Sismac
  • 27 | 03 | 2019 - 16:56 Negociação

    Prefeitura recua pouco na negociação das LPs

    Prefeitura recua pouco na negociação das LPs
    Apenas 44,6% dos pedidos feitos pelos trabalhadores da educação foram atendidos pela gestão Greca

    As direções do SISMMAC e do SISMUC se reuniram com a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH) para tratar das negativas dos pedidos de licença-prêmio realizado pelos servidores municipais.

    Só da área da educação foram realizados 1118 pedidos para usufruir a LP. Desses, 499 foram liberados. Isso significa que apenas 44,6% dos pedidos foram atendidos pela administração municipal. Confira aqui a ata da reunião.

    Administração não atende pedidos para cuidar de pessoas da família

    Já para aqueles servidores que pediram a licença-prêmio com a justificativa de acompanhar um familiar em tratamento de saúde, a SMRH argumenta que existe outro dispositivo no Estatuto do Servidor que atende essa necessidade e as LPs não serão liberadas nesses casos.
    O número é ainda menor quando tratamos apenas das professoras e professores do magistério. De 763 pedidos, apenas 292 foram liberados, já considerando os recursos aceitos. Isso representa somente 38% de pedidos atendidos.

    De acordo com a SMRH, os servidores que entraram com recurso para que o indeferimento do pedido fosse reavaliado e atendiam os critérios estabelecidos pela portaria tiveram o recurso atendido. A Secretaria deve começar a entrar em contato com esses trabalhadores ainda hoje. Dos 274 pedidos de recurso das servidoras e servidores do setor da educação, 98 foram atendidos.

    Unidades sem nenhuma liberação

    Os sindicatos pontuaram a situação de seis escolas da rede que não tiveram nenhuma liberação de LP, nem de professores nem de servidores do quadro geral. O número de unidades pode ser ainda maior, já que nem todas as escolas entraram em contato com os diretores sindicais.

    A administração se comprometeu a verificar esses casos e dar um retorno para os sindicatos.
    As direções do SISMMAC e do SISMUC argumentaram que o chamamento de professores docência I e inspetores no início do ano deveria representar um aumento nas liberações das licenças em relação ao ano passado e não uma diminuição, como o que está ocorrendo. Esse é mais um descaso da gestão com o funcionalismo.

    Casos atendidos nos recursos

    Dois padrões

    As professoras e professores da rede que têm dois padrões, mas tiveram o pedido aceito em apenas uma das matrículas apesar de já terem adquirido o direito nas duas terão o caso revisto e liberado, segundo a administração.

    Emenda com a licença-gestação

    Algumas professoras entraram em contato com a direção do SISMMAC para questionar o fato da licença-prêmio pós licença-gestação começasse no dia 1º de fevereiro e não no dia 12, data do início do ano letivo. Na prática, a gestão Greca está tirando 12 dias do tempo que as trabalhadoras teriam com seus filhos.

    Para a administração, o recesso é da unidade e não do professor e por tratar-se de uma continuidade entre as licenças, não é possível considerar o recesso. Houve pouco caso por parte da administração em relação as trabalhadoras que passam por essa situação.

    Viagens organizadas

    Os trabalhadores que comprovaram nos recursos que estavam com viagens planejadas e contavam com a liberação da licença-prêmio para aproveitar esse momento de descanso tiveram o pedido atendido. No recurso, precisava constar algum tipo de comprovação da viagem, como passagens e reservas adquiridas.

  • 27 | 03 | 2019 - 16:56 Negociação

    Prefeitura recua pouco na negociação das LPs

    Prefeitura recua pouco na negociação das LPs
    Apenas 44,6% dos pedidos feitos pelos trabalhadores da educação foram atendidos pela gestão Greca

    As direções do SISMMAC e do SISMUC se reuniram com a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH) para tratar das negativas dos pedidos de licença-prêmio realizado pelos servidores municipais.

    Só da área da educação foram realizados 1118 pedidos para usufruir a LP. Desses, 499 foram liberados. Isso significa que apenas 44,6% dos pedidos foram atendidos pela administração municipal. Confira aqui a ata da reunião.

    Administração não atende pedidos para cuidar de pessoas da família

    Já para aqueles servidores que pediram a licença-prêmio com a justificativa de acompanhar um familiar em tratamento de saúde, a SMRH argumenta que existe outro dispositivo no Estatuto do Servidor que atende essa necessidade e as LPs não serão liberadas nesses casos.
    O número é ainda menor quando tratamos apenas das professoras e professores do magistério. De 763 pedidos, apenas 292 foram liberados, já considerando os recursos aceitos. Isso representa somente 38% de pedidos atendidos.

    De acordo com a SMRH, os servidores que entraram com recurso para que o indeferimento do pedido fosse reavaliado e atendiam os critérios estabelecidos pela portaria tiveram o recurso atendido. A Secretaria deve começar a entrar em contato com esses trabalhadores ainda hoje. Dos 274 pedidos de recurso das servidoras e servidores do setor da educação, 98 foram atendidos.

    Unidades sem nenhuma liberação

    Os sindicatos pontuaram a situação de seis escolas da rede que não tiveram nenhuma liberação de LP, nem de professores nem de servidores do quadro geral. O número de unidades pode ser ainda maior, já que nem todas as escolas entraram em contato com os diretores sindicais.

    A administração se comprometeu a verificar esses casos e dar um retorno para os sindicatos.
    As direções do SISMMAC e do SISMUC argumentaram que o chamamento de professores docência I e inspetores no início do ano deveria representar um aumento nas liberações das licenças em relação ao ano passado e não uma diminuição, como o que está ocorrendo. Esse é mais um descaso da gestão com o funcionalismo.

    Casos atendidos nos recursos

    Dois padrões

    As professoras e professores da rede que têm dois padrões, mas tiveram o pedido aceito em apenas uma das matrículas apesar de já terem adquirido o direito nas duas terão o caso revisto e liberado, segundo a administração.

    Emenda com a licença-gestação

    Algumas professoras entraram em contato com a direção do SISMMAC para questionar o fato da licença-prêmio pós licença-gestação começasse no dia 1º de fevereiro e não no dia 12, data do início do ano letivo. Na prática, a gestão Greca está tirando 12 dias do tempo que as trabalhadoras teriam com seus filhos.

    Para a administração, o recesso é da unidade e não do professor e por tratar-se de uma continuidade entre as licenças, não é possível considerar o recesso. Houve pouco caso por parte da administração em relação as trabalhadoras que passam por essa situação.

    Viagens organizadas

    Os trabalhadores que comprovaram nos recursos que estavam com viagens planejadas e contavam com a liberação da licença-prêmio para aproveitar esse momento de descanso tiveram o pedido atendido. No recurso, precisava constar algum tipo de comprovação da viagem, como passagens e reservas adquiridas.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS