociação entre direção do SISMMAC e administração municipal discutiu os itens da Pauta de Reivindicações Prioritária do magistério que tratam do Instituto Curitiba de Saúde (ICS) e também da perícia médica, incluídos após a revogação do decreto que permitia que os atestados fossem entregues para a chefia imediata.

    Perícia médica

    O SISMMAC reivindicou o retorno da portaria que possibilitava que os atestados médicos de até três dias dos servidores e seus dependentes fossem apresentados diretamente para a chefia imediata, sem necessidade de passar pela perícia.

    A justificativa da administração municipal é de que a medida teria trazido inúmeros prejuízos para os próprios servidores e também para as direções das escolas. A Prefeitura alegou que tanto falhas técnicas, seja do próprio sistema ou oscilações na internet, quanto problemas operacionais enfrentados pelas chefias imediatas foram os motivos que forçaram a administração a revogar a portaria.

    O SISMMAC exigiu que a Prefeitura envie dados que comprovem essa argumentação pois, ao contrário do que alegam, não identificamos esses problemas nas unidades escolares. A administração não pode tratar exceções como regra, e retirar um direito que beneficia inúmeros servidores apenas porque alguns problemas foram relatados.

    ICS

    Mesmo com a reunião agendada pela própria administração, com data, horário e tema escolhido por eles, nenhum representante do ICS participou da negociação. Apenas enviaram as respostas por escrito, o que impossibilitou que houvesse qualquer negociação.

    Nenhum dos itens que reivindicam melhorias no Instituto Curitiba de Saúde foram atendidos pela gestão de Rafael Greca. Como já era de se esperar, a administração municipal recusou todas as reivindicações do magistério que solicitam gestão democrática e a conversão do ICS em autarquia.

    Além disso, o SISMMAC cobrou que a Prefeitura pague a dívida que tem com o Instituto. Apesar dessa mesa de negociação ser a instância mais adequada para debater essa questão, a administração municipal achou suficiente afirmar que o Sindicato tem espaço no Conselho de Administração do ICS.

    Hoje, cinco sindicatos representam o conjunto dos servidores municipais de Curitiba, mas, no Conselho de Administração do ICS há apenas um titular que representa o funcionalismo. Além disso, esse representante não tem acesso aos dados analisados pela direção do ICS e, muito menos, elementos para fazer uma avaliação das propostas financeiras que são feitas ao Conselho.

    Esse é um dos motivos que faz com que tanto o SISMMAC quanto os demais sindicatos que representam os servidores reivindiquem que a gestão do Instituto seja de fato democrática.

    O Sindicato exigiu que qualquer nova alteração na lei que trata do ICS deverá ser trazida para discussão com os cinco sindicatos que representam os servidores públicos antes de ser enviada à Câmara Municipal.

    Confira aqui a ata da reunião e aqui as respostas da Secretaria Municipal de Recursos Humanos.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS