Sismac

Notícias | Além dos muros da escola

Imprimir
  • Nota de apoio aos servidores e servidoras de São Paulo
    Crédito: Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo
    15 | 03 | 2018 - 11:35 Além dos muros da escola

    Nota de apoio aos servidores e servidoras de São Paulo

    O SISMMAC apoia a luta dos professores e demais servidores de São Paulo por nenhum direito a menos!

    O SISMMAC reforça a solidariedade à luta dos servidores municipais de São Paulo que, ao reivindicarem a manutenção de seus direitos previdenciários, sofreram com a truculência do Estado na tarde dessa quarta-feira (14).

    Violência contra o serviço municipal

    Os trabalhadores e trabalhadoras da educação, da saúde, da assistência social, entre outras área, vêm numa crescente mobilização desde 8 de março contra retiradas de direitos impostas pelo governo João Doria (PSDB). As medidas de Doria alteram as regras no regime de previdência e aumenta a alíquota de contribuição dos servidores.

    Nesta quarta-feira (14), os trabalhadores se reuniram em um ato na Câmara Municipal contra o projeto de lei que propõe essas mudanças. Em resposta covarde e truculenta, a Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana utilizaram bombas de efeito moral e balas de borracha para atingir os trabalhadores em luta.

    O ataque é geral!

    Em momentos como esse fica claro que a burguesia e o capital não têm como prioridade assegurar os direitos sociais essenciais à população e sobretudo têm atacado àqueles que atuam nessas esferas: os servidores públicos.

    Sabemos que pouco se importam com o acesso à educação e a formação da população, uma vez que a intenção é que o rico se torne mais rico e o pobre continue sendo pobre. Nesse sentido, a burguesia e seu Estado têm adotado cada vez mais medidas que lhes sustentem no poder e retirem os direitos conquistados com muita luta pelos trabalhadores. Para isso, modificam leis existentes e criam outras, independentemente do impacto na vida de milhares de trabalhadores..

    O que os servidores de São Paulo passam hoje, infelizmente, não é diferente do que tem acontecido nas demais capitais do país. Em 2017, nós, aqui em Curitiba, também enfrentamos com luta um grande ataque.

    Para aprovar o pacotaço, o prefeito Rafael Greca e a bancada do tratoraço deram ordem para que a Polícia Militar intervisse contra os servidores. Na ocasião, muitos servidores foram feridos ao longo dos 15 dias de greve, e o pacote de maldades foi aprovado sob muita resistência.

    A direção do SISMMAC vem à público repudiar a postura adotada pelo prefeito de São Paulo, sua conduta autoritária e higienista na capital paulista, que retira direitos dos servidores, utiliza dos equipamentos da polícia para agir com violência e arrasta cada vez mais a população pobre da cidade para a miséria.

    FIRMES com os servidores de São Paulo! Seguimos juntos na resistência, por nenhum direito a menos!

Imprimir
  • 15 | 03 | 2018 - 11:35 Além dos muros da escola
    Nota de apoio aos servidores e servidoras de São Paulo
    Crédito: Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo

    Nota de apoio aos servidores e servidoras de São Paulo

    O SISMMAC apoia a luta dos professores e demais servidores de São Paulo por nenhum direito a menos!

    O SISMMAC reforça a solidariedade à luta dos servidores municipais de São Paulo que, ao reivindicarem a manutenção de seus direitos previdenciários, sofreram com a truculência do Estado na tarde dessa quarta-feira (14).

    Violência contra o serviço municipal

    Os trabalhadores e trabalhadoras da educação, da saúde, da assistência social, entre outras área, vêm numa crescente mobilização desde 8 de março contra retiradas de direitos impostas pelo governo João Doria (PSDB). As medidas de Doria alteram as regras no regime de previdência e aumenta a alíquota de contribuição dos servidores.

    Nesta quarta-feira (14), os trabalhadores se reuniram em um ato na Câmara Municipal contra o projeto de lei que propõe essas mudanças. Em resposta covarde e truculenta, a Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana utilizaram bombas de efeito moral e balas de borracha para atingir os trabalhadores em luta.

    O ataque é geral!

    Em momentos como esse fica claro que a burguesia e o capital não têm como prioridade assegurar os direitos sociais essenciais à população e sobretudo têm atacado àqueles que atuam nessas esferas: os servidores públicos.

    Sabemos que pouco se importam com o acesso à educação e a formação da população, uma vez que a intenção é que o rico se torne mais rico e o pobre continue sendo pobre. Nesse sentido, a burguesia e seu Estado têm adotado cada vez mais medidas que lhes sustentem no poder e retirem os direitos conquistados com muita luta pelos trabalhadores. Para isso, modificam leis existentes e criam outras, independentemente do impacto na vida de milhares de trabalhadores..

    O que os servidores de São Paulo passam hoje, infelizmente, não é diferente do que tem acontecido nas demais capitais do país. Em 2017, nós, aqui em Curitiba, também enfrentamos com luta um grande ataque.

    Para aprovar o pacotaço, o prefeito Rafael Greca e a bancada do tratoraço deram ordem para que a Polícia Militar intervisse contra os servidores. Na ocasião, muitos servidores foram feridos ao longo dos 15 dias de greve, e o pacote de maldades foi aprovado sob muita resistência.

    A direção do SISMMAC vem à público repudiar a postura adotada pelo prefeito de São Paulo, sua conduta autoritária e higienista na capital paulista, que retira direitos dos servidores, utiliza dos equipamentos da polícia para agir com violência e arrasta cada vez mais a população pobre da cidade para a miséria.

    FIRMES com os servidores de São Paulo! Seguimos juntos na resistência, por nenhum direito a menos!

Rua Nunes Machado, 1577, Rebouças – Curitiba / PR, CEP. 80.220-070 - Fone/Fax.: (41) 3225-6729

DOHMS