Sismac

Notícias | Informe-se!

Imprimir
  • Mobilização em defesa do ICS adia votação sobre aumento do desconto
    11 | 10 | 2017 - 10:56 Saúde

    Mobilização em defesa do ICS adia votação sobre aumento do desconto

    Magistério deve continuar alerta para impedir que o aumento do desconto seja aprovado na reunião do dia 19 de outubro

    A pressão dos servidores conseguiu impedir que o Conselho de Administração do ICS aprovasse o aumento do desconto do ICS nesta quarta-feira (11), véspera de feriado.

    Diga NÃO ao aumento do desconto do ICS

    A proposta inicial da administração municipal é aumentar a alíquota dos atuais 3,14% para 4,29%.

    O que significa um aumento de 36,6% no desconto pago pelos servidores, que estão com os salários congelados desde março deste ano.

    A alíquota patronal paga pela Prefeitura também aumentaria, mas em um percentual menor, de 3,65% para 4,29%.
    A mudança na pauta e no local de votação não conseguiu desmobilizar os servidores, que marcaram presença e acompanharam a reunião para garantir que o aumento do desconto não fosse aprovado às escondidas.

    Pressão impede tentativa de cercear direito a acompanhamento jurídico

    De forma autoritária, a Prefeitura tentou impedir a entrada do advogado que representa os sindicatos na reunião do Conselho de Administração do ICS.

    As servidoras e servidores que acompanham a reunião do lado de fora não abaixaram a cabeça e forçaram a entrada na reunião para exigir que o direito ao acompanhamento jurídico da conselheira fosse respeitado, conforme prevê o estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil.

    Veja no vídeo abaixo a postura dos representantes da Prefeitura, durante a tentativa de impedir a entrada do advogado.
    A próxima reunião está marcada para o dia 19 de outubro. Vamos continuar em estado de alerta e reforçar nossa mobilização. Não podemos permitir que joguem a conta nas costas dos servidores, que estão com salários e planos de carreira congelados, enquanto a Prefeitura deve mais de R$ 63 milhões ao ICS.

    Falta transparência nos dados usados para calcular o aumento da alíquota

    Durante a reunião, a conselheira que representa os servidores municipais manifestou a posição contrária ao aumento do desconto e cobrou que a diretoria do Instituto apresente os cálculos financeiros que supostamente justificam a necessidade do aumento.

    Além disso, é necessário que o assunto seja analisado no Conselho Fiscal do ICS antes de entrar na pauta do Conselho de Administração. Os dados financeiros usados para calcular o aumento da alíquota não foram repassados aos sindicatos e o Conselho Fiscal, responsável por fiscalizar as contas do Instituto, não se reuniu sequer uma vez neste ano.

    Denúncias

    Além disso, a conselheira também cobrou que a direção do ICS presente a relação nominal dos trabalhadores contratados do ICS e qual o vínculo e cargo que cada um executa, números de comissionados, valores salariais e os critérios para a realização dessas contratações. Esse pedido também foi protocolado pelos sindicatos por meio de ofício.

    A cobrança busca apurar denúncia feita aos sindicatos nas últimas semanas sobre a contratação de mais de 40 cargos comissionados para o ICS para substituição de médicos demitidos aparentemente sem qualquer critério. Outra denúncia recebida diz respeito a utilização da estrutura do Instituto em benefício próprio.

Imprimir
  • 11 | 10 | 2017 - 10:56 Saúde
    Mobilização em defesa do ICS adia votação sobre aumento do desconto

    Mobilização em defesa do ICS adia votação sobre aumento do desconto

    Magistério deve continuar alerta para impedir que o aumento do desconto seja aprovado na reunião do dia 19 de outubro

    A pressão dos servidores conseguiu impedir que o Conselho de Administração do ICS aprovasse o aumento do desconto do ICS nesta quarta-feira (11), véspera de feriado.

    Diga NÃO ao aumento do desconto do ICS

    A proposta inicial da administração municipal é aumentar a alíquota dos atuais 3,14% para 4,29%.

    O que significa um aumento de 36,6% no desconto pago pelos servidores, que estão com os salários congelados desde março deste ano.

    A alíquota patronal paga pela Prefeitura também aumentaria, mas em um percentual menor, de 3,65% para 4,29%.
    A mudança na pauta e no local de votação não conseguiu desmobilizar os servidores, que marcaram presença e acompanharam a reunião para garantir que o aumento do desconto não fosse aprovado às escondidas.

    Pressão impede tentativa de cercear direito a acompanhamento jurídico

    De forma autoritária, a Prefeitura tentou impedir a entrada do advogado que representa os sindicatos na reunião do Conselho de Administração do ICS.

    As servidoras e servidores que acompanham a reunião do lado de fora não abaixaram a cabeça e forçaram a entrada na reunião para exigir que o direito ao acompanhamento jurídico da conselheira fosse respeitado, conforme prevê o estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil.

    Veja no vídeo abaixo a postura dos representantes da Prefeitura, durante a tentativa de impedir a entrada do advogado.
    A próxima reunião está marcada para o dia 19 de outubro. Vamos continuar em estado de alerta e reforçar nossa mobilização. Não podemos permitir que joguem a conta nas costas dos servidores, que estão com salários e planos de carreira congelados, enquanto a Prefeitura deve mais de R$ 63 milhões ao ICS.

    Falta transparência nos dados usados para calcular o aumento da alíquota

    Durante a reunião, a conselheira que representa os servidores municipais manifestou a posição contrária ao aumento do desconto e cobrou que a diretoria do Instituto apresente os cálculos financeiros que supostamente justificam a necessidade do aumento.

    Além disso, é necessário que o assunto seja analisado no Conselho Fiscal do ICS antes de entrar na pauta do Conselho de Administração. Os dados financeiros usados para calcular o aumento da alíquota não foram repassados aos sindicatos e o Conselho Fiscal, responsável por fiscalizar as contas do Instituto, não se reuniu sequer uma vez neste ano.

    Denúncias

    Além disso, a conselheira também cobrou que a direção do ICS presente a relação nominal dos trabalhadores contratados do ICS e qual o vínculo e cargo que cada um executa, números de comissionados, valores salariais e os critérios para a realização dessas contratações. Esse pedido também foi protocolado pelos sindicatos por meio de ofício.

    A cobrança busca apurar denúncia feita aos sindicatos nas últimas semanas sobre a contratação de mais de 40 cargos comissionados para o ICS para substituição de médicos demitidos aparentemente sem qualquer critério. Outra denúncia recebida diz respeito a utilização da estrutura do Instituto em benefício próprio.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS