Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Conselho de Administração analisa dívidas da Prefeitura com o ICS
    Foto:Antônio More
    17 | 02 | 2017 - 10:37 Saúde

    Conselho de Administração analisa dívidas da Prefeitura com o ICS

    Além do calote da Prefeitura, convênio com a Santa Casa pode ter deixado dívida com ICS
    Nesta quinta-feira (16), a equipe do prefeito Rafael Greca apresentou um diagnóstico do Instituto Curitiba de Saúde durante a reunião do Conselho de Administração. Segundo as informações apresentadas, a dívida deixada pela Prefeitura é de cerca de R$ 35 milhões.

    O fim do convênio com a Santa Casa também pode ter deixado uma dívida. Os números obtidos pela direção do ICS e pela administração da Santa Casa são divergentes. Por isso, o Conselho de Administração aprovou a necessidade de contratar uma empresa de auditoria para analisar as contas deste contrato.

    A direção do SISMMAC acompanhou a reunião e cobrou informações sobre a contratação dos cerca de 200 trabalhadores que atuavam no ICS pelo convênio com a Santa Casa. A direção reconheceu que nem todos foram contratados e afirmou que nosso Instituto está funcionando com um número menor de profissionais para manter o mesmo custo total do convênio. O Sindicato cobrou que a administração apresente todos os dados na próxima reunião do Conselho.

    Dívidas da Prefeitura

    A Prefeitura de Curitiba tem duas dívidas com o ICS. A mais antiga foi gerada pelo descumprimento da Lei 8786/1995. A administração deixou de ressarcir o Instituto pelos programas de saúde ocupacional e 13 procedimentos médicos que são de sua responsabilidade.

    A segunda dívida começou em junho do ano passado, quando a Prefeitura passou a descumprir a Lei 9626/1999 e deixou de repassar a alíquota patronal de 3,65% sobre toda a folha de pagamento. Desde então, a Prefeitura retirou da base de cálculo os servidores que se descredenciaram do ICS.

    O diagnóstico feito pela nova equipe detectou que o ICS está funcionando sem o alvará regularizado da vigilância sanitária e do corpo de bombeiros.

    Planos de avanço da privatização

    No final da reunião, a administração do Instituto anunciou que pretende criar modalidades de planos de saúde privados para serem vendidas a outros servidores públicos e ao público em geral. A medida não é uma novidade e já vinha sendo estudada durante a gestão do prefeito Luciano Ducci.

    Apresentada como mais uma forma de captar recursos, essa proposta abre margem para cobranças diferenciadas para os servidores de Curitiba e seus dependentes. O magistério de Curitiba é contrário ao avanço da privatização e reivindica que o ICS se transforme em autarquia, com mais transparência em sua gestão e também nas contratações e licitações.

    O cadastro dos dependentes também passará por revisão. A administração do Instituto anunciou que pretende conferir o cadastro de todos os dependentes, em uma força tarefa junto com o Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba (IPMC) e a Secretaria Municipal de Recursos Humanos.

    Também propuseram terceirizar o serviço de fisioterapia que funciona no Centro Médico. Pretendem contratar uma clínica privada para prestar esse atendimento, como acontece com o laboratório de análises clínicas.

    O Sindicato defende que, ao invés de optar pela contratação terceirizada, a Prefeitura deve contratar servidores através de concurso público.

    A próxima reunião do Conselho de Administração do ICS está marcada para o dia 23 de março. Teremos que ficar atentos e reforçar a mobilização em defesa do nosso Instituto para garantir a melhoria na qualidade dos serviços!

Imprimir
  • 17 | 02 | 2017 - 10:37 Saúde
    Conselho de Administração analisa dívidas da Prefeitura com o ICS
    Foto:Antônio More

    Conselho de Administração analisa dívidas da Prefeitura com o ICS

    Além do calote da Prefeitura, convênio com a Santa Casa pode ter deixado dívida com ICS
    Nesta quinta-feira (16), a equipe do prefeito Rafael Greca apresentou um diagnóstico do Instituto Curitiba de Saúde durante a reunião do Conselho de Administração. Segundo as informações apresentadas, a dívida deixada pela Prefeitura é de cerca de R$ 35 milhões.

    O fim do convênio com a Santa Casa também pode ter deixado uma dívida. Os números obtidos pela direção do ICS e pela administração da Santa Casa são divergentes. Por isso, o Conselho de Administração aprovou a necessidade de contratar uma empresa de auditoria para analisar as contas deste contrato.

    A direção do SISMMAC acompanhou a reunião e cobrou informações sobre a contratação dos cerca de 200 trabalhadores que atuavam no ICS pelo convênio com a Santa Casa. A direção reconheceu que nem todos foram contratados e afirmou que nosso Instituto está funcionando com um número menor de profissionais para manter o mesmo custo total do convênio. O Sindicato cobrou que a administração apresente todos os dados na próxima reunião do Conselho.

    Dívidas da Prefeitura

    A Prefeitura de Curitiba tem duas dívidas com o ICS. A mais antiga foi gerada pelo descumprimento da Lei 8786/1995. A administração deixou de ressarcir o Instituto pelos programas de saúde ocupacional e 13 procedimentos médicos que são de sua responsabilidade.

    A segunda dívida começou em junho do ano passado, quando a Prefeitura passou a descumprir a Lei 9626/1999 e deixou de repassar a alíquota patronal de 3,65% sobre toda a folha de pagamento. Desde então, a Prefeitura retirou da base de cálculo os servidores que se descredenciaram do ICS.

    O diagnóstico feito pela nova equipe detectou que o ICS está funcionando sem o alvará regularizado da vigilância sanitária e do corpo de bombeiros.

    Planos de avanço da privatização

    No final da reunião, a administração do Instituto anunciou que pretende criar modalidades de planos de saúde privados para serem vendidas a outros servidores públicos e ao público em geral. A medida não é uma novidade e já vinha sendo estudada durante a gestão do prefeito Luciano Ducci.

    Apresentada como mais uma forma de captar recursos, essa proposta abre margem para cobranças diferenciadas para os servidores de Curitiba e seus dependentes. O magistério de Curitiba é contrário ao avanço da privatização e reivindica que o ICS se transforme em autarquia, com mais transparência em sua gestão e também nas contratações e licitações.

    O cadastro dos dependentes também passará por revisão. A administração do Instituto anunciou que pretende conferir o cadastro de todos os dependentes, em uma força tarefa junto com o Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba (IPMC) e a Secretaria Municipal de Recursos Humanos.

    Também propuseram terceirizar o serviço de fisioterapia que funciona no Centro Médico. Pretendem contratar uma clínica privada para prestar esse atendimento, como acontece com o laboratório de análises clínicas.

    O Sindicato defende que, ao invés de optar pela contratação terceirizada, a Prefeitura deve contratar servidores através de concurso público.

    A próxima reunião do Conselho de Administração do ICS está marcada para o dia 23 de março. Teremos que ficar atentos e reforçar a mobilização em defesa do nosso Instituto para garantir a melhoria na qualidade dos serviços!

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS