Sismac

Notícias | Séries Finais

Imprimir
  • Secretaria Municipal ameaça dia sem vínculo do 6º ao 9º ano
    23 | 03 | 2018 - 11:19 Séries Finais

    Secretaria Municipal ameaça dia sem vínculo do 6º ao 9º ano

    Sindicato realiza reunião na próxima quarta-feira, dia 28, a partir das 18h30, para debater o tema

    Na última semana, a Secretaria Municipal de Educação comunicou que os profissionais de laudo, pedagogos, direções e vice-direção não poderão mais cumprir a jornada de cinco horas diárias e usufruir do dia sem vínculo. A informação foi repassada em uma reunião com os diretores das escolas de 6º ao 9º ano. Segundo a administração, será editada nova instrução normativa (confira aqui a atual) para organizar a carga horária dos professores de 6º ao 9º ano em quatro horas diárias e cinco dias semanais.

    Reunião das Escolas de 6º ao 9º ano

    Diante dessa ameaça, a direção do SISMMAC convida todas as professoras e professores que atuam nas séries finais para participar da reunião do segmento, na qual debatermos estratégias para contrapor o discurso da Prefeitura.

    A reunião acontecerá no dia 28 de março, a partir das 18:30, na sede do SISMMAC (R Nunes Machado, 1577 - Rebouças).

    Não deixe de mobilizar a sua unidade e participar!
    Com argumentos vagos, a administração disse que essa mudança é necessária por conta de supostos problemas na aposentadoria de professores, o que não nos parece uma avaliação coerente.

    Carga horária de alunos e professores

    A carga horária mínima para os alunos da segunda etapa do Ensino Fundamental é de 4,5 horas diárias, o que é incompatível com a carga horária dos professores de 20 horas semanais. 

    Para organizar a grade de alunos e professores, as 11 escolas que atendem as séries finais trabalham com duas possibilidades de carga horária para professores de Docência II. Desde 2014, esses profissionais podem trabalhar quatro horas diárias distribuídas em cinco dias ou cinco horas diárias distribuídas em quatro dias da semana.

    Hora-Aula

    A reivindicação histórica do magistério municipal é que a Prefeitura implementasse a contagem da carga em hora-aula ao invés da hora-relógio. Dessa forma, seriam cinco aulas de 50 minutos para alunos e professores e mais um dia sem vínculo para o professor, como acontece no estado e em outros municípios.

    Essa reivindicação já foi negociada em mobilizações e greves da nossa categoria, porém nunca foi cumprida. Confira aqui o parecer jurídico do Sindicato que analisa essa possibilidade.

    Orientação do Sindicato

    Enquanto a Prefeitura não enviar um documento oficial para as direções de escola e explicações plausíveis, nossa orientação é que se mantenha a organização interna da carga horária de todos os profissionais, sem distinção. Para isso, o Conselho de Escola pode reunir e registrar essa defesa em ata, garantindo o amplo debate, transparência e isonomia entre todos os profissionais e autonomia para a organização pedagógica da unidade.

Imprimir
  • 23 | 03 | 2018 - 11:19 Séries Finais
    Secretaria Municipal ameaça dia sem vínculo do 6º ao 9º ano

    Secretaria Municipal ameaça dia sem vínculo do 6º ao 9º ano

    Sindicato realiza reunião na próxima quarta-feira, dia 28, a partir das 18h30, para debater o tema

    Na última semana, a Secretaria Municipal de Educação comunicou que os profissionais de laudo, pedagogos, direções e vice-direção não poderão mais cumprir a jornada de cinco horas diárias e usufruir do dia sem vínculo. A informação foi repassada em uma reunião com os diretores das escolas de 6º ao 9º ano. Segundo a administração, será editada nova instrução normativa (confira aqui a atual) para organizar a carga horária dos professores de 6º ao 9º ano em quatro horas diárias e cinco dias semanais.

    Reunião das Escolas de 6º ao 9º ano

    Diante dessa ameaça, a direção do SISMMAC convida todas as professoras e professores que atuam nas séries finais para participar da reunião do segmento, na qual debatermos estratégias para contrapor o discurso da Prefeitura.

    A reunião acontecerá no dia 28 de março, a partir das 18:30, na sede do SISMMAC (R Nunes Machado, 1577 - Rebouças).

    Não deixe de mobilizar a sua unidade e participar!
    Com argumentos vagos, a administração disse que essa mudança é necessária por conta de supostos problemas na aposentadoria de professores, o que não nos parece uma avaliação coerente.

    Carga horária de alunos e professores

    A carga horária mínima para os alunos da segunda etapa do Ensino Fundamental é de 4,5 horas diárias, o que é incompatível com a carga horária dos professores de 20 horas semanais. 

    Para organizar a grade de alunos e professores, as 11 escolas que atendem as séries finais trabalham com duas possibilidades de carga horária para professores de Docência II. Desde 2014, esses profissionais podem trabalhar quatro horas diárias distribuídas em cinco dias ou cinco horas diárias distribuídas em quatro dias da semana.

    Hora-Aula

    A reivindicação histórica do magistério municipal é que a Prefeitura implementasse a contagem da carga em hora-aula ao invés da hora-relógio. Dessa forma, seriam cinco aulas de 50 minutos para alunos e professores e mais um dia sem vínculo para o professor, como acontece no estado e em outros municípios.

    Essa reivindicação já foi negociada em mobilizações e greves da nossa categoria, porém nunca foi cumprida. Confira aqui o parecer jurídico do Sindicato que analisa essa possibilidade.

    Orientação do Sindicato

    Enquanto a Prefeitura não enviar um documento oficial para as direções de escola e explicações plausíveis, nossa orientação é que se mantenha a organização interna da carga horária de todos os profissionais, sem distinção. Para isso, o Conselho de Escola pode reunir e registrar essa defesa em ata, garantindo o amplo debate, transparência e isonomia entre todos os profissionais e autonomia para a organização pedagógica da unidade.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS