Sismac
  • 10 | 01 | 2020 - 16:50 Além dos muros da escola

    Asfalto é a prioridade dos inimigos do serviço público para 2020

    Asfalto é a prioridade dos inimigos do serviço público para 2020
    Em Curitiba, falta verba para saúde, educação, assistência social e cultura. Mas sobra dinheiro torrado em asfalto

    Os vereadores de Curitiba votaram no final de dezembro as emendas individuais da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020, no total de R$ 27,8 milhões. Uma verba que poderia assegurar mais investimento em áreas prioritárias para a população, mas não foi o que aconteceu.

    A mesma turma que atacou os direitos dos servidores com a justificativa de que era preciso economizar, agora se mostra generosa para repassar verbas que vão direto para a iniciativa privada, por meio de contratos milionários.

    A partir do levantamento das verbas destinadas pelos inimigos dos serviços públicos, a prioridade ficou clara: torrar dinheiro público em asfalto!

    Dos mais de R$ 16 milhões que os aliados de Greca tinham para destinar em emendas individuais, mais de R$ 7 milhões foram destinados a asfaltos, recapes, lombadas e outras obras relacionadas – ou seja, 45% das verbas da bancada do tratoraço serão torradas em contratos de asfalto.

    Esse valor vai se somar à fatia generosa que a Prefeitura destina todos os anos para os contratos com empresas de asfalto – em dezembro de 2019, a Câmara aprovou um empréstimo de R$ 250 milhões para a Prefeitura junto à Caixa Econômica Federal para esse tipo de obra. Será que a intenção é, além de maquiar a cidade, garantir apoios de campanha de reeleição?

    Pouco investimento em saúde e educação

    Enquanto isso, escolas públicas e CMEIs vão receber apenas 10% da cota dessa bancada. Pior ainda é a situação na saúde: Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Unidades de Saúde (USs) tiveram apenas 3% dos recursos destinados, ou seja, cerca de R$ 590 mil reais. Além disso, a Prefeitura ainda trabalha na surdina para fechar unidades de saúde e deixar a população sem atendimento.

    Há também uma prática dos vereadores de injetar dinheiro público em instituições privadas e outras relacionadas a igrejas. Até mesmo colégios particulares vão receber verba a partir das emendas – enquanto as instituições públicas seguem lutando pela contratação de mais profissionais, como é o caso das escolas municipais que funcionam com a falta de mais de mil professores e 300 auxiliares de servidos escolares, administrativos e apoios. Juntos os valores das emendas individuais destinados a instituições privadas e ligadas a igrejas somam mais do que todo o valor destinado a UPAs e USs.

    Com tanto dinheiro sendo tirado dos serviços públicos para serem injetados na iniciativa privada, fica fácil entender por que o funcionalismo público enfrenta tantas dificuldades, com sobrecarga de trabalho e retirada de direitos.

    Cúmplices do desmonte

    A destinação de verbas deixa claro que esses vereadores são cúmplices do desgoverno Greca no desmonte dos serviços públicos. Asfalto não garante atendimento adequado de saúde, não dá educação, não representa assistência social e não promove a cultura da cidade – serviços essenciais para a população.

    Por isso, o mais importante é mostrar para esses vereadores, inimigos dos servidores e puxa-saco do Greca, que asfalto também não garante eleição. Vamos intensificar a campanha contra Greca e seus comparsas. Relembre os nomes dos inimigos dos servidores.


  • 10 | 01 | 2020 - 16:50 Além dos muros da escola

    Asfalto é a prioridade dos inimigos do serviço público para 2020

    Asfalto é a prioridade dos inimigos do serviço público para 2020
    Em Curitiba, falta verba para saúde, educação, assistência social e cultura. Mas sobra dinheiro torrado em asfalto

    Os vereadores de Curitiba votaram no final de dezembro as emendas individuais da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020, no total de R$ 27,8 milhões. Uma verba que poderia assegurar mais investimento em áreas prioritárias para a população, mas não foi o que aconteceu.

    A mesma turma que atacou os direitos dos servidores com a justificativa de que era preciso economizar, agora se mostra generosa para repassar verbas que vão direto para a iniciativa privada, por meio de contratos milionários.

    A partir do levantamento das verbas destinadas pelos inimigos dos serviços públicos, a prioridade ficou clara: torrar dinheiro público em asfalto!

    Dos mais de R$ 16 milhões que os aliados de Greca tinham para destinar em emendas individuais, mais de R$ 7 milhões foram destinados a asfaltos, recapes, lombadas e outras obras relacionadas – ou seja, 45% das verbas da bancada do tratoraço serão torradas em contratos de asfalto.

    Esse valor vai se somar à fatia generosa que a Prefeitura destina todos os anos para os contratos com empresas de asfalto – em dezembro de 2019, a Câmara aprovou um empréstimo de R$ 250 milhões para a Prefeitura junto à Caixa Econômica Federal para esse tipo de obra. Será que a intenção é, além de maquiar a cidade, garantir apoios de campanha de reeleição?

    Pouco investimento em saúde e educação

    Enquanto isso, escolas públicas e CMEIs vão receber apenas 10% da cota dessa bancada. Pior ainda é a situação na saúde: Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Unidades de Saúde (USs) tiveram apenas 3% dos recursos destinados, ou seja, cerca de R$ 590 mil reais. Além disso, a Prefeitura ainda trabalha na surdina para fechar unidades de saúde e deixar a população sem atendimento.

    Há também uma prática dos vereadores de injetar dinheiro público em instituições privadas e outras relacionadas a igrejas. Até mesmo colégios particulares vão receber verba a partir das emendas – enquanto as instituições públicas seguem lutando pela contratação de mais profissionais, como é o caso das escolas municipais que funcionam com a falta de mais de mil professores e 300 auxiliares de servidos escolares, administrativos e apoios. Juntos os valores das emendas individuais destinados a instituições privadas e ligadas a igrejas somam mais do que todo o valor destinado a UPAs e USs.

    Com tanto dinheiro sendo tirado dos serviços públicos para serem injetados na iniciativa privada, fica fácil entender por que o funcionalismo público enfrenta tantas dificuldades, com sobrecarga de trabalho e retirada de direitos.

    Cúmplices do desmonte

    A destinação de verbas deixa claro que esses vereadores são cúmplices do desgoverno Greca no desmonte dos serviços públicos. Asfalto não garante atendimento adequado de saúde, não dá educação, não representa assistência social e não promove a cultura da cidade – serviços essenciais para a população.

    Por isso, o mais importante é mostrar para esses vereadores, inimigos dos servidores e puxa-saco do Greca, que asfalto também não garante eleição. Vamos intensificar a campanha contra Greca e seus comparsas. Relembre os nomes dos inimigos dos servidores.


Notícias Relacionadas

Nenhum registro encontrado.

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS