Sismac
  • 10 | 01 | 2022 - 13:38 Informe-se

    Câmara marca para quarta e quinta votação do reajuste dos servidores

    Câmara marca para quarta e quinta votação do reajuste dos servidores
    É hora de aumentar a pressão para garantir a aprovação dos projetos

    A Câmara dos Vereadores de Curitiba realizou uma sessão extraordinária na manhã de hoje (10) para deliberar exclusivamente sobre a data em que serão realizadas as votações dos projetos de lei que garantem a reposição salarial de 3,14%, correspondente ao IPCA do período de outubro de 2019 a setembro de 2020, e o reajuste salarial de 10,25%, correspondente ao IPCA do período de outubro de 2020 a setembro de 2021, para o magistério e para as demais categorias de servidores municipais.

    Por maioria absoluta (30 votos favoráveis, 4 contra e 1 abstenção), os parlamentares aprovaram a convocação de duas sessões extraordinárias, para 14h de quarta (12) e quinta-feira (13), para votar essas proposições junto com outras que concedem reajustes salariais aos agentes políticos (prefeito, vereadores etc) e a reposição inflacionária aos conselheiros tutelares.

    Apesar da resistência de quem costuma se posicionar frequentemente contra o serviço público, como as vereadoras Amália Tortato e Indiara Barbosa do partido NOVO (que de novo não tem nada, porque representa os interesses da velha política das ‘elites’, principalmente dos bancos), e Flavia Francischini (do PSL, esposa de Fernando Francischini, que teve o mandato de deputado estadual cassado por disseminação de fake news sobre urnas eletrônicas nas eleições de 2018), a maioria dos parlamentares compreendeu que a votação dos reajustes dos servidores é urgente e justa, e por isso não pode ser adiada.

    A vereadora Professora Josete (PT) derrubou os argumentos das parlamentares anti-servidores, mostrando que os reajustes do funcionalismo também impactarão positivamente a economia do município. Ela ainda relembrou que “quem garante a política pública lá na ponta [os servidores], essa pessoa precisa ter o seu direito garantido”.


    Mobilização

    A mobilização que os sindicatos e os servidores municipais de Curitiba vêm fazendo desde o ano passado tem sido fundamental no posicionamento dos vereadores. Por isso, precisamos manter a mobilização.

    Aqui você pode acessar a composição atual da Câmara dos Vereadores de Curitiba, com os links para contatos e redes sociais de cada um. Acesse as páginas, mande seu recado, comente nas postagens deles e cobre a responsabilidade, para que votem de forma favorável aos servidores.


    Contra quem?

    Foram apenas 4 votos contrários à convocação das sessões extraordinárias.

    Denian Couto (Podemos) justificou seu voto afirmando que não seria momento de votar também o aumento para os próprios políticos. Sua posição foi diferente de outros parlamentares, que também se posicionaram contra o aumento dos salários dos agentes políticos, mas votaram a favor da convocação para aprovar os reajustes dos servidores.

    Flavia Francischini (PSL) veio com a velha demagogia do “só não acho que esse é o momento propício” para o reajuste dos servidores (por seu histórico político, será surpreendente o dia em que ela for favorável ao funcionalismo).

    Já as vereadoras do NOVO repetiram a cartilha dos ricos e mantiveram a tática que mistura desinformação e o desejo profundo de agradar apenas as camadas privilegiadas da sociedade. Indiara Barbosa fez comparações desconexas entre servidores e trabalhadores da iniciativa privada, como se o papeis sociais de ambos fossem idênticos. Já Amália Tortato tentou questionar o “interesse público relevante” da votação dos reajustes dos servidores durante o recesso parlamentar (afinal, para ela, apenas o ‘interesse privado’ é relevante). Ambas, como sempre, apresentaram argumentos fracos e ignoraram o fato de que os serviços públicos beneficiam todo o conjunto da sociedade.


    Fonte: SISMMAC

  • 10 | 01 | 2022 - 13:38 Informe-se

    Câmara marca para quarta e quinta votação do reajuste dos servidores

    Câmara marca para quarta e quinta votação do reajuste dos servidores
    É hora de aumentar a pressão para garantir a aprovação dos projetos

    A Câmara dos Vereadores de Curitiba realizou uma sessão extraordinária na manhã de hoje (10) para deliberar exclusivamente sobre a data em que serão realizadas as votações dos projetos de lei que garantem a reposição salarial de 3,14%, correspondente ao IPCA do período de outubro de 2019 a setembro de 2020, e o reajuste salarial de 10,25%, correspondente ao IPCA do período de outubro de 2020 a setembro de 2021, para o magistério e para as demais categorias de servidores municipais.

    Por maioria absoluta (30 votos favoráveis, 4 contra e 1 abstenção), os parlamentares aprovaram a convocação de duas sessões extraordinárias, para 14h de quarta (12) e quinta-feira (13), para votar essas proposições junto com outras que concedem reajustes salariais aos agentes políticos (prefeito, vereadores etc) e a reposição inflacionária aos conselheiros tutelares.

    Apesar da resistência de quem costuma se posicionar frequentemente contra o serviço público, como as vereadoras Amália Tortato e Indiara Barbosa do partido NOVO (que de novo não tem nada, porque representa os interesses da velha política das ‘elites’, principalmente dos bancos), e Flavia Francischini (do PSL, esposa de Fernando Francischini, que teve o mandato de deputado estadual cassado por disseminação de fake news sobre urnas eletrônicas nas eleições de 2018), a maioria dos parlamentares compreendeu que a votação dos reajustes dos servidores é urgente e justa, e por isso não pode ser adiada.

    A vereadora Professora Josete (PT) derrubou os argumentos das parlamentares anti-servidores, mostrando que os reajustes do funcionalismo também impactarão positivamente a economia do município. Ela ainda relembrou que “quem garante a política pública lá na ponta [os servidores], essa pessoa precisa ter o seu direito garantido”.


    Mobilização

    A mobilização que os sindicatos e os servidores municipais de Curitiba vêm fazendo desde o ano passado tem sido fundamental no posicionamento dos vereadores. Por isso, precisamos manter a mobilização.

    Aqui você pode acessar a composição atual da Câmara dos Vereadores de Curitiba, com os links para contatos e redes sociais de cada um. Acesse as páginas, mande seu recado, comente nas postagens deles e cobre a responsabilidade, para que votem de forma favorável aos servidores.


    Contra quem?

    Foram apenas 4 votos contrários à convocação das sessões extraordinárias.

    Denian Couto (Podemos) justificou seu voto afirmando que não seria momento de votar também o aumento para os próprios políticos. Sua posição foi diferente de outros parlamentares, que também se posicionaram contra o aumento dos salários dos agentes políticos, mas votaram a favor da convocação para aprovar os reajustes dos servidores.

    Flavia Francischini (PSL) veio com a velha demagogia do “só não acho que esse é o momento propício” para o reajuste dos servidores (por seu histórico político, será surpreendente o dia em que ela for favorável ao funcionalismo).

    Já as vereadoras do NOVO repetiram a cartilha dos ricos e mantiveram a tática que mistura desinformação e o desejo profundo de agradar apenas as camadas privilegiadas da sociedade. Indiara Barbosa fez comparações desconexas entre servidores e trabalhadores da iniciativa privada, como se o papeis sociais de ambos fossem idênticos. Já Amália Tortato tentou questionar o “interesse público relevante” da votação dos reajustes dos servidores durante o recesso parlamentar (afinal, para ela, apenas o ‘interesse privado’ é relevante). Ambas, como sempre, apresentaram argumentos fracos e ignoraram o fato de que os serviços públicos beneficiam todo o conjunto da sociedade.


    Fonte: SISMMAC

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS