Sismac

Notícias | Ed. Especial

Imprimir
  • Prefeitura empurra 4 crianças com síndrome de down de CMEI para escola
    Ato fez Prefeitura assumir o compromisso de dar uma resposta em 48h | Foto: Associação Renascer Down
    24 | 04 | 2018 - 18:17 Ed. Especial

    Prefeitura empurra 4 crianças com síndrome de down de CMEI para escola

    Gestão Greca desrespeita avaliação de especialistas e vontade dos pais e força a saída das crianças da educação infantil

    Na última segunda-feira (23), mães e pais de quatro crianças com síndrome de down receberam a notícia de que seus filhos não poderiam continuar estudando nos CMEIs onde as matrículas eram mantidas com o apoio do Ministério Público por meio de uma liminar.

    A administração recorreu da decisão que garantia a frequência dessas crianças nos CMEIs e obteve um novo parecer, tornando obrigatória a entrada delas no ensino fundamental. Como desculpa para abrir vagas nos CMEIs, a Prefeitura alegou que as crianças já atingiram a idade máxima de permanência na educação infantil

    O posicionamento arbitrário da administração municipal não leva em consideração o processo de desenvolvimento das crianças que, segundo os apoios de avaliação psicológica, seriam beneficiadas com a retenção na educação infantil. Houve também falta de respeito e sensibilidade ao comunicar os pais. Um bilhete de convocação para uma reunião foi enviado nas agendas das crianças nessa última sexta-feira, sem especificar o assunto que seria tratado no encontro. Na segunda-feira (23), os pais foram surpreendidos pelo verdadeiro motivo da reunião: a expulsão de seus filhos do CMEI. 

    Por esse motivo, pais, professores e membros da Associação Reviver Down realizaram um protesto na tarde de ontem (24) em frente ao prédio da Prefeitura. Durante a mobilização, uma comissão formada por pais e profissionais da educação foi recebida pela procuradora-geral do município, Vanessa Volp, e pela assessora de Políticas para Pessoas com Deficiência de Curitiba, Denise Moraes.

    Apesar de alegar durante a negociação que está apenas cumprindo a lei, a administração se comprometeu a dar uma resposta às reivindicações nas próximas 48 horas, para aguardar a volta e o parecer do prefeito Rafael Greca que está em viagem no México.

    A direção do SISMMAC demonstra apoio total à manifestação dos pais das crianças com síndrome de down que foram impedidas de continuar a frequentar os CMEIs por causa da idade. A Prefeitura usa um discurso de inclusão de crianças com necessidades especiais, mas na verdade continua sustentando a lógica da escola como um depósito, sem o esforço de entender a verdadeira realidade do chão da escola e as necessidades de cada criança.

Imprimir
  • 24 | 04 | 2018 - 18:17 Ed. Especial
    Prefeitura empurra 4 crianças com síndrome de down de CMEI para escola
    Ato fez Prefeitura assumir o compromisso de dar uma resposta em 48h | Foto: Associação Renascer Down

    Prefeitura empurra 4 crianças com síndrome de down de CMEI para escola

    Gestão Greca desrespeita avaliação de especialistas e vontade dos pais e força a saída das crianças da educação infantil

    Na última segunda-feira (23), mães e pais de quatro crianças com síndrome de down receberam a notícia de que seus filhos não poderiam continuar estudando nos CMEIs onde as matrículas eram mantidas com o apoio do Ministério Público por meio de uma liminar.

    A administração recorreu da decisão que garantia a frequência dessas crianças nos CMEIs e obteve um novo parecer, tornando obrigatória a entrada delas no ensino fundamental. Como desculpa para abrir vagas nos CMEIs, a Prefeitura alegou que as crianças já atingiram a idade máxima de permanência na educação infantil

    O posicionamento arbitrário da administração municipal não leva em consideração o processo de desenvolvimento das crianças que, segundo os apoios de avaliação psicológica, seriam beneficiadas com a retenção na educação infantil. Houve também falta de respeito e sensibilidade ao comunicar os pais. Um bilhete de convocação para uma reunião foi enviado nas agendas das crianças nessa última sexta-feira, sem especificar o assunto que seria tratado no encontro. Na segunda-feira (23), os pais foram surpreendidos pelo verdadeiro motivo da reunião: a expulsão de seus filhos do CMEI. 

    Por esse motivo, pais, professores e membros da Associação Reviver Down realizaram um protesto na tarde de ontem (24) em frente ao prédio da Prefeitura. Durante a mobilização, uma comissão formada por pais e profissionais da educação foi recebida pela procuradora-geral do município, Vanessa Volp, e pela assessora de Políticas para Pessoas com Deficiência de Curitiba, Denise Moraes.

    Apesar de alegar durante a negociação que está apenas cumprindo a lei, a administração se comprometeu a dar uma resposta às reivindicações nas próximas 48 horas, para aguardar a volta e o parecer do prefeito Rafael Greca que está em viagem no México.

    A direção do SISMMAC demonstra apoio total à manifestação dos pais das crianças com síndrome de down que foram impedidas de continuar a frequentar os CMEIs por causa da idade. A Prefeitura usa um discurso de inclusão de crianças com necessidades especiais, mas na verdade continua sustentando a lógica da escola como um depósito, sem o esforço de entender a verdadeira realidade do chão da escola e as necessidades de cada criança.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS