Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Pressão garante revisão de alguns pedidos de licença-prêmio
    11 | 04 | 2018 - 19:58 Informe-se

    Pressão garante revisão de alguns pedidos de licença-prêmio

    Pressão do magistério foi fundamental para garantir a revisão de algumas licenças-prêmio indeferidas

    Na tarde desta quarta-feira (11), a direção do SISMMAC, em conjunto com professoras e professores da base, participou de uma reunião de negociação com a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH) para discutir a liberação das licenças-prêmio do conjunto do magistério municipal.

    A administração iniciou a reunião com o discurso de que a liberação de todos os pedidos de licença é inviável, alegando que utilizou somente três critérios para deferir as licenças: proximidade da aposentadoria, continuação da licença gestação e profissionais com mais de 20 anos de rede. A desculpa para não liberar outros casos foi que o impacto orçamentário das licenças deste ano é de aproximadamente 5,5 milhões de reais.

    Esse critério financeiro usada pela administração é inadmissível, considerando que no dia 3 de abril foi aprovado um crédito suplementar para publicidade e propaganda do município de 7 milhões de reais, um valor que cobre o impacto das licenças-prêmio e ainda sobra! Além disso, mais de 1.200 professores se aposentaram (sem contar com exonerações e falecimentos) e foram substituídos por profissionais em RIT, com uma remuneração inferior que diminui as despesas no período.

    Graças à pressão da categoria que estava presente durante a reunião, a administração se comprometeu a revisar as solicitações dos professores com dois padrões, que tiveram em um deles a licença deferida, dos que precisam acompanhar familiares doentes, e dos que têm viagem marcada, desde que comprovado. 

    No entanto, a Prefeitura deixa profissionais que possuem o direito ao afastamento sem a licença-prêmio. Por meio de uma política equivocada de economizar com os servidores, muitos pedidos foram negados. Para essa lógica cruel mudar, precisamos denunciar para a comunidade e continuar cobrando os nossos direitos! 

    Contratação

    A administração afirma que a liberação das licenças de setembro depende da contratação de novos professores, que, durante uma reunião com a Prefeitura no final do ano passado, foi garantida para maio de 2018. Porém, a SMRH revelou que não tem garantia alguma de que as nomeações aconteçam em maio e que é possível que o processo seja adiado para o segundo semestre.

    Esse ataque à categoria é um absurdo, pois o concurso de docência II que ocorreu em 2014 vence no dia 24 de abril. A atitude de descaso da Prefeitura em relação às demandas das escolas que sofrem com a falta de professores mostra que a convocação não é uma prioridade nessa gestão.

    Negociação das pautas do magistério

    A direção do SISMMAC também cobrou uma definição das datas para as reuniões de negociação das pautas emergencial e prioritária do magistério. Em relação aos outros anos, há um atraso para a mesa de negociação iniciar as discussões sobre as reivindicações da categoria, mas a administração afirma que ainda vai enviar a agenda no prazo legal.

    Clique aqui para ler a ata da reunião.

    Confira também o ofício da Prefeitura respondendo questões feitas pelo SISMMAC sobre licenças-prêmio.

Imprimir
  • 11 | 04 | 2018 - 19:58 Informe-se
    Pressão garante revisão de alguns pedidos de licença-prêmio

    Pressão garante revisão de alguns pedidos de licença-prêmio

    Pressão do magistério foi fundamental para garantir a revisão de algumas licenças-prêmio indeferidas

    Na tarde desta quarta-feira (11), a direção do SISMMAC, em conjunto com professoras e professores da base, participou de uma reunião de negociação com a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH) para discutir a liberação das licenças-prêmio do conjunto do magistério municipal.

    A administração iniciou a reunião com o discurso de que a liberação de todos os pedidos de licença é inviável, alegando que utilizou somente três critérios para deferir as licenças: proximidade da aposentadoria, continuação da licença gestação e profissionais com mais de 20 anos de rede. A desculpa para não liberar outros casos foi que o impacto orçamentário das licenças deste ano é de aproximadamente 5,5 milhões de reais.

    Esse critério financeiro usada pela administração é inadmissível, considerando que no dia 3 de abril foi aprovado um crédito suplementar para publicidade e propaganda do município de 7 milhões de reais, um valor que cobre o impacto das licenças-prêmio e ainda sobra! Além disso, mais de 1.200 professores se aposentaram (sem contar com exonerações e falecimentos) e foram substituídos por profissionais em RIT, com uma remuneração inferior que diminui as despesas no período.

    Graças à pressão da categoria que estava presente durante a reunião, a administração se comprometeu a revisar as solicitações dos professores com dois padrões, que tiveram em um deles a licença deferida, dos que precisam acompanhar familiares doentes, e dos que têm viagem marcada, desde que comprovado. 

    No entanto, a Prefeitura deixa profissionais que possuem o direito ao afastamento sem a licença-prêmio. Por meio de uma política equivocada de economizar com os servidores, muitos pedidos foram negados. Para essa lógica cruel mudar, precisamos denunciar para a comunidade e continuar cobrando os nossos direitos! 

    Contratação

    A administração afirma que a liberação das licenças de setembro depende da contratação de novos professores, que, durante uma reunião com a Prefeitura no final do ano passado, foi garantida para maio de 2018. Porém, a SMRH revelou que não tem garantia alguma de que as nomeações aconteçam em maio e que é possível que o processo seja adiado para o segundo semestre.

    Esse ataque à categoria é um absurdo, pois o concurso de docência II que ocorreu em 2014 vence no dia 24 de abril. A atitude de descaso da Prefeitura em relação às demandas das escolas que sofrem com a falta de professores mostra que a convocação não é uma prioridade nessa gestão.

    Negociação das pautas do magistério

    A direção do SISMMAC também cobrou uma definição das datas para as reuniões de negociação das pautas emergencial e prioritária do magistério. Em relação aos outros anos, há um atraso para a mesa de negociação iniciar as discussões sobre as reivindicações da categoria, mas a administração afirma que ainda vai enviar a agenda no prazo legal.

    Clique aqui para ler a ata da reunião.

    Confira também o ofício da Prefeitura respondendo questões feitas pelo SISMMAC sobre licenças-prêmio.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS