Sismac

Notícias | Negociações

Imprimir
  • Prefeitura abandona negociação de reivindicações do magistério
    13 | 10 | 2016 - 18:26 Negociações

    Prefeitura abandona negociação de reivindicações do magistério

    Pressão do magistério deve ser intensa para cobrar que as negociações sejam retomadas em outubro
    Estamos em outubro, a cerca de dois meses do final do ano, e até agora a Prefeitura não negociou grande parte das reivindicações do magistério. Apesar de estar com a nossa Pauta Geral de Reivindicações em mãos desde o dia 30 de maio, a administração municipal preferiu negligenciar os problemas e anseios da categoria. Até agora, só foram debatidos 20 dos 93 itens que compõem a Pauta.

    78% da Pauta Geral de Reivindicações ainda não foi negociada com a administração

    ITENS DEBATIDOS COM A PREFEITURA:

    · Reivindicações das pedagogas e pedagogos (itens 36 a 42);
    · Reivindicações da Educação Especial (itens 72 a 86).

    ITENS QUE NÃO FORAM NEGOCIADOS AINDA:
    · Financiamento da educação;
    · Estrutura e funcionamento;
    · Gestão democrática;
    · Questões funcionais;
    · Saúde do trabalhador;
    · Diversidade e orientação sexual;
    · Educação integral;
    · Educação infantil;
    · Séries finais;
    · Educação de jovens e adultos (EJA),
    · Aposentados
    · Retirada das faltas da greve de agosto de 2014 (Item da Pauta Prioritária de Reivindicações, que foi entregue à Prefeitura em26 de fevereiro).
    Além disso, a Prefeitura ainda não apresentou uma resposta sobre a retirada das faltas da greve de agosto de 2014. No ano passado, após vetar os pontos da lei da data-base que abonavam as faltas, o prefeito Gustavo Fruet se comprometeu a abrir um canal de negociação para tratar desse assunto. Novamente, no início deste ano, a administração assumiu o compromisso de negociar, mas nada foi feito de concreto.

    Após as cobranças diárias da direção do SISMMAC, a administração informou que essas negociações serão retomadas em outubro.

    É um descaso com os trabalhadores da educação! Em ano eleitoral, tudo foi esquecido e o foco da gestão até esse momento foram as eleições municipais. Vale lembrar que o mandato desta gestão vai até o dia 31 de dezembro. Por isso, vamos continuar cobrando o calendário para tratar os pontos que ainda não foram negociados.

    Criticar o descaso de Fruet não significa apoiar qualquer um dos candidatos que disputarão o segundo turno.

    O SISMMAC reafirma sua posição de completa independência frente aos patrões e governos. Criticamos todos os candidatos que levantam a bandeira da educação apenas de forma oportunista, na época das eleições. Durante a gestão de Rafael Greca (1993 – 1996), a Prefeitura impôs ataques à educação, com arrocho salarial e perseguição ao movimento sindical. Ney Leprevost já era vereador na década de 1990 e pouco fez para mudar essa realidade de descaso com os servidores.

    Independentemente de quem seja eleito, nossa luta deve continuar por melhores condições de trabalho, em defesa de nossos direitos e por uma educação de qualidade!

    Construção das reivindicações priorizou o debate e participação do magistério

    Neste ano, o magistério mudou a forma de negociar suas reivindicações com a Prefeitura. A Pauta de Reivindicações Prioritária, com 27 itens, foi entregue em fevereiro e negociada nos meses de março, abril e maio.

    Já as reivindicações específicas de cada segmento foram debatidas em reuniões realizadas na sede do Sindicato e aprovadas em assembleia no dia 24 de maio. A Pauta Geral de Reivindicações foi entregue à Prefeitura no final de maio e devia ter sido negociada até o início do segundo semestre. Entretanto, estamos entrando no mês de outubro sem ter concluído ainda as negociações.

    Pressão para cobrar a definição dos critérios para avanço no novo Plano de Carreira

    A partir do contracheque pago no final de dezembro, passaremos para o novo Plano de Carreira. Essa mudança vai gerar ganhos de enquadramento para maioria da categoria, incluindo ativos e aposentados.

    Entretanto, ainda devemos ficar atentos para cobrar que as conquistas saiam do papel! Nas negociações da Pauta de Reivindicações Prioritária, a Prefeitura se comprometeu a definir os critérios para o crescimento no novo Plano de Carreira (Avanço Linear e Mudança de Classe) no segundo semestre deste ano.

    Após muita cobrança, a administração informou que a primeira reunião da comissão paritária responsável por definir esses critérios será realizada em outubro, mas ainda não há uma data marcada.

    Vamos cobrar que o decreto com a definição desses critérios seja publicado antes da implantação do novo Plano de Carreira e ainda na gestão do atual prefeito.

    Matéria publicada na edição de setembro do jornal Diário de Classe
Imprimir
  • 13 | 10 | 2016 - 18:26 Negociações
    Prefeitura abandona negociação de reivindicações do magistério

    Prefeitura abandona negociação de reivindicações do magistério

    Pressão do magistério deve ser intensa para cobrar que as negociações sejam retomadas em outubro
    Estamos em outubro, a cerca de dois meses do final do ano, e até agora a Prefeitura não negociou grande parte das reivindicações do magistério. Apesar de estar com a nossa Pauta Geral de Reivindicações em mãos desde o dia 30 de maio, a administração municipal preferiu negligenciar os problemas e anseios da categoria. Até agora, só foram debatidos 20 dos 93 itens que compõem a Pauta.

    78% da Pauta Geral de Reivindicações ainda não foi negociada com a administração

    ITENS DEBATIDOS COM A PREFEITURA:

    · Reivindicações das pedagogas e pedagogos (itens 36 a 42);
    · Reivindicações da Educação Especial (itens 72 a 86).

    ITENS QUE NÃO FORAM NEGOCIADOS AINDA:
    · Financiamento da educação;
    · Estrutura e funcionamento;
    · Gestão democrática;
    · Questões funcionais;
    · Saúde do trabalhador;
    · Diversidade e orientação sexual;
    · Educação integral;
    · Educação infantil;
    · Séries finais;
    · Educação de jovens e adultos (EJA),
    · Aposentados
    · Retirada das faltas da greve de agosto de 2014 (Item da Pauta Prioritária de Reivindicações, que foi entregue à Prefeitura em26 de fevereiro).
    Além disso, a Prefeitura ainda não apresentou uma resposta sobre a retirada das faltas da greve de agosto de 2014. No ano passado, após vetar os pontos da lei da data-base que abonavam as faltas, o prefeito Gustavo Fruet se comprometeu a abrir um canal de negociação para tratar desse assunto. Novamente, no início deste ano, a administração assumiu o compromisso de negociar, mas nada foi feito de concreto.

    Após as cobranças diárias da direção do SISMMAC, a administração informou que essas negociações serão retomadas em outubro.

    É um descaso com os trabalhadores da educação! Em ano eleitoral, tudo foi esquecido e o foco da gestão até esse momento foram as eleições municipais. Vale lembrar que o mandato desta gestão vai até o dia 31 de dezembro. Por isso, vamos continuar cobrando o calendário para tratar os pontos que ainda não foram negociados.

    Criticar o descaso de Fruet não significa apoiar qualquer um dos candidatos que disputarão o segundo turno.

    O SISMMAC reafirma sua posição de completa independência frente aos patrões e governos. Criticamos todos os candidatos que levantam a bandeira da educação apenas de forma oportunista, na época das eleições. Durante a gestão de Rafael Greca (1993 – 1996), a Prefeitura impôs ataques à educação, com arrocho salarial e perseguição ao movimento sindical. Ney Leprevost já era vereador na década de 1990 e pouco fez para mudar essa realidade de descaso com os servidores.

    Independentemente de quem seja eleito, nossa luta deve continuar por melhores condições de trabalho, em defesa de nossos direitos e por uma educação de qualidade!

    Construção das reivindicações priorizou o debate e participação do magistério

    Neste ano, o magistério mudou a forma de negociar suas reivindicações com a Prefeitura. A Pauta de Reivindicações Prioritária, com 27 itens, foi entregue em fevereiro e negociada nos meses de março, abril e maio.

    Já as reivindicações específicas de cada segmento foram debatidas em reuniões realizadas na sede do Sindicato e aprovadas em assembleia no dia 24 de maio. A Pauta Geral de Reivindicações foi entregue à Prefeitura no final de maio e devia ter sido negociada até o início do segundo semestre. Entretanto, estamos entrando no mês de outubro sem ter concluído ainda as negociações.

    Pressão para cobrar a definição dos critérios para avanço no novo Plano de Carreira

    A partir do contracheque pago no final de dezembro, passaremos para o novo Plano de Carreira. Essa mudança vai gerar ganhos de enquadramento para maioria da categoria, incluindo ativos e aposentados.

    Entretanto, ainda devemos ficar atentos para cobrar que as conquistas saiam do papel! Nas negociações da Pauta de Reivindicações Prioritária, a Prefeitura se comprometeu a definir os critérios para o crescimento no novo Plano de Carreira (Avanço Linear e Mudança de Classe) no segundo semestre deste ano.

    Após muita cobrança, a administração informou que a primeira reunião da comissão paritária responsável por definir esses critérios será realizada em outubro, mas ainda não há uma data marcada.

    Vamos cobrar que o decreto com a definição desses critérios seja publicado antes da implantação do novo Plano de Carreira e ainda na gestão do atual prefeito.

    Matéria publicada na edição de setembro do jornal Diário de Classe

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS