Sismac

Notícias | Ed. Especial

Imprimir
  • Contra os cortes da Prefeitura, todos à assembleia
    A ‘otimização de pessoal’ propagandeada pela Prefeitura é aumento da sobrecarga | Ctrl S Comunicação
    27 | 07 | 2016 - 09:48 Condições de Trabalho

    Contra os cortes da Prefeitura, todos à assembleia

    Vamos enfrentar os ataques da administração com luta e mobilização! Venha discutir o indicativo de greve do magistério!

    Cortes na educação, atraso no crescimento vertical, fechamento de classes especiais, retirada de contratos de RIT e dos agentes de leitura das bibliotecas são algumas das medidas que a Prefeitura apresentou e pegou muitos professores de surpresa na véspera do recesso. Com essas ações, a gestão do prefeito Gustavo Fruet promoverá um desmonte na educação municipal.

    Agora, no retorno das aulas, precisamos responder a esses ataques. Por isso, estamos convocando uma assembleia para o dia 2 de agosto para discutirmos o indicativo de greve do magistério. 

    Participe da assembleia sobre o Indicativo de Greve

    Data: 2 de agosto
    Horário: às 18h30 em primeira chamada e às 19h em segunda chamada
    Local: Clube dos Subtenentes (Rua Comendador Fontana, 57 - Centro Cívico)

    Mais uma vez, a Prefeitura mostra que a qualidade da educação não é a prioridade dessa gestão, que ignora problemas graves como a falta de professores na rede pública de ensino. As medidas que prejudicam a estrutura pedagógica das escolas foram feitas sem ao menos considerar um diálogo com os trabalhadores da educação.

    A desculpa para os cortes é de que é preciso economizar devido à crise econômica. Porém, enquanto a Prefeitura gasta com propaganda da própria administração e atende as demandas dos empresários, enxuga até a última gota dos profissionais da educação, que terão que lidar com uma sobrecarga de trabalho ainda maior no segundo semestre de 2016.

    A nossa luta é por melhores condições de trabalho e garantia da qualidade de ensino! Para barrar os ataques, o magistério precisa se unir para organizar uma grande mobilização e lutar em defesa de direitos e contra os cortes nos investimentos na educação!

    Matéria publicada na edição especial do jornal Diário de Classe
Imprimir
  • 27 | 07 | 2016 - 09:48 Condições de Trabalho
    Contra os cortes da Prefeitura, todos à assembleia
    A ‘otimização de pessoal’ propagandeada pela Prefeitura é aumento da sobrecarga | Ctrl S Comunicação

    Contra os cortes da Prefeitura, todos à assembleia

    Vamos enfrentar os ataques da administração com luta e mobilização! Venha discutir o indicativo de greve do magistério!

    Cortes na educação, atraso no crescimento vertical, fechamento de classes especiais, retirada de contratos de RIT e dos agentes de leitura das bibliotecas são algumas das medidas que a Prefeitura apresentou e pegou muitos professores de surpresa na véspera do recesso. Com essas ações, a gestão do prefeito Gustavo Fruet promoverá um desmonte na educação municipal.

    Agora, no retorno das aulas, precisamos responder a esses ataques. Por isso, estamos convocando uma assembleia para o dia 2 de agosto para discutirmos o indicativo de greve do magistério. 

    Participe da assembleia sobre o Indicativo de Greve

    Data: 2 de agosto
    Horário: às 18h30 em primeira chamada e às 19h em segunda chamada
    Local: Clube dos Subtenentes (Rua Comendador Fontana, 57 - Centro Cívico)

    Mais uma vez, a Prefeitura mostra que a qualidade da educação não é a prioridade dessa gestão, que ignora problemas graves como a falta de professores na rede pública de ensino. As medidas que prejudicam a estrutura pedagógica das escolas foram feitas sem ao menos considerar um diálogo com os trabalhadores da educação.

    A desculpa para os cortes é de que é preciso economizar devido à crise econômica. Porém, enquanto a Prefeitura gasta com propaganda da própria administração e atende as demandas dos empresários, enxuga até a última gota dos profissionais da educação, que terão que lidar com uma sobrecarga de trabalho ainda maior no segundo semestre de 2016.

    A nossa luta é por melhores condições de trabalho e garantia da qualidade de ensino! Para barrar os ataques, o magistério precisa se unir para organizar uma grande mobilização e lutar em defesa de direitos e contra os cortes nos investimentos na educação!

    Matéria publicada na edição especial do jornal Diário de Classe

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS