Sismac
  • 15 | 10 | 2021 - 13:42 Mobilização

    Debaixo de chuva, servidores dizem BASTA para os ataques de Greca!

    Debaixo de chuva, servidores dizem BASTA para os ataques de Greca!
    Servidores em greve cobram negociação com a Prefeitura contra redução de salários e outros ataques

    Servidoras e servidores em greve mostraram que não aceitam mais o descaso e a intransigência do desgoverno Greca. Mesmo debaixo de forte chuva, os trabalhadores se reuniram em frente à Prefeitura gritando palavras de ordem para cobrar que o desprefeito negocie com a categoria. E a resposta da gestão foi fechar as portas do prédio público na cara dos trabalhadores!

    Cadê o respeito com os trabalhadores que dão sua vida durante a pandemia para garantir a continuidade dos serviços públicos? O descaso de Greca de sequer agendar uma negociação fere a dignidade dos trabalhadores!

    O grito de basta do funcionalismo é contra a redução de salário, contra a alteração nas regras da previdência, contra a reforma administrativa e avaliação funcional, além da desvalorização que o desgoverno impõe aos servidores.

    O pedido de reunião para negociação já foi entregue pelos sindicatos no dia anterior, no entanto, até o início da tarde desta sexta (15), a gestão sequer havia respondido a solicitação. Por isso, os trabalhadores seguem concentrados na Praça Nossa Senhora de Salete, ao lado da Prefeitura. Às 15h, os servidores se reúnem em assembleia para definir os rumos da paralisação.

    E, como já era esperado desse desgoverno, mesmo antes de a paralisação começar, a Prefeitura já havia entrado na justiça contra nosso movimento de greve. E a justiça, mais uma vez, mostrou que tem lado, e deu uma decisão liminar na quinta-feira, no final do dia, tentando coibir o movimento de greve! A gestão aproveitou o momento para ameaçar os servidores e informações falsas circularam tentando desmobilizar os trabalhadores. Mas, o servidor que aderir à greve NÃO será multado em R$1.000,00 como a Prefeitura está sugerindo.

    Os servidores e os sindicatos não fogem da luta! Mesmo com as estratégias e a pressão do desgoverno, seguimos na mobilização. Unidos somos mais firmes!

    Abaixo-assinado

    E se Greca não negocia, será com a mobilização que vamos atrás dos nossos direitos! Os sindicatos estão organizando a coleta de assinaturas para a realização de um referendo popular para tentar barrar o projeto da Reforma da Previdência.

    O referendo é uma consulta à população que ocorre em outubro de 2022, próximo do período eleitoral, de acordo com a previsão na legislação municipal. Mas, para que isso se torne realidade, é preciso que os servidores se mobilizem para conseguir a ampla adesão da população. São necessárias 65 mil assinaturas para que seja realizado o referendo para reverter uma mudança na Lei Orgânica do Município, número que pode facilmente ser alcançado com a organização dos servidores municipais.

    As assinaturas estão sendo coletadas fisicamente durante a greve. Nos próximos dias, a consulta também ficará disponível de modo online, por meio do aplicativo Mobiliza+, que será divulgado posteriormente pelos sindicatos.

    Uma vez aprovado o referendo, a população será consultada se concorda ou não com a alteração nas regras da previdência dos servidores municipais. Por isso, é importante seguir a mobilização e o diálogo para mostrar aos usuários dos serviços públicos a situação de descaso e desvalorização a que os servidores são submetidos.

    Para além disso, é fundamental continuar pressionando os vereadores para que seja possível ampliar o placar contra a aprovação da Reforma da Previdência no segundo turno da votação na Câmara. No primeiro turno, foram nove votos contrários ao ataque e são necessários 13 votos para que a proposta seja barrada. Seguimos firmes na luta em defesa de nossos direitos!

  • 15 | 10 | 2021 - 13:42 Mobilização

    Debaixo de chuva, servidores dizem BASTA para os ataques de Greca!

    Debaixo de chuva, servidores dizem BASTA para os ataques de Greca!
    Servidores em greve cobram negociação com a Prefeitura contra redução de salários e outros ataques

    Servidoras e servidores em greve mostraram que não aceitam mais o descaso e a intransigência do desgoverno Greca. Mesmo debaixo de forte chuva, os trabalhadores se reuniram em frente à Prefeitura gritando palavras de ordem para cobrar que o desprefeito negocie com a categoria. E a resposta da gestão foi fechar as portas do prédio público na cara dos trabalhadores!

    Cadê o respeito com os trabalhadores que dão sua vida durante a pandemia para garantir a continuidade dos serviços públicos? O descaso de Greca de sequer agendar uma negociação fere a dignidade dos trabalhadores!

    O grito de basta do funcionalismo é contra a redução de salário, contra a alteração nas regras da previdência, contra a reforma administrativa e avaliação funcional, além da desvalorização que o desgoverno impõe aos servidores.

    O pedido de reunião para negociação já foi entregue pelos sindicatos no dia anterior, no entanto, até o início da tarde desta sexta (15), a gestão sequer havia respondido a solicitação. Por isso, os trabalhadores seguem concentrados na Praça Nossa Senhora de Salete, ao lado da Prefeitura. Às 15h, os servidores se reúnem em assembleia para definir os rumos da paralisação.

    E, como já era esperado desse desgoverno, mesmo antes de a paralisação começar, a Prefeitura já havia entrado na justiça contra nosso movimento de greve. E a justiça, mais uma vez, mostrou que tem lado, e deu uma decisão liminar na quinta-feira, no final do dia, tentando coibir o movimento de greve! A gestão aproveitou o momento para ameaçar os servidores e informações falsas circularam tentando desmobilizar os trabalhadores. Mas, o servidor que aderir à greve NÃO será multado em R$1.000,00 como a Prefeitura está sugerindo.

    Os servidores e os sindicatos não fogem da luta! Mesmo com as estratégias e a pressão do desgoverno, seguimos na mobilização. Unidos somos mais firmes!

    Abaixo-assinado

    E se Greca não negocia, será com a mobilização que vamos atrás dos nossos direitos! Os sindicatos estão organizando a coleta de assinaturas para a realização de um referendo popular para tentar barrar o projeto da Reforma da Previdência.

    O referendo é uma consulta à população que ocorre em outubro de 2022, próximo do período eleitoral, de acordo com a previsão na legislação municipal. Mas, para que isso se torne realidade, é preciso que os servidores se mobilizem para conseguir a ampla adesão da população. São necessárias 65 mil assinaturas para que seja realizado o referendo para reverter uma mudança na Lei Orgânica do Município, número que pode facilmente ser alcançado com a organização dos servidores municipais.

    As assinaturas estão sendo coletadas fisicamente durante a greve. Nos próximos dias, a consulta também ficará disponível de modo online, por meio do aplicativo Mobiliza+, que será divulgado posteriormente pelos sindicatos.

    Uma vez aprovado o referendo, a população será consultada se concorda ou não com a alteração nas regras da previdência dos servidores municipais. Por isso, é importante seguir a mobilização e o diálogo para mostrar aos usuários dos serviços públicos a situação de descaso e desvalorização a que os servidores são submetidos.

    Para além disso, é fundamental continuar pressionando os vereadores para que seja possível ampliar o placar contra a aprovação da Reforma da Previdência no segundo turno da votação na Câmara. No primeiro turno, foram nove votos contrários ao ataque e são necessários 13 votos para que a proposta seja barrada. Seguimos firmes na luta em defesa de nossos direitos!

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS