Sismac

Notícias | Além dos muros da escola

Imprimir
  • 20 de novembro: Dia da Consciência Negra
    20 | 11 | 2018 - 10:20 Cultura

    20 de novembro: Dia da Consciência Negra

    O povo negro resiste contra a violência e o preconceito
    No Brasil, 20 de novembro marca o Dia da Consciência Negra, que celebra a resistência do povo negro por liberdade e contra o preconceito. 

    A data, instituída com muita luta pelo movimento negro, é uma homenagem à Zumbi, último líder do Quilombo dos Palmares, assassinado em 20 de novembro de 1695. Assim como os demais quilombos criados no Brasil no período, Palmares foi uma experiência de organização social alternativa, em que o trabalho era produzido e dividido de forma coletiva.

    A Lei Áurea, assinada em 13 de maio de 1888, libertou só cerca de 5% da população de escravizados. A ausência de um projeto de integração social na época manteve e intensificou a desigualdade econômica, social e racial no país. Atualmente, o resultado dessa negligência perversa é nítido. Além de sofrer com os altos índices de violência e com uma sociedade racista, o movimento negro enfrenta uma onda de políticos intolerantes que buscam diminuir a importância da luta por uma sociedade livre de todo tipo de opressão. 

    A ladainha de Capoeira Angola Rei Zumbi dos Palmares conta essa história de resistência. Confira: 

    A história nos engana
    Escrita pelo contrário
    Até diz que a abolição
    Aconteceu no mês de maio
    A prova dessa mentira
    É que da miséria eu não saio
    Viva 20 de novembro
    Momento pra se lembrar
    Não vejo em 13 de maio
    Nada pra comemorar
    Muitos tempos se passaram e o negro sempre a lutar
    Zumbi é nosso herói Zumbi é nosso herói, colega velho
    De palmares foi senhor
    Pela causa do homem negro
    Foi ele quem mais lutou
    Apesar de toda luta, colega velho
    Negro não se libertou, camarada!
    Iê, é hora, é hora
    Iêee, é hora, é hora, camará
    Iê, vamos embora
    Iêee, vamos embora, camará
    Iê, viva meu deus
    Iêee, viva meu deus, camará
    Iê, vive meu mestre
    Iêee, vive meu mestre, camará
    Iê, quem me ensinou
    Iêee, quem me ensinou, camará
  • 20 | 11 | 2018 - 10:20 Cultura
    20 de novembro: Dia da Consciência Negra

    20 de novembro: Dia da Consciência Negra

    O povo negro resiste contra a violência e o preconceito
    No Brasil, 20 de novembro marca o Dia da Consciência Negra, que celebra a resistência do povo negro por liberdade e contra o preconceito. 

    A data, instituída com muita luta pelo movimento negro, é uma homenagem à Zumbi, último líder do Quilombo dos Palmares, assassinado em 20 de novembro de 1695. Assim como os demais quilombos criados no Brasil no período, Palmares foi uma experiência de organização social alternativa, em que o trabalho era produzido e dividido de forma coletiva.

    A Lei Áurea, assinada em 13 de maio de 1888, libertou só cerca de 5% da população de escravizados. A ausência de um projeto de integração social na época manteve e intensificou a desigualdade econômica, social e racial no país. Atualmente, o resultado dessa negligência perversa é nítido. Além de sofrer com os altos índices de violência e com uma sociedade racista, o movimento negro enfrenta uma onda de políticos intolerantes que buscam diminuir a importância da luta por uma sociedade livre de todo tipo de opressão. 

    A ladainha de Capoeira Angola Rei Zumbi dos Palmares conta essa história de resistência. Confira: 

    A história nos engana
    Escrita pelo contrário
    Até diz que a abolição
    Aconteceu no mês de maio
    A prova dessa mentira
    É que da miséria eu não saio
    Viva 20 de novembro
    Momento pra se lembrar
    Não vejo em 13 de maio
    Nada pra comemorar
    Muitos tempos se passaram e o negro sempre a lutar
    Zumbi é nosso herói Zumbi é nosso herói, colega velho
    De palmares foi senhor
    Pela causa do homem negro
    Foi ele quem mais lutou
    Apesar de toda luta, colega velho
    Negro não se libertou, camarada!
    Iê, é hora, é hora
    Iêee, é hora, é hora, camará
    Iê, vamos embora
    Iêee, vamos embora, camará
    Iê, viva meu deus
    Iêee, viva meu deus, camará
    Iê, vive meu mestre
    Iêee, vive meu mestre, camará
    Iê, quem me ensinou
    Iêee, quem me ensinou, camará

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS