Sismac
  • 21 | 01 | 2021 - 16:42 Informe-se

    Sindicatos reivindicam que trabalhadores da educação sejam vacinados

    Sindicatos reivindicam que trabalhadores da educação sejam vacinados
    Categoria tem assembleia marcada para o início de fevereiro caso Prefeitura mantenha retorno presencial

    As direções do SISMMAC e do SISMUC protocolaram um ofício nesta quinta-feira (13) na Secretaria Municipal de Educação (SME) no qual reivindicam que os trabalhadores da educação componham o grupo prioritário para receber a vacina contra a Covid-19.

    Os sindicatos já indicaram a realização de uma assembleia no início de fevereiro para que, caso a Prefeitura mantenha o posicionamento de retornar às aulas presenciais sem a vacinação dos professores e educadores, a categoria possa definir sobre a deflagração de uma greve no começo do ano letivo.

    Para além disso, os sindicatos e seus departamentos jurídicos já estão organizando a denúncia junto ao Ministério Público e ao Ministério Público do Trabalho.

    No final de 2020, o desprefeito Greca e a SME anunciaram que as aulas presenciais seriam retomadas em 18 de fevereiro, em sistema híbrido, que mescla o ensino presencial e o remoto. Entretanto, não houve negociação com os sindicatos e nem consulta ao conjunto da categoria antes que essa decisão fosse divulgada.

    O desrespeito, o autoritarismo, a falta de diálogo e o desprezo pelas condições de trabalho e pela saúde dos servidores públicos é marca registrada da gestão Greca. E nós não aceitaremos que o desprefeito coloque toda a categoria, e os mais de 130 mil estudantes da rede de ensino e suas famílias em risco. Seguiremos firmes na luta em 2021!

    O SISMMAC e o SISMUC rejeitaram o protocolo de retorno da aulas porque não concordamos de nenhuma forma com um retorno presencial que coloca em risco a vida dos trabalhadores e da comunidade. Retorno seguro somente com todos os trabalhadores da educação vacinados!

  • 21 | 01 | 2021 - 16:42 Informe-se

    Sindicatos reivindicam que trabalhadores da educação sejam vacinados

    Sindicatos reivindicam que trabalhadores da educação sejam vacinados
    Categoria tem assembleia marcada para o início de fevereiro caso Prefeitura mantenha retorno presencial

    As direções do SISMMAC e do SISMUC protocolaram um ofício nesta quinta-feira (13) na Secretaria Municipal de Educação (SME) no qual reivindicam que os trabalhadores da educação componham o grupo prioritário para receber a vacina contra a Covid-19.

    Os sindicatos já indicaram a realização de uma assembleia no início de fevereiro para que, caso a Prefeitura mantenha o posicionamento de retornar às aulas presenciais sem a vacinação dos professores e educadores, a categoria possa definir sobre a deflagração de uma greve no começo do ano letivo.

    Para além disso, os sindicatos e seus departamentos jurídicos já estão organizando a denúncia junto ao Ministério Público e ao Ministério Público do Trabalho.

    No final de 2020, o desprefeito Greca e a SME anunciaram que as aulas presenciais seriam retomadas em 18 de fevereiro, em sistema híbrido, que mescla o ensino presencial e o remoto. Entretanto, não houve negociação com os sindicatos e nem consulta ao conjunto da categoria antes que essa decisão fosse divulgada.

    O desrespeito, o autoritarismo, a falta de diálogo e o desprezo pelas condições de trabalho e pela saúde dos servidores públicos é marca registrada da gestão Greca. E nós não aceitaremos que o desprefeito coloque toda a categoria, e os mais de 130 mil estudantes da rede de ensino e suas famílias em risco. Seguiremos firmes na luta em 2021!

    O SISMMAC e o SISMUC rejeitaram o protocolo de retorno da aulas porque não concordamos de nenhuma forma com um retorno presencial que coloca em risco a vida dos trabalhadores e da comunidade. Retorno seguro somente com todos os trabalhadores da educação vacinados!

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS