Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Greca ofende servidores em balanço sobre o seu 1º ano de gestão
    Ilustração: Ctrl S Comunicação
    22 | 12 | 2017 - 12:30 Informe-se

    Greca ofende servidores em balanço sobre o seu 1º ano de gestão

    No balanço, prefeito mostrou que dirige a cidade na direção de um projeto elitista e privatista

    Em entrevista à RPC na última quarta-feira (20), o prefeito Rafael Greca fez o balanço do seu primeiro ano de gestão. Além de engrandecer suas ações e minimizar os problemas da cidade, tentou ofender novamente os servidores e a população que constroem com o seu trabalho nossa cidade.

    Ao se comparar a Ulisses, herói grego que se amarrou ao barco para não ser enfeitiçado pelo canto das sereias, o prefeito baixou o nível e chamou quem se opõe a ele de “sereia barbuda” e “tranqueira”.

    Em resposta, o SISMMAC vem a público corrigir a comparação usada pelo prefeito. É verdade que os servidores não foram ouvidos ou respeitados nesse primeiro ano de gestão. Mas Greca se contradiz ao sugerir que conduz o navio com independência, alheio a outras interferências. Na verdade, o prefeito entregou a direção do navio a um projeto elitista de cidade, que busca garantir a manutenção dos lucros e privilégios dos grandes empresários e políticos.

    O “canto da sereia” do grande empresariado, da máfia de transporte coletivo e das grandes construtoras dirige hoje os rumos da nossa cidade.

    É por isso que ainda em fevereiro Greca aumentou o preço da passagem de ônibus e transformou Curitiba na capital com a maior tarifa do país.

    Em fevereiro, Greca também prometeu contratar 700 professores.

    Duas promessas feitas no mesmo mês. Uma melhoria a educação e beneficiaria milhares de famílias curitibanas. A outra beneficiaria família Gulin, que controla quase 70% dos consórcios de ônibus de Curitiba.

    Entre as duas, a educação ficou em segundo plano. Ao longo do ano, Greca contratou pouco mais de 100 professores. 2017 termina com um déficit alarmante: faltam mais de mil profissionais e há 12 novos CMEIs fechados por falta de pessoal.

    Desmonte dos direitos sociais

    Na entrevista à RPC, Greca também mostra descaso com a situação da população trabalhadora que tem seus direitos sociais negados diariamente. Ao falar sobre a falta de vagas nas creches, o prefeito diz que Curitiba está acima do percentual exigido nacionalmente e que por isso “não deve nada” para as cerca de 10 mil crianças que estão aguardando uma vaga.

    Ao se comparar ao herói da Ilíada, Greca parece esquecer que os “sacrifícios” impostos pelo pacotaço não foram suportados por ele ou seus aliados. O aumento dos impostos, o corte no orçamento da saúde e da educação, o congelamento do plano de carreira e o reajuste zero na data-base prejudicam população trabalhadora da nossa cidade, da qual os servidores são parte importante.

    O único ato de heroísmo desse primeiro ano de gestão Greca foi protagonizado pela resistência de todas e todas que não aceitaram sem luta a tentativa de desmonte dos serviços públicos e a terceirização.

    Ao fazer o justo combate e enfrentar de cabeça erguida a tirania de Greca, construímos o caminho para derrotar no futuro o projeto elitista e privatista que hoje dominam nossa cidade. Se o presente é de luta, o futuro nos pertence!

  • 22 | 12 | 2017 - 12:30 Informe-se
    Greca ofende servidores em balanço sobre o seu 1º ano de gestão
    Ilustração: Ctrl S Comunicação

    Greca ofende servidores em balanço sobre o seu 1º ano de gestão

    No balanço, prefeito mostrou que dirige a cidade na direção de um projeto elitista e privatista

    Em entrevista à RPC na última quarta-feira (20), o prefeito Rafael Greca fez o balanço do seu primeiro ano de gestão. Além de engrandecer suas ações e minimizar os problemas da cidade, tentou ofender novamente os servidores e a população que constroem com o seu trabalho nossa cidade.

    Ao se comparar a Ulisses, herói grego que se amarrou ao barco para não ser enfeitiçado pelo canto das sereias, o prefeito baixou o nível e chamou quem se opõe a ele de “sereia barbuda” e “tranqueira”.

    Em resposta, o SISMMAC vem a público corrigir a comparação usada pelo prefeito. É verdade que os servidores não foram ouvidos ou respeitados nesse primeiro ano de gestão. Mas Greca se contradiz ao sugerir que conduz o navio com independência, alheio a outras interferências. Na verdade, o prefeito entregou a direção do navio a um projeto elitista de cidade, que busca garantir a manutenção dos lucros e privilégios dos grandes empresários e políticos.

    O “canto da sereia” do grande empresariado, da máfia de transporte coletivo e das grandes construtoras dirige hoje os rumos da nossa cidade.

    É por isso que ainda em fevereiro Greca aumentou o preço da passagem de ônibus e transformou Curitiba na capital com a maior tarifa do país.

    Em fevereiro, Greca também prometeu contratar 700 professores.

    Duas promessas feitas no mesmo mês. Uma melhoria a educação e beneficiaria milhares de famílias curitibanas. A outra beneficiaria família Gulin, que controla quase 70% dos consórcios de ônibus de Curitiba.

    Entre as duas, a educação ficou em segundo plano. Ao longo do ano, Greca contratou pouco mais de 100 professores. 2017 termina com um déficit alarmante: faltam mais de mil profissionais e há 12 novos CMEIs fechados por falta de pessoal.

    Desmonte dos direitos sociais

    Na entrevista à RPC, Greca também mostra descaso com a situação da população trabalhadora que tem seus direitos sociais negados diariamente. Ao falar sobre a falta de vagas nas creches, o prefeito diz que Curitiba está acima do percentual exigido nacionalmente e que por isso “não deve nada” para as cerca de 10 mil crianças que estão aguardando uma vaga.

    Ao se comparar ao herói da Ilíada, Greca parece esquecer que os “sacrifícios” impostos pelo pacotaço não foram suportados por ele ou seus aliados. O aumento dos impostos, o corte no orçamento da saúde e da educação, o congelamento do plano de carreira e o reajuste zero na data-base prejudicam população trabalhadora da nossa cidade, da qual os servidores são parte importante.

    O único ato de heroísmo desse primeiro ano de gestão Greca foi protagonizado pela resistência de todas e todas que não aceitaram sem luta a tentativa de desmonte dos serviços públicos e a terceirização.

    Ao fazer o justo combate e enfrentar de cabeça erguida a tirania de Greca, construímos o caminho para derrotar no futuro o projeto elitista e privatista que hoje dominam nossa cidade. Se o presente é de luta, o futuro nos pertence!

Notícias Relacionadas

Nenhum registro encontrado.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS