Sismac
  • 03 | 10 | 2019 - 14:49 Mobilização

    O problema é a falta de segurança nas escolas e CMEIs

    O problema é a falta de segurança nas escolas e CMEIs
    Diferentemente do que diz Greca nas redes sociais, violência e insegurança são responsabilidades da Prefeitura

    Nesta quinta-feira (3), Greca anunciou em suas redes sociais que proíbe os professores de fazerem denúncias da situação da falta de segurança nas unidades escolares. O que o prefeito “esqueceu” de mencionar é como vai resolver o problema da falta de segurança nas escolas e CMEIs da rede municipal.

    O anúncio do prefeito foi realizado na tentativa de reprimir movimentações como a realizada pela comunidade escolar da Escola Municipal Professor Ulisses Falcão Vieira que, após ser assaltada quatro vezes em menos de um mês, usou um recurso pedagógico com as crianças para chamar atenção para a série de furtos enfrentada no chão da escola.

    Criminalização daqueles que lutam

    Greca criminaliza a ação realizada pelas professoras em conjunto com a comunidade, mães, pais e crianças e chama a situação de “trauma social”. É importante deixar claro para o prefeito Rafael Greca que o que pode ser chamado de trauma social e envolveu as crianças nessa situação é a miséria vivida por uma parcela cada vez maior da população na atual conjuntura e a falta de seguranças nas escolas e CMEIs.

    O prefeito também insinua que as professoras da unidade criaram um ambiente de insegurança quando, na verdade, a falta de segurança está colocada para todos aqueles que trabalham e utilizam os serviços públicos da cidade, já que não há nenhuma política da gestão para impedir furtos e roubos.

    Para além de atacar a mobilização dos trabalhadores da EM Professor Ulisses Falcão Vieira junto aos estudantes e à comunidade, nas redes sociais, vergonhosamente, Greca tenta diminuir a movimentação feita pelas professoras da unidade associando as trabalhadoras e as crianças às pessoas que praticaram os assaltos. Os comentários foram excluídos pouco tempo após terem sido postados.

    A ação do prefeito beira o absurdo e precisa ser combatida por todos nós. A Prefeitura tem, sim, responsabilidade pelo que ocorre nos equipamentos públicos e precisa solucionar os problemas relacionados à falta de segurança.

    O SISMMAC defende e apoia o movimento encampado pela comunidade escolar do Ulisses e pelas demais unidades, se solidariza às professoras e às mães, pais e crianças que vivenciam essa situação cotidianamente e repudia veementemente a ação do prefeito da cidade. Vaza, Greca!

  • 03 | 10 | 2019 - 14:49 Mobilização

    O problema é a falta de segurança nas escolas e CMEIs

    O problema é a falta de segurança nas escolas e CMEIs
    Diferentemente do que diz Greca nas redes sociais, violência e insegurança são responsabilidades da Prefeitura

    Nesta quinta-feira (3), Greca anunciou em suas redes sociais que proíbe os professores de fazerem denúncias da situação da falta de segurança nas unidades escolares. O que o prefeito “esqueceu” de mencionar é como vai resolver o problema da falta de segurança nas escolas e CMEIs da rede municipal.

    O anúncio do prefeito foi realizado na tentativa de reprimir movimentações como a realizada pela comunidade escolar da Escola Municipal Professor Ulisses Falcão Vieira que, após ser assaltada quatro vezes em menos de um mês, usou um recurso pedagógico com as crianças para chamar atenção para a série de furtos enfrentada no chão da escola.

    Criminalização daqueles que lutam

    Greca criminaliza a ação realizada pelas professoras em conjunto com a comunidade, mães, pais e crianças e chama a situação de “trauma social”. É importante deixar claro para o prefeito Rafael Greca que o que pode ser chamado de trauma social e envolveu as crianças nessa situação é a miséria vivida por uma parcela cada vez maior da população na atual conjuntura e a falta de seguranças nas escolas e CMEIs.

    O prefeito também insinua que as professoras da unidade criaram um ambiente de insegurança quando, na verdade, a falta de segurança está colocada para todos aqueles que trabalham e utilizam os serviços públicos da cidade, já que não há nenhuma política da gestão para impedir furtos e roubos.

    Para além de atacar a mobilização dos trabalhadores da EM Professor Ulisses Falcão Vieira junto aos estudantes e à comunidade, nas redes sociais, vergonhosamente, Greca tenta diminuir a movimentação feita pelas professoras da unidade associando as trabalhadoras e as crianças às pessoas que praticaram os assaltos. Os comentários foram excluídos pouco tempo após terem sido postados.

    A ação do prefeito beira o absurdo e precisa ser combatida por todos nós. A Prefeitura tem, sim, responsabilidade pelo que ocorre nos equipamentos públicos e precisa solucionar os problemas relacionados à falta de segurança.

    O SISMMAC defende e apoia o movimento encampado pela comunidade escolar do Ulisses e pelas demais unidades, se solidariza às professoras e às mães, pais e crianças que vivenciam essa situação cotidianamente e repudia veementemente a ação do prefeito da cidade. Vaza, Greca!

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS