Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Prefeitura negligencia unidades que sofrem com alagamentos
    05 | 03 | 2018 - 16:12 Informe-se

    Prefeitura negligencia unidades que sofrem com alagamentos

    Escola Municipal Dario Vellozo já enfrentou três enchentes só em 2018 e não obteve nenhuma solução permanente pela PMC

    As chuvas do final de semana deixaram grandes prejuízos em algumas escolas e CMEIs e também em dezenas de casas das alunas e alunos da rede municipal de ensino de Curitiba.

    A Escola Municipal Papa João XXIII, da regional do Portão, teve o muro destruído pela enchente e a quadra poliesportiva da unidade ficou comprometida.

    Doações

    O SISMMAC está arrecadando doações para as unidades e também para as famílias que sofreram com os alagamentos. Os itens de maior necessidade são material escolar, de limpeza e alimentos não perecíveis. A Paróquia Nossa Senhora da Luz, da regional da CIC, também recebe doações. Se você for da regional, leve suas doações diretamente para lá!
    A Escola Municipal Dario Vellozo, na regional da CIC, já enfrentou três alagamentos apenas em 2018. A enchente do último final de semana estragou parte da estrutura da unidade, materiais escolares dos alunos, documentos, arquivos e equipamentos. A unidade, que ficou fechada nesta segunda-feira (5), está sem nenhum computador.

    A secretária de Educação, Maria Silvia Winkeler, visitou a escola no domingo (4) e prometeu que uma equipe especializada em limpeza com 15 funcionários iria ser designada para recuperar a unidade. Entretanto, na manhã dessa segunda-feira (5), a equipe que se apresentou era menor. O quadro prometido completo só chegou às 13h. Antes disso, os professores e demais trabalhadores, que já tinham ido até a unidade no domingo, tiveram que se somar ao operativo para limpar a unidade.

    Ao longo do dia de hoje, a Secretaria Municipal de Educação (SME) pressionou a direção da escola para que a unidade esteja em pleno funcionamento amanhã (6), mesmo sem a mínima condição de receber os alunos. Os trabalhadores da educação querem, sim, retornar à rotina, mas é preciso reestruturar a escola e a Prefeitura precisa fornecer a estrutura necessária para que isso aconteça com qualidade.

    Além dessas unidades e das escolas municipais Expedicionário e Arapongas, os CMEIs Uberlândia, Santa Quitéria, Colombo, Ubatuba / Tambaú e Barigui I também foram afetadas pelas enchentes.

    Reivindicação

    A comunidade que vive e trabalha nos entornos dos rios Barigui e Belém exige a limpeza e drenagem permanentes. O prefeito Rafael Greca gosta de falar sobre a beleza de Curitiba, principalmente no mês do aniversário da nossa cidade, mas deixa a população que mais precisa de serviços públicos e melhorias a mercê da própria sorte.

    A direção do SISMMAC enviou um ofício para a Secretaria Municipal de Educação cobrando providência imediatas quanto aos reparos necessários para o efetivo funcionamento das unidades educacionais. Confira o ofício aqui.

  • 05 | 03 | 2018 - 16:12 Informe-se
    Prefeitura negligencia unidades que sofrem com alagamentos

    Prefeitura negligencia unidades que sofrem com alagamentos

    Escola Municipal Dario Vellozo já enfrentou três enchentes só em 2018 e não obteve nenhuma solução permanente pela PMC

    As chuvas do final de semana deixaram grandes prejuízos em algumas escolas e CMEIs e também em dezenas de casas das alunas e alunos da rede municipal de ensino de Curitiba.

    A Escola Municipal Papa João XXIII, da regional do Portão, teve o muro destruído pela enchente e a quadra poliesportiva da unidade ficou comprometida.

    Doações

    O SISMMAC está arrecadando doações para as unidades e também para as famílias que sofreram com os alagamentos. Os itens de maior necessidade são material escolar, de limpeza e alimentos não perecíveis. A Paróquia Nossa Senhora da Luz, da regional da CIC, também recebe doações. Se você for da regional, leve suas doações diretamente para lá!
    A Escola Municipal Dario Vellozo, na regional da CIC, já enfrentou três alagamentos apenas em 2018. A enchente do último final de semana estragou parte da estrutura da unidade, materiais escolares dos alunos, documentos, arquivos e equipamentos. A unidade, que ficou fechada nesta segunda-feira (5), está sem nenhum computador.

    A secretária de Educação, Maria Silvia Winkeler, visitou a escola no domingo (4) e prometeu que uma equipe especializada em limpeza com 15 funcionários iria ser designada para recuperar a unidade. Entretanto, na manhã dessa segunda-feira (5), a equipe que se apresentou era menor. O quadro prometido completo só chegou às 13h. Antes disso, os professores e demais trabalhadores, que já tinham ido até a unidade no domingo, tiveram que se somar ao operativo para limpar a unidade.

    Ao longo do dia de hoje, a Secretaria Municipal de Educação (SME) pressionou a direção da escola para que a unidade esteja em pleno funcionamento amanhã (6), mesmo sem a mínima condição de receber os alunos. Os trabalhadores da educação querem, sim, retornar à rotina, mas é preciso reestruturar a escola e a Prefeitura precisa fornecer a estrutura necessária para que isso aconteça com qualidade.

    Além dessas unidades e das escolas municipais Expedicionário e Arapongas, os CMEIs Uberlândia, Santa Quitéria, Colombo, Ubatuba / Tambaú e Barigui I também foram afetadas pelas enchentes.

    Reivindicação

    A comunidade que vive e trabalha nos entornos dos rios Barigui e Belém exige a limpeza e drenagem permanentes. O prefeito Rafael Greca gosta de falar sobre a beleza de Curitiba, principalmente no mês do aniversário da nossa cidade, mas deixa a população que mais precisa de serviços públicos e melhorias a mercê da própria sorte.

    A direção do SISMMAC enviou um ofício para a Secretaria Municipal de Educação cobrando providência imediatas quanto aos reparos necessários para o efetivo funcionamento das unidades educacionais. Confira o ofício aqui.

Notícias Relacionadas

Nenhum registro encontrado.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS