Sismac

Notícias | Mobilização

Imprimir
  • PSS e o risco aos planos de carreira dos servidores
    31 | 01 | 2019 - 12:49 Mobilização

    PSS e o risco aos planos de carreira dos servidores

    Recesso parlamentar acaba em breve e servidores precisarão intensificar resistência contra contratos precarizados

    Dando continuidade à série sobre os possíveis problemas que enfrentaremos em Curitiba caso a gestão Greca e a bancada do tratoraço consigam aprovar o projeto de lei que cria a contratação via Processo Seletivo Simplificado (PSS) no município, hoje vamos falar sobre como ficam os planos de carreira dos servidores municipais.

    À exemplo do que ocorre na rede estadual, os contratos temporários não possuem plano de carreira. Com isso, os trabalhadores que têm contratos precarizados, apesar de desenvolver a mesma atividade dos servidores concursados, não recebem nenhum tipo de valorização relacionado à formação e qualificação profissional.

    É fato que após aprovação do pacotaço, em junho de 2017, os servidores municipais de Curitiba estão com as carreiras congeladas. Entretanto, existe a promessa do governo de que os planos sejam “revisados” e passem a valer ainda este ano. Mas, você já parou para pensar o que vai acontecer com a sua carreira caso o PSS seja aprovado?

    Pois é, a pressão do governo para retirar direitos garantidos no plano de carreira dos servidores aumenta. Com o passar do tempo, a redução no número dos concursados e, consequentemente, o aumento do número de contratos terceirizados faz com que a administração ataque os direitos dos servidores públicos conquistados com luta.

    Por isso, é muito importante que os trabalhadores do município se organizem contra mais essa tentativa de retirada de direitos da administração. O recesso parlamentar acaba em breve e nós, servidores municipais, precisamos resistir aos ataques. Firmes!

  • 31 | 01 | 2019 - 12:49 Mobilização
    PSS e o risco aos planos de carreira dos servidores

    PSS e o risco aos planos de carreira dos servidores

    Recesso parlamentar acaba em breve e servidores precisarão intensificar resistência contra contratos precarizados

    Dando continuidade à série sobre os possíveis problemas que enfrentaremos em Curitiba caso a gestão Greca e a bancada do tratoraço consigam aprovar o projeto de lei que cria a contratação via Processo Seletivo Simplificado (PSS) no município, hoje vamos falar sobre como ficam os planos de carreira dos servidores municipais.

    À exemplo do que ocorre na rede estadual, os contratos temporários não possuem plano de carreira. Com isso, os trabalhadores que têm contratos precarizados, apesar de desenvolver a mesma atividade dos servidores concursados, não recebem nenhum tipo de valorização relacionado à formação e qualificação profissional.

    É fato que após aprovação do pacotaço, em junho de 2017, os servidores municipais de Curitiba estão com as carreiras congeladas. Entretanto, existe a promessa do governo de que os planos sejam “revisados” e passem a valer ainda este ano. Mas, você já parou para pensar o que vai acontecer com a sua carreira caso o PSS seja aprovado?

    Pois é, a pressão do governo para retirar direitos garantidos no plano de carreira dos servidores aumenta. Com o passar do tempo, a redução no número dos concursados e, consequentemente, o aumento do número de contratos terceirizados faz com que a administração ataque os direitos dos servidores públicos conquistados com luta.

    Por isso, é muito importante que os trabalhadores do município se organizem contra mais essa tentativa de retirada de direitos da administração. O recesso parlamentar acaba em breve e nós, servidores municipais, precisamos resistir aos ataques. Firmes!

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS