Sismac

Notícias | Mobilização

Imprimir
  • Pressão da comunidade garante retorno de projetos de contraturno
    Foto: Redes Sociais
    18 | 09 | 2018 - 17:22 Mobilização

    Pressão da comunidade garante retorno de projetos de contraturno

    Atividades esportivas e culturais realizadas por professores e alunos estavam suspensas devido negligência da gestão

    A pressão da comunidade da Escola Municipal Omar Sabbag surtiu efeito e a gestão Greca liberou a verba para os projetos esportivos que ocorrem no contraturno da unidade. A Escola possui esses projetos há anos, que cumprem um papel bastante importante para alunos, pais e professores, que estavam em suspenso devido ao descaso da Prefeitura.

    Desde o início do segundo semestre, professores e alunos estavam sem poder dar continuidade aos projetos que são financiados pelo município e não recebiam nenhum retorno por parte da Secretaria Municipal de Educação (SME).

    A movimentação de professores e alunos com cartazes na própria unidade e também com postagens nas redes sociais pressionou a administração municipal, que cedeu e liberou os recursos para os projetos.

    Mas esse não era um caso específico. Diversas unidades das regionais da cidade que possuem projetos no contraturno têm sofrido o mesmo problema.Se a sua unidade se encontra nessa situação, entre em contato com o Sindicato e mobilize alunos, mães, pais e professores para reverter esse cenário!

    Como os projetos funcionam

    No final do semestre passado, a administração estabeleceu uma revisão dos projetos e exigiu que os professores responsáveis por essas atividades enviassem a proposta escrita novamente no início do segundo semestre. Antes, o que ocorria era uma renovação anual dos projetos que estavam em andamento.

    O prazo para envio dos projetos, estabelecido pela administração, era 15 de agosto. Entretanto, após um mês, as escolas não obtiveram nenhum retorno da SME. E, ao cobrarem, escutam que os projetos estão sob análise da Superintendência.

    Recentemente, os alunos que participam de projetos esportivos e têm competições marcadas, não estavam treinando por falta de liberação da Prefeitura. Para manter as aparências, a administração Greca liberou recursos para que as equipes participem de alguns eventos, porém, isso foi insuficiente. As atividades precisam de frequência e constância.

  • 18 | 09 | 2018 - 17:22 Mobilização
    Pressão da comunidade garante retorno de projetos de contraturno
    Foto: Redes Sociais

    Pressão da comunidade garante retorno de projetos de contraturno

    Atividades esportivas e culturais realizadas por professores e alunos estavam suspensas devido negligência da gestão

    A pressão da comunidade da Escola Municipal Omar Sabbag surtiu efeito e a gestão Greca liberou a verba para os projetos esportivos que ocorrem no contraturno da unidade. A Escola possui esses projetos há anos, que cumprem um papel bastante importante para alunos, pais e professores, que estavam em suspenso devido ao descaso da Prefeitura.

    Desde o início do segundo semestre, professores e alunos estavam sem poder dar continuidade aos projetos que são financiados pelo município e não recebiam nenhum retorno por parte da Secretaria Municipal de Educação (SME).

    A movimentação de professores e alunos com cartazes na própria unidade e também com postagens nas redes sociais pressionou a administração municipal, que cedeu e liberou os recursos para os projetos.

    Mas esse não era um caso específico. Diversas unidades das regionais da cidade que possuem projetos no contraturno têm sofrido o mesmo problema.Se a sua unidade se encontra nessa situação, entre em contato com o Sindicato e mobilize alunos, mães, pais e professores para reverter esse cenário!

    Como os projetos funcionam

    No final do semestre passado, a administração estabeleceu uma revisão dos projetos e exigiu que os professores responsáveis por essas atividades enviassem a proposta escrita novamente no início do segundo semestre. Antes, o que ocorria era uma renovação anual dos projetos que estavam em andamento.

    O prazo para envio dos projetos, estabelecido pela administração, era 15 de agosto. Entretanto, após um mês, as escolas não obtiveram nenhum retorno da SME. E, ao cobrarem, escutam que os projetos estão sob análise da Superintendência.

    Recentemente, os alunos que participam de projetos esportivos e têm competições marcadas, não estavam treinando por falta de liberação da Prefeitura. Para manter as aparências, a administração Greca liberou recursos para que as equipes participem de alguns eventos, porém, isso foi insuficiente. As atividades precisam de frequência e constância.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS