Sismac
  • 07 | 02 | 2019 - 09:10 Mobilização

    Licença-maternidade: conquista das mulheres trabalhadoras

    Licença-maternidade: conquista das mulheres trabalhadoras
    O período da licença-maternidade e a estabilidade durante a gravidez foi garantida pelas mulheres que lutam

    A licença-maternidade foi regulamentada pela primeira vez em 1943 e era de apenas 84 dias. As demissões de mulheres grávidas eram comuns na época e não existia nenhum tipo de estabilidade para as mesmas.

    A partir de 1980, neste grande período de lutas que marcou o país e o processo de redemocratização, os trabalhadores e sindicatos lutaram para garantir a licença-maternidade de 120 dias, além do impedimento das demissões das mães durante esse período.

    Mais recentemente, a luta das mulheres trabalhadoras fez com que as regras do serviço público mudassem e a licença passou a ser de seis meses. Outro ganho é que a estabilidade no emprego começa a ser considerada a partir da confirmação da gravidez.

    Todos os direitos colocados nessa série de postagens foram conquistados a duras penas por aqueles que vieram antes de nós. A prefeitura e o governo federal caminham juntos para tentar retirá-los dos trabalhadores, cabe a nós lutar para garantir melhores condições de vida e de trabalho.

    Imprensa do SISMMAC e do SISMUC
  • 07 | 02 | 2019 - 09:10 Mobilização

    Licença-maternidade: conquista das mulheres trabalhadoras

    Licença-maternidade: conquista das mulheres trabalhadoras
    O período da licença-maternidade e a estabilidade durante a gravidez foi garantida pelas mulheres que lutam

    A licença-maternidade foi regulamentada pela primeira vez em 1943 e era de apenas 84 dias. As demissões de mulheres grávidas eram comuns na época e não existia nenhum tipo de estabilidade para as mesmas.

    A partir de 1980, neste grande período de lutas que marcou o país e o processo de redemocratização, os trabalhadores e sindicatos lutaram para garantir a licença-maternidade de 120 dias, além do impedimento das demissões das mães durante esse período.

    Mais recentemente, a luta das mulheres trabalhadoras fez com que as regras do serviço público mudassem e a licença passou a ser de seis meses. Outro ganho é que a estabilidade no emprego começa a ser considerada a partir da confirmação da gravidez.

    Todos os direitos colocados nessa série de postagens foram conquistados a duras penas por aqueles que vieram antes de nós. A prefeitura e o governo federal caminham juntos para tentar retirá-los dos trabalhadores, cabe a nós lutar para garantir melhores condições de vida e de trabalho.

    Imprensa do SISMMAC e do SISMUC

Rua Nunes Machado, 1644, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS