Sismac

Notícias | Carreira

Imprimir
  • Expo Educação é marcada por desorganização
    31 | 07 | 2018 - 13:48 Carreira

    Expo Educação é marcada por desorganização

    Caos, filas enormes, dificuldade para circular foram alguns dos problemas enfrentados pelos trabalhadores da educação

    O primeiro período da Expo Educação conseguiu retratar o descaso da administração Greca com a educação pública da nossa cidade. Os trabalhadores da rede que foram ao Barigüi na manhã desta terça-feira (31) encontraram caos, filas enormes, dificuldade para circular pela feira e um problema ainda maior para conhecer os projetos em exposição.

    A lógica da Prefeitura transformou a feira em uma caça aos selos e não em uma busca por conhecimento que possa ser trabalhado pedagogicamente em sala de aula.

    Ao priorizar o asfalto, a gestão Greca piora as condições de trabalho dos profissionais do magistério. E isso pode ser visto durante esse início da Semana de Estudos Pedagógicos (SEP), onde a qualidade passou longe tanto para aqueles que visitavam a feira quanto para aqueles que apresentavam seus trabalhos, já que era impossível ouvir qualquer coisa dentro do ambiente.

    Além da confusão e desorganização do espaço, não havia nenhuma unidade móvel de saúde para atender emergências. Duas trabalhadoras passaram mal no período da manhã e não receberam atendimento médico.

    Nem a administração conseguiu passar muito tempo dentro da feira

    Nem a administração conseguiu passar muito tempo dentro da feira. A secretária Maria Sílvia Winkeler fez uma passagem relâmpago pelo local no final da manhã. Uma comitiva do magistério acompanhou Maria Sílvia para mostrar a reivindicação da categoria, que luta pelo descongelamento do plano de carreira tal qual ele foi aprovado em 2014.

  • 31 | 07 | 2018 - 13:48 Carreira
    Expo Educação é marcada por desorganização

    Expo Educação é marcada por desorganização

    Caos, filas enormes, dificuldade para circular foram alguns dos problemas enfrentados pelos trabalhadores da educação

    O primeiro período da Expo Educação conseguiu retratar o descaso da administração Greca com a educação pública da nossa cidade. Os trabalhadores da rede que foram ao Barigüi na manhã desta terça-feira (31) encontraram caos, filas enormes, dificuldade para circular pela feira e um problema ainda maior para conhecer os projetos em exposição.

    A lógica da Prefeitura transformou a feira em uma caça aos selos e não em uma busca por conhecimento que possa ser trabalhado pedagogicamente em sala de aula.

    Ao priorizar o asfalto, a gestão Greca piora as condições de trabalho dos profissionais do magistério. E isso pode ser visto durante esse início da Semana de Estudos Pedagógicos (SEP), onde a qualidade passou longe tanto para aqueles que visitavam a feira quanto para aqueles que apresentavam seus trabalhos, já que era impossível ouvir qualquer coisa dentro do ambiente.

    Além da confusão e desorganização do espaço, não havia nenhuma unidade móvel de saúde para atender emergências. Duas trabalhadoras passaram mal no período da manhã e não receberam atendimento médico.

    Nem a administração conseguiu passar muito tempo dentro da feira

    Nem a administração conseguiu passar muito tempo dentro da feira. A secretária Maria Sílvia Winkeler fez uma passagem relâmpago pelo local no final da manhã. Uma comitiva do magistério acompanhou Maria Sílvia para mostrar a reivindicação da categoria, que luta pelo descongelamento do plano de carreira tal qual ele foi aprovado em 2014.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS