Sismac

Notícias | Condições de Trabalho

Imprimir
  • Após pressão do magistério, Prefeitura ameniza mudanças no RIT
    10 | 02 | 2017 - 15:19 Condições de Trabalho

    Após pressão do magistério, Prefeitura ameniza mudanças no RIT

    Direções de escola e Sindicato cobraram garantia de qualidade em reunião convocada às pressas hoje pela administração

    Na manhã desta sexta-feira (10), a Prefeitura convocou as direções de escolas às pressas para uma reunião sobre as mudanças nas regras para concessão do Regime Integral de Trabalho (RIT). A insatisfação do magistério e a firmeza de várias direções de escola junto com o Sindicato fizeram a administração garantir a liberação de RITs em número suficiente para cobrir todas as vagas efetivas e todas as licenças com mais de 30 dias.

    A Prefeitura também recuou na exigência de que todas as vagas de RIT fossem destinadas para professoras e professores cadastrados no banco criado pela administração que prioriza os menores salários. Agora, as direções de escola poderão exercer sua autonomia para indicar 50% das vagas de RIT e os outros 50% serão escolhidos do banco junto com as chefias de núcleo, podendo dar preferência às professoras e professores que já estão lotados na unidade.

    Essa é ainda uma conquista parcial, que garante apenas condições mínimas para o retorno das aulas na próxima segunda-feira. Teremos que ficar atentos para cobrar respeito a nossas condições de trabalho, com contratação dos aprovados nos concursos, cumprimento do plano de carreira e respeito a nossa data-base! A assembleia do próximo dia 20 de fevereiro será fundamental para avaliar se os compromissos assumidos hoje foram realmente cumpridos e organizar os próximos passos da luta do magistério! Participe!

    Desorganização e clima no retorno das aulas

    Na tarde de ontem, as direções de escola foram avisadas de que os RITs que estavam organizados para o início do semestre não seriam efetivados. A informação gerou revolta, especialmente porque chegou de maneira desencontrada nas unidades e em cima do retorno das aulas.

    A Prefeitura queria impor que a distribuição de RITs fosse definida de forma vertical pelos chefes de núcleo, através de um banco de dados. Além de desrespeitar a autonomia das escolas, a administração também afirmou que priorizaria os profissionais com menor tempo de rede e salários mais baixos. Para a direção do SISMMAC, esse critério é uma forma de discriminação contra as professoras e professores que dedicaram vários anos de sua vida à rede municipal de Curitiba.

    Negociação com a Prefeitura

    No início da reunião, o tom da administração municipal era de apenas esclarecer como funcionaria a concessão de RITs neste ano. As direções de escola não abaixaram a cabeça para essa imposição e, junto com o SISMMAC, cobraram condições mínimas para o retorno das aulas. Só ao final, após a chegada da secretária de Educação, Maria Silvia Winke, a administração aceitou negociar e reviu as informações repassadas às direções no dia anterior.

    Durante a reunião, a secretária também afirmou que receberia o Sindicato para negociar na próxima semana.

Imprimir
  • 10 | 02 | 2017 - 15:19 Condições de Trabalho
    Após pressão do magistério, Prefeitura ameniza mudanças no RIT

    Após pressão do magistério, Prefeitura ameniza mudanças no RIT

    Direções de escola e Sindicato cobraram garantia de qualidade em reunião convocada às pressas hoje pela administração

    Na manhã desta sexta-feira (10), a Prefeitura convocou as direções de escolas às pressas para uma reunião sobre as mudanças nas regras para concessão do Regime Integral de Trabalho (RIT). A insatisfação do magistério e a firmeza de várias direções de escola junto com o Sindicato fizeram a administração garantir a liberação de RITs em número suficiente para cobrir todas as vagas efetivas e todas as licenças com mais de 30 dias.

    A Prefeitura também recuou na exigência de que todas as vagas de RIT fossem destinadas para professoras e professores cadastrados no banco criado pela administração que prioriza os menores salários. Agora, as direções de escola poderão exercer sua autonomia para indicar 50% das vagas de RIT e os outros 50% serão escolhidos do banco junto com as chefias de núcleo, podendo dar preferência às professoras e professores que já estão lotados na unidade.

    Essa é ainda uma conquista parcial, que garante apenas condições mínimas para o retorno das aulas na próxima segunda-feira. Teremos que ficar atentos para cobrar respeito a nossas condições de trabalho, com contratação dos aprovados nos concursos, cumprimento do plano de carreira e respeito a nossa data-base! A assembleia do próximo dia 20 de fevereiro será fundamental para avaliar se os compromissos assumidos hoje foram realmente cumpridos e organizar os próximos passos da luta do magistério! Participe!

    Desorganização e clima no retorno das aulas

    Na tarde de ontem, as direções de escola foram avisadas de que os RITs que estavam organizados para o início do semestre não seriam efetivados. A informação gerou revolta, especialmente porque chegou de maneira desencontrada nas unidades e em cima do retorno das aulas.

    A Prefeitura queria impor que a distribuição de RITs fosse definida de forma vertical pelos chefes de núcleo, através de um banco de dados. Além de desrespeitar a autonomia das escolas, a administração também afirmou que priorizaria os profissionais com menor tempo de rede e salários mais baixos. Para a direção do SISMMAC, esse critério é uma forma de discriminação contra as professoras e professores que dedicaram vários anos de sua vida à rede municipal de Curitiba.

    Negociação com a Prefeitura

    No início da reunião, o tom da administração municipal era de apenas esclarecer como funcionaria a concessão de RITs neste ano. As direções de escola não abaixaram a cabeça para essa imposição e, junto com o SISMMAC, cobraram condições mínimas para o retorno das aulas. Só ao final, após a chegada da secretária de Educação, Maria Silvia Winke, a administração aceitou negociar e reviu as informações repassadas às direções no dia anterior.

    Durante a reunião, a secretária também afirmou que receberia o Sindicato para negociar na próxima semana.

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS