Sismac

Notícias | Ed. Infantil

Imprimir
  • Apoio do magistério à paralisação dos profissionais da educação infantil
    22 | 05 | 2015 - 08:59 Ed. Infantil

    Apoio do magistério à paralisação dos profissionais da educação infantil

    O descaso da administração municipal e as péssimas condições de trabalho afetam todas as trabalhadoras e trabalhadores dos CMEIs e prejudicam a qualidade da educação ofertada às crianças

    Nesta sexta-feira (22), as professoras de educação infantil dos CMEIs – profissionais que antes recebiam o nome de educadoras – paralisam por 50 minutos para protestar contra as péssimas condições de trabalho e o desrespeito à hora-atividade. A paralisação faz parte de uma campanha de denúncia da verdadeira situação enfrentada na educação infantil de Curitiba.

    Entre os principais problemas, estão a falta de trabalhadores concursados, superlotação de turmas, desrespeito à hora-atividade, péssimas condições de trabalho, assédio moral de chefias, substituição de trabalhadores concursados por estagiários.

    O descaso da administração municipal e as péssimas condições de trabalho afetam todas as trabalhadoras e trabalhadores dos CMEIs e prejudicam a qualidade da educação ofertada às crianças. As professoras e professores do quadro do magistério, representadas pelo SISMMAC, também são forçadas a abrir mão do tempo assegurado em lei para estudo e preparo das aulas. Isso ocorre porque a Prefeitura se recusa a fazer as contratações necessárias para garantir esse direito. Na maioria dos CMEIs, a hora-atividade funciona em sistema de rodízio entre os profissionais e está muito longe de alcançar os 33,33% assegurados em lei.

    O SISMMAC apoia a paralisação das profissionais da educação infantil, nossas colegas de trabalho nos CMEIs e companheiras na defesa da educação pública de qualidade!

    Solidariedade ativa as nossas colegas de sala de aula
    Orientamos as professoras e professores do quadro do magistério que atuam em CMEIs a não receber os alunos nesses 50 minutos em apoio à paralisação. Além de não atrapalhar a luta de nossos colegas de trabalho, não receber os alunos também é uma garantia para o magistério, já que sem o trabalho dessas profissionais, os CMEIs não possuem condições mínimas de atendimento e segurança para as crianças.
     

Imprimir
  • 22 | 05 | 2015 - 08:59 Ed. Infantil
    Apoio do magistério à paralisação dos profissionais da educação infantil

    Apoio do magistério à paralisação dos profissionais da educação infantil

    O descaso da administração municipal e as péssimas condições de trabalho afetam todas as trabalhadoras e trabalhadores dos CMEIs e prejudicam a qualidade da educação ofertada às crianças

    Nesta sexta-feira (22), as professoras de educação infantil dos CMEIs – profissionais que antes recebiam o nome de educadoras – paralisam por 50 minutos para protestar contra as péssimas condições de trabalho e o desrespeito à hora-atividade. A paralisação faz parte de uma campanha de denúncia da verdadeira situação enfrentada na educação infantil de Curitiba.

    Entre os principais problemas, estão a falta de trabalhadores concursados, superlotação de turmas, desrespeito à hora-atividade, péssimas condições de trabalho, assédio moral de chefias, substituição de trabalhadores concursados por estagiários.

    O descaso da administração municipal e as péssimas condições de trabalho afetam todas as trabalhadoras e trabalhadores dos CMEIs e prejudicam a qualidade da educação ofertada às crianças. As professoras e professores do quadro do magistério, representadas pelo SISMMAC, também são forçadas a abrir mão do tempo assegurado em lei para estudo e preparo das aulas. Isso ocorre porque a Prefeitura se recusa a fazer as contratações necessárias para garantir esse direito. Na maioria dos CMEIs, a hora-atividade funciona em sistema de rodízio entre os profissionais e está muito longe de alcançar os 33,33% assegurados em lei.

    O SISMMAC apoia a paralisação das profissionais da educação infantil, nossas colegas de trabalho nos CMEIs e companheiras na defesa da educação pública de qualidade!

    Solidariedade ativa as nossas colegas de sala de aula
    Orientamos as professoras e professores do quadro do magistério que atuam em CMEIs a não receber os alunos nesses 50 minutos em apoio à paralisação. Além de não atrapalhar a luta de nossos colegas de trabalho, não receber os alunos também é uma garantia para o magistério, já que sem o trabalho dessas profissionais, os CMEIs não possuem condições mínimas de atendimento e segurança para as crianças.
     

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS